Bíblia do Caminho Testamento Xavieriano

O Evangelho por Emmanuel — Volume I

Comentários ao Evangelho segundo Mateus

206


Lei do auxílio

1 Anotemos o impositivo do auxílio nas múltiplas faixas de ação da natureza.

2 Árvores não produzem sem base no solo. Fontes não correm sem leito.

3 Edifícios não se erguem sem os materiais que se lhes ajustem ao plano de construção.

4 Doentes não se curam sem o socorro que se lhes faça imprescindível.

5 Os Amigos Espirituais, em verdade, poderão realizar muito em resposta às petições e necessidades dos companheiros encarnados; todavia, muito pouco ou talvez nada lograrão efetuar sem recolherem, para esse fim, algum auxílio deles mesmos.

6 Dar-lhes-ão a paz; entretanto, solicitam concurso na sustentação da harmonia.

7 Ajudá-los-ão a solucionar os problemas que lhes cruciem a mente; contudo, rogam-lhes paciência e compreensão, bondade e tolerância, de maneira a não complicá-los.

8 Inspirá-los-ão na cura das moléstias que lhes aborreçam o corpo físico; no entanto, aguardam-lhes a observância dos tratamentos e regimes, abstenções e medicações que se mostrem aconselháveis.

9 Ampará-los-ão na melhoria da existência, até mesmo na aquisição e extensão de recursos materiais; todavia, pedem-lhes serviço e diligência, com senso de economia e dedicação ao trabalho.

10 Auxílio se levanta invariavelmente nos alicerces da cooperação, segundo os princípios da troca.

11 Por essa razão, advertiu-nos Jesus: “Dai e dar-se-vos-á.” ( † )

12 Sirvamos ao próximo, quanto nos seja possível, e alguém nos servirá.

13 Abençoemos e seremos abençoados.

14 Colaboremos na manutenção da tranquilidade, e a tranquilidade morará conosco.

15 Valorizemos os outros e os outros nos valorizarão.

16 Quem recebe deve dar, e quem dá deve receber. Nos fundamentos divinos que presidem o relacionamento humano, em matéria de auxílio, esta é a lei.


.Emmanuel



(Reformador, fevereiro de 1976, p. 34)


Citação parcial para estudo, de acordo com o artigo 46, item III, da Lei de Direitos Autorais.

.

Abrir