Bíblia do Caminho Testamento Xavieriano

Cartilha da Natureza — Casimiro Cunha


5


O lixo

  1 Cada dia, a residência

  Que a higiene ensine e ajude,

  Lança fora todo o lixo

  Na defesa da saúde.


  2 Grandes cestos, grandes latas,

  Guardando detrito escuro,

  Enchem grandes carroçadas

  Que seguem para o monturo.


  3 Contemplando o movimento,

  Lembremos que a sujidade,

  Muita vez foi qualquer coisa

  Em plano de utilidade.


  4 Roupa usada, vestes rotas,

  Velhas peças carunchosas,

  Em outros tempos já foram

  Queridas e preciosas.


  5 Ornatos apodrecidos,

  Tristes lâmpadas sem lume,

  Conheceram muitas vezes

  Festa e luz, vida e perfume.


  6 Resumem, contudo, agora,

  O lixo que não convém,

  Escuro e pernicioso,

  Contrário à saúde e ao bem.


  7 Para ele, em todo o mundo,

  A casa nobre e educada

  Reserva, cada manhã,

  A bênção da vassourada.


  8 Se não tem função de esterco,

  Junto à terra menos rica,

  Vai ao fogo generoso,

  Que renova e purifica.


  9 Na esfera de ensinamento

  Da verdade sempre igual,

  O lixo personifica

  A estranha expressão do mal.


  10 Escuta! se o bem de ontem

  Hoje é mal e sofrimento,

  Não deixes de procurar

  Os cestos do esquecimento.


.Casimiro Cunha


Citação parcial para estudo, de acordo com o artigo 46, item III, da Lei de Direitos Autorais.

.

Abrir