Bible of the WayBíblia do Caminho  † Temática

Índice Página inicial Próximo Capítulo

Filho de Deus

Blue bar

 

TEMAS CORRELATOS
(Cognomes de Jesus) (Cristianismo) (Cristo) (Espírito de Verdade) (Filho do Homem) (Jesus Cristo) (Messias) (Missão) (Natureza do Cristo) (Nazareno) (Profecia sobre Emanuel) (Profeta)
 

Um título do Messias (Sl 2. 7; Jo 1. 49; cp. 2 Sam 7. 14); em seu sentido mais profundo expressa a misteriosa relação existente entre o Pai eterno e o Filho eterno. Na Versão Revisada do Novo Testamento a designação de Filho de Deus é usada quarenta e cinco vezes, sendo que em quarenta e quatro delas designa inequivocamente nosso Senhor (Mt 4. 3, 6; 16. 16; 26. 63; 27. 43; Mc 1. 1), e no restante caracterizando Adão (Lc 3. 38). Em João 3. 18 Cristo é chamado de Filho unigênito de Deus. Duas razões são sugeridas para o título: sua geração eterna (Heb 7. 3) e seu milagroso nascimento pela ação do Espírito Santo (Lc 1. 35). Como filho de Deus, Cristo encerra todas as perfeições infinitas essenciais de Deus (Jo 1. 1-14; 10. 30-38; Flp 2. 6), e é uno com Deus (Jo 5. 17-25), subordinando a Ele sua subsistência e ação; sendo assim: É do Pai, está junto ao Pai e o Pai opera por ele (Jo 3. 16, 17; 8. 42; Gl 4. 4; Heb 1. 2). Desta forma, a palavra filho não é um termo de condição, mas de natureza. Tem a mesma natureza, um fato que inclui igualdade com Deus. A reivindicação foi confirmada por nosso Senhor (Lc 22. 70; Jo 10. 36; 11. 4; 19. 7), e destacada pelos apóstolos (At 9. 20; Gl 2. 20, etc.; 1 Jo 3. 8; 5. 5, 10, 13, 20), e por isso é que ele foi condenado pelo Sanhedrin como blasfemo (Mt 26. 63-66; Mc 14. 61-64); mas a justiça de sua reivindicação havia sido reconhecida por ocasião do seu batismo pela descida sobre ele do Espírito Santo, acompanhado por uma expressão vocal audível [voz direta] do seu Pai celestial (Mt 3. 16, 17; Mc 1. 10, 11; Lc 3. 22; Jo 1. 32-34); assim igualmente na transfiguração (Mt 17. 5; Mc 9. 7; Lc 9. 35; 2 Pe 1. 17). Seu caráter e suas obras confirmaram-no (Jo 1. 14; 10. 36-38; Heb 1. 3). E foi declarado ser o Filho de Deus com poder, de acordo com o espírito de santidade pela ressurreição dentre os mortos (Rm 1. 4), e pela sua ascensão (Heb 1. 3). Em uma passagem do V. T. a expressão Filho de Deus aparece (Dan 3. 25 na Versão Autorizada), mas a versão revista altera para filho dos deuses; o orador era um pagão da Babilônia. [Obs. Como vemos, o texto acima refere-se mais precisamente à pessoa de Jesus. A expressão “Filho de Deus” deve ser utilizada como nome próprio. Embora sejamos filhos do mesmo Pai criador de todas as coisas, veneramos a Jesus da mesma maneira como veneramos a Deus.] W — (Dicionário da Bíblia de John D. Davis©

 

.