Bible of the WayBíblia do Caminho  † Temática

Índice Página inicial Próximo Capítulo

Espiritismo

 

TEMAS CORRELATOS
(Cânon Espírita) (Centros, grupos e sociedades espíritas) (Ciência) (Consolador) (Credo Espírita) (Crença) (Divulgação) (Doutrina Espírita) (Espírita) (Espiritismo retrospectivo) (Espírito) (Espírito de Verdade) (Filosofia) (Instituições) (Materialismo) (Mediunidade) (Pentateuco kardequiano) (Reencarnação) (Religião) (Reunião) (Revelação) (Unificação)
(AFORISMOS)
 
  1. A comunicação de Bittencourt Sampaio por ocasião da visita de F. C. Xavier à FEB no Rio de Janeiro
  2. A Federação Espírita Brasileira — Humberto de Campos
  3. A guerra surda — Comunicação de Erasto sobre o período de luta do Espiritismo e por quais sacrifícios passarão os novos mártires da Doutrina (Re)
  4. A indagação do Inspetor (Que os amigos encarnados algo informassem, individualmente, com referência ao Espiritismo cristão na existência de cada um deles) — Irmão X
  5. A influência do Espiritismo — Emmanuel
  6. A luta entre o passado e o futuro (Cruzada contra o Espiritismo) (Re)
  7. A nova Torre de Babel (dos diversos sistemas filosóficos) — São Luis (Re)
  8. A razão do Espiritismo (Por Michel Bonnamy) (Re)
  9. A Terra Prometida — Mardoqueu (Re)
  10. As primeiras manifestações espíritas e a evolução dos fatos, vide: Histórico do Espiritismo (Oes)
  11. Ao clarão da Verdade [Idem] [Idem] (Interpretação da passagem de João 16.13: “Mas quando vier aquele Espírito de Verdade, ele vos guiará em toda a verdade…”) — Emmanuel
  12. Aos que creem ser o Espiritismo obra do demônio? (Ve)
  13. Aos espíritas — Constituição da Sociedade Anônima do Espiritismo (Re)
  14. À S. A. o Príncipe G. — Respostas de Allan Kardec a algumas questões relativas ao Espiritismo, a ele apresentadas por Sua Alteza o Príncipe G. (Re)
  15. Agir de acordo (Estudo da epístola de Paulo a Tito 1.16: “Confessam que conhecem a Deus, mas negam-no com as obras, sendo abomináveis e desobedientes, e reprovados para toda boa obra”) — Emmanuel
  16. Algumas considerações sobre o Espiritismo — Dr. Bouché de Vitray
  17. Algumas refutações de Allan Kardec às prédicas contra o Espiritismo (Re)
  18. Algumas pessoas veem no Espiritismo um perigo (Ve)
  19. Ante a Seara da Luz (Homenagem ao Primeiro Centenário da primeira organização espírita, instalada no Brasil) — Emmanuel
  20. Ante o segundo século (Comparações em torno do primeiro século do Cristianismo e do primeiro século do Espiritismo) — Emmanuel
  21. Ante os tempos novos [Idem] (Responsabilidade do Espiritismo diante das revelações concernentes à Vida espiritual) — Emmanuel
  22. Aplicação do Espiritismo [Idem] [Idem] (Espiritismo aplicado é Vida Eterna com Eterna Libertação) — Emmanuel
  23. Assim se escreve a história! Os milhões [de francos] do Sr. Allan Kardec (Re)
  24. Ataques à ideia nova (É que esta doutrina, esta revelação, abre brecha em todas as antigas doutrinas, em todas as velhas filosofias, insuficientes para satisfazerem as necessidades da razão humana) — Erasto (Re)
  25. Autoridade da Doutrina Espírita — Controle universal do ensino dos Espíritos (Re)
  26. Avançando (O progresso do Espiritismo) — Luís Olímpio Teles de Menezes
  27. Balizas e retaguardas (O Espiritismo e sua divulgação) — Emmanuel
  28. Bendita união — Maria Dolores
  29. Breve resposta aos detratores do Espiritismo (Op)
  30. Caixa Geral do Espiritismo (Decisão da Senhora Allan Kardec) (Re)
  31. Carta fraternal (aos que de alguma forma buscam o Espiritismo) (Versos) — Casimiro Cunha
  32. Censura no Espiritismo (O Espiritismo, se deixar de ser livre, deixará de ser Espiritismo) — Chico Xavier
  33. Como ouvimos falar do Espiritismo (Re)
  34. Como o Espiritismo vem sem ser procurado (Re)
  35. Conferência sobre o Espiritismo, pelo Sr. Chevillard (um antiespírita) (Re)
  36. Conselhos (aos espíritas que muitas vezes são ridicularizados por sua crença) — O Espírito de Verdade
  37. Consequências da doutrina da reencarnação sobre a propagação do Espiritismo (Re)
  38. Consequências do Espiritismo (Qe)
  39. Constituição do Espiritismo — Exposição de motivos (Op)

    I Considerações preliminares

    II Dos cismas

    III O chefe do Espiritismo

    IV Comissão central

    V Instituições acessórias e complementares da comissão central

    VI Amplitude de ação da comissão central

    VII Os estatutos constitutivos

    VIII Do programa das crenças

    IX Vias e meios

    X Allan Kardec e a nova constituição

  40. Constituição Transitória do Espiritismo (Re)
  41. Credo Espírita (Princípios fundamentais da fé espírita)
  42. Cristianismo restaurado (Espiritismo religioso? Sim.) — Emmanuel
  43. Das surdas manobras dos adversários do Espiritismo (Ve)
  44. Das contradições (Ldm)
  45. De que o Espiritismo precisa — André Luiz
  46. Definição  [Idem] (O Espiritismo considerado no seu tríplice aspecto: científico, filosófico e religioso) — Emmanuel
  47. Dissertações espíritas — Acerca do Espiritismo (Ldm)
  48. Divulgação espírita (Justificando a necessidade de divulgação do Espiritismo aos que se dizem contrários à divulgação espírita) — André Luiz
  49. Doutrina de Luz — Emmanuel
  50. Em Homenagem aos Pioneiros (do Espiritismo no Brasil) — André Luiz
  51. Em louvor da verdade (O Espiritismo que indaga simplesmente deu lugar, há muito tempo, ao Espiritismo que estende os braços) — Bezerra de Menezes
  52. Entre dois séculos (de trabalho e esperança no campo de nossa fé) — Emmanuel
  53. Entrevista em Nova Iorque (Horace Greeley, observador do Espiritismo na América) — Irmão X
  54. Espiritismo I — André Luiz
  55. Espiritismo II — André Luiz
  56. Espiritismo (Versos) — Casimiro Cunha
  57. Espiritismo — Emmanuel

    Prosélitos

    Prática

  58. Espiritismo (Introd. de José Xavier) — Soneto do Padre L. Esteves
  59. Espiritismo I (Soneto) — João de Deus
  60. Espiritismo II (Soneto) — João de Deus
  61. Espiritismo (Versos) — Juvenal Galeno
  62. Espiritismo científico apenas? — Irmão X
  63. Espiritismo com Jesus (Soneto) — Vallado Rosas
  64. Espiritismo e assistência [Idem] — Emmanuel
  65. Espiritismo e caridade — Chico Xavier
  66. Espiritismo e divulgação — Irmão X
  67. Espiritismo e Espiritualismo (Re)
  68. Espiritismo e Espiritualismo (Qe)
  69. Espiritismo e estudo [Idem] — Emmanuel
  70. Espiritismo e Evangelho I (Decididamente, o Espiritismo é o movimento libertador das consciências em sua gloriosa tarefa de reestruturar o mundo) — Emmanuel
  71. Espiritismo e Evangelho II — Emmanuel
  72. Espiritismo e liberdade [Idem] (É indubitável que o Espiritismo, na função de Consolador Prometido pelo Cristo de Deus, veio aos homens, sobretudo, para libertá-los da treva do espírito) — Emmanuel
  73. Espiritismo e nós — Albino Teixeira
  74. Espiritismo e nós (O Espiritismo não piora a gente…) — Chico Xavier
  75. Espiritismo e nós (Interpretação da passagem de João 14.15: “Se me amardes, guardareis os meus mandamentos”) — Emmanuel
  76. Espiritismo e você — André Luiz
  77. Espiritismo e trabalho [Idem] — Emmanuel
  78. Espiritismo explicando (É necessário valorizar a Doutrina que, generosamente, nos valoriza) — Emmanuel
  79. Espiritismo no Evangelho [Idem] (Soneto) — João de Deus
  80. Espiritismo: o Consolador prometido por Jesus (Estudos Espíritas)
  81. Espiritismo ou Doutrina Espírita: conceito e objeto (Estudos Espíritas)
  82. Espiritismo praticado — Emmanuel
  83. Estado do Espiritismo em 1863 (Re)
  84. Estatística do Espiritismo (Re)
  85. Evangelho e Espiritismo (Resposta àqueles que negam a feição religiosa do Espiritismo, recusando-lhe a posição de Cristianismo Restaurado) — Emmanuel
  86. Evangelho em ação [Idem] (A missão evangélica do Brasil na sementeira do espiritualismo moderno) — Emmanuel
  87. Evangelho, Espiritismo e Esperanto — Etelvina
  88. Evangelização (Sobre o Espiritismo evangélico) — Emmanuel
  89. Facho libertador (Consolador prometido por Jesus, o Espiritismo alcança o homem por mensageiro divino, estendendo-lhe as chaves da própria libertação) — Emmanuel
  90. Falsas explicações dos fenômenos (Qe)
  91. Fundamentos do Espiritismo (Se a Ciência, a Filosofia e o Evangelho são os fundamentos da Doutrina Espírita, como interpretá-los em sua justa significação?) — Emmanuel
  92. Futuro do Espiritismo (Re)
  93. Futuro do Espiritismo (Op)
  94. Golpe de vista sobre o Espiritismo e suas consequências (Re)
  95. Golpe de vistas sobre o Espiritismo em 1864 (Re)
  96. Há algo de mais pernicioso ao Espiritismo do que os ataques apaixonados dos seus adversários. É o que os pseudos-adeptos publicam em seu nome. Certas publicações são simplesmente lamentáveis, uma vez que oferecem da Doutrina Espírita uma ideia falsa e a expõem ao ridículo (Ve)
  97. Histórico do Espiritismo (Oes)

    1. As primeiras manifestações nos EUA.

    As mesas girantes ou dança das mesas.

    2. Qual era a natureza da inteligência, que produzia esses estranhos fenômenos?

    3. A propagação do fenômeno das mesas girantes para a França e o resto da Europa.

    4. As primeiras críticas à realidade dos fenômenos inusitados.

    5. A evolução da comunicação por batidas (Tiptologia) para as comunicações através de médiuns escritores (psicografia).

    A descoberta de um mundo novo: o mundo dos invisíveis.

    6. Que são os Espíritos?

    Que papel desempenham no universo?

    Com que propósito se comunicam com os mortais?

    7. As três partes essenciais constitutivas do homem: a alma ou Espírito, o corpo e o perispírito.

    A morte.

    8. O corpo morre, o Espírito não, a morte do corpo desembaraça-o de seus laços; ele se liberta e recupera sua liberdade.

    9. O meio que os Espíritos empregam para atestar sua presença e chamar para si a atenção.

    10. Da qualidade dos Espíritos e suas comunicações.

    11. O Espiritismo: doutrina fundada na existência, nas manifestações e no ensinamento dos Espíritos.

    12. O Espiritismo antes do surgimento da Doutrina Espírita, o Espiritismo moderno.

    13. Se não é novo o que vem fazer o Espiritismo?

    14. Porque o Espiritismo representa O Consolador prometido.

    15. O Espiritismo do ponto de vista religioso. Sua universalidade.

    Pode um espírita definir-se como católico, grego ou romano, protestante, judeu ou muçulmano?

    Porque a denominação Espiritismo Cristão.

    A quem se destina a crença espírita.

    16. O Espiritismo e os dogmas da eternidade das penas, do fogo material do inferno, e da personalidade do diabo.

    17. As almas dos que morreram podem comunicar-se com os vivos?

  98. Impotência dos detratores (do Espiritismo) (Qe)
  99. Influência do Espiritismo (Ipr)
  100. Influência do Espiritismo no progresso (Lde)
  101. Influência do Espiritismo no progresso da Humanidade (Estudos Espíritas)
  102. Interdição do Espiritismo (Qe)
  103. Intolerância e perseguição com respeito ao Espiritismo (Re)
  104. Introdução ao Estudo do Espiritismo (Estudos Espíritas)

    O contexto histórico do século XIX na Europa

    Espiritismo ou Doutrina Espírita: conceito e objeto

    Tríplice aspecto da Doutrina Espírita

    Pontos principais da Doutrina Espírita

  105. Luz para todos (Deve a Nova Revelação limitar-se ao trabalho em favor dos que sofrem a penúria do corpo, sob pena de perder a própria simplicidade?) — Emmanuel
  106. Marcha gradativa do Espiritismo. Dissidências e obstáculos (Op)
  107. Mediunidade e Espiritismo — Efigênio S. Vítor
  108. Mensagem (O Espiritismo fenomênico) — Emmanuel
  109. Mensagem de Bezerra de Menezes — O próprio
  110. Missão do Espiritismo — Emmanuel
  111. Museu do Espiritismo (Re)
  112. Na difusão do Espiritismo [Idem] (Na condição daquele Consolador prometido por Jesus à Humanidade o Espiritismo, sem dúvida, atingirá todas as consciências. Interpretação da passagem de João, 14.16: “E eu rogarei ao Pai e Ele vos dará outro Consolador para que fique convosco para sempre”) — Emmanuel
  113. Na extensão do serviço (Objetivos essenciais do Espiritismo Evangélico) — Emmanuel
  114. Na hora que passa (O Espiritismo no dia laborioso dos pioneiros e agora) — Modesto Lacerda
  115. No Cristianismo renascente [Idem] [Idem] [Idem] — Emmanuel
  116. No Espiritismo com Jesus — Emmanuel
  117. No roteiro cristão (a esfera de serviço agiganta-se, sob todos os aspectos, e Jesus, na vanguarda, pede mãos operosas e corações devotados ao Infinito Bem) — Emmanuel
  118. No serviço cristão (Espiritismo não expressa simples convicção de imortalidade: é clima de serviço e edificação. Estudo da epístola de Paulo 2 Coríntios 5.10: “Porque todos devemos comparecer ante o tribunal do Cristo, para que cada um receba segundo o que tiver feito, estando no corpo, o bem ou o mal” ) — Emmanuel
  119. No serviço do Senhor — Emmanuel
  120. Nos domínios da sombra (O motivo da grande reunião de falangistas da miséria e da ignorância no reino das sombras: O Espiritismo com Jesus, aclarando a mente humana, prejudicava os planos infernais) — Irmão X
  121. Nova tática dos adversários do Espiritismo (Os ataques dirigidos ao Espiritismo são uma prova da importância e da verdade da Doutrina, e desde que nenhum dos que lhe opõem pôde detê-la, é que ninguém encontrou a falha da couraça)  (Re)
  122. Noções elementares de Espiritismo — Observações preliminares (Qe)
  123. Novo e definitivo enterro do Espiritismo (Re)
  124. Num século de Espiritismo — Emmanuel
  125. O caminho [Idem] (Os propósitos do Espiritismo cristão. Interpretação da passagem de João 16.13: “Mas quando vier aquele Espírito de Verdade, ele vos guiará em toda a verdade”) — Emmanuel
  126. O Espiritismo (Ev)
  127. O Espiritismo — Francisco de Sales (Re)
  128. O Espiritismo de alto a baixo da escala (Re)
  129. O Espiritismo e a contribuição científica (O Espiritismo dispensa a contribuição científica?) — Emmanuel
  130. O Espiritismo e a crítica (Re)
  131. O Espiritismo e a fé religiosa — Emmanuel
  132. O Espiritismo e a Franco-maçonaria (Re)
  133. O Espiritismo e a literatura contemporânea (Comunicação de Allan Kardec) (Re)
  134. O Espiritismo e as Grandes Transições  (A extinção do cativeiro. O Socialismo. Restabelecendo a verdade. Defecção da Igreja Católica. Lutas renovadoras. A América e o futuro. Jesus) — Emmanuel
  135. O Espiritismo e o Espírito maligno — Hippolyte Fortoul (Re)
  136. O Espiritismo e o Espiritualismo (Comunicação de Allan Kardec) (Re)
  137. O Espiritismo é possível? (Re)
  138. O Espiritismo é um templo (O Espiritismo é atualmente um templo aberto à fé, uma oficina que se oferece ao trabalho salvador e uma escola que se institui à abençoada preparação das almas) — Emmanuel
  139. O Espiritismo é uma ciência positiva (No item 12, Allan Kardec fala do papel por ele desempenhado no Espiritismo, do peso da tarefa, daquilo que acredita ser seu único mérito e termina afirmando: será a obra de minha vida até meu último dia.) (Re)
  140. O Espiritismo é uma religião? (Re)
  141. O Espiritismo em Cadiz, em 1853 e 1868 (Re)
  142. O Espiritismo em 1860 (Re)
  143. O Espiritismo em seu aspecto religioso — Chico Xavier
  144. O Espiritismo em sua vida (Reflita na importância do Espiritismo em sua encarnação) — André Luiz
  145. O Espiritismo em toda a parte I (Re)
  146. O Espiritismo em toda a parte II (Re)
  147. O Espiritismo em toda parte III (Re) — A pluralidade das existências e dos mundos habitados e a comunicação com os Espíritos, ensinadas pelos reverendos padres Gratry e Hyacinthe
  148. O Espiritismo entre os druidas (Re)
  149. O Espiritismo independente (Artigo importante) (Re)
  150. O Espiritismo na atualidade (O Espiritismo, nos tempos modernos, é, sem dúvida, a revivescência do Cristianismo em seus fundamentos mais simples) — Emmanuel
  151. O Espiritismo na América (Re)
  152. O Espiritismo na Bélgica (Re)
  153. O Espiritismo nas prisões (Re)
  154. O Espiritismo no Brasil I — Humberto de Campos
  155. O Espiritismo no Brasil II — Humberto de Campos
  156. O Espiritismo numa distribuição de prêmios (Reflexões sobre um discurso contra o Espiritismo pronunciado numa solenidade de formatura de internato parisiense) (Re)
  157. O Espiritismo obriga — Luís de França (Re)
  158. O Espiritismo pergunta (Não julgas que já é tempo de renovar?) — Militão Pacheco
  159. O Espiritismo prova a existência da alma (Op)
  160. O Espiritismo sem os Espíritos (A negação da prece e: Nada de comunicações dos Espíritos; duas doutrinas com a pretensão de formar seita) (Re)
  161. Espiritismo só pede para ser conhecido (Re)
  162. O espírito do Espiritismo (O amor é o coração do Evangelho e o espírito do Espiritismo chama-se caridade) — André Luiz
  163. O fenômeno espírita (através dos tempos) — Emmanuel
  164. O futuro do Espiritismo (Um filósofo do outro mundo) (Re)
  165. O grande manancial (do Espiritismo perante os investigadores modernos) — Emmanuel
  166. O homenzinho ainda vive (Artigo contra o Espiritismo) (Re)
  167. O livro-libelo (um livro contra os postulados espíritas) — Hilário Silva
  168. O poder do ridículo (O Espiritismo perante as intrigas, a troça e o ridículo) (Re)
  169. O que deve ser a história do Espiritismo — Allan Kardec  (Re)
  170. O que é o Espiritismo (Primeira versão) (Preâmbulo) (Qe 1)

    Pequena conferência espírita

    O crítico

    O cético

    Espiritismo e Espiritualismo (2)

    Dissidências (3)

    Fenômenos espíritas simulados (4)

    Impotência dos detratores (5)

    O maravilhoso e o sobrenatural (6)

    Oposição da Ciência (7-10)

    Falsas explicações dos fenômenos (11-14)

    Não basta que os incrédulos vejam para que se convençam (15)

    Boa ou má-vontade dos Espíritos para convencer (16)

    Origem das ideias espíritas modernas (17)

    Meios de comunicação (18-20)

    Médiuns interesseiros (21-23)

    Médiuns e feiticeiros (24-25)

    Diversidade dos Espíritos (26-29)

    Utilidade prática das manifestações (30)

    Loucura, suicídio e obsessão (31)

    Esquecimento do passado (32)

    Elementos de convicção (33-34)

    Sociedades espíritas (35)

    Interdição do Espiritismo (36)

    O Padre

  171. O que é o Espiritismo (Segunda versão) (Preâmbulo) (Qe 2)

    Pequena conferência espírita

    Um primeiro visitante (1-14)

    Um segundo visitante (1-46)

    Resumo da Doutrina Espírita

    Preliminares.

    Deus. (1-3)

    Os Espíritos. (4-9)

    Manifestações dos Espíritos. (10-17)

    Progressão dos Espíritos. (18-24)

    Os mundos. (25-29)

    O homem. (30-36)

    Faculdades do homem. (37-43)

    Emancipação da alma. (44-46)

    Destino do homem. (47-57)

    Retorno à vida corporal. (58-65)

    Influência dos Espíritos. (66-76)

    O bem e o mal. (77-81)

    A prece. (82-85)

    Consequências morais do Espiritismo

  172. O que ensina o Espiritismo (Re)
  173. Os desertores (Comunicação de Allan Kardec: Sobre a História do Espiritismo. Lutas do Codificador. Desertores da Doutrina. Reencontro de Allan Kardec com os desertores na vida espiritual) (Re)
  174. Os dois espiões  (Interessante artigo que descreve a visita de dois jovens russos, simulando serem simpáticos ao Espiritismo, à residência de Allan Kardec, com a intenção de aí assistirem a uma reunião) (Re)
  175. Os espiões (Sobre os adversários do Espiritismo) (Re)
  176. Os fatos realizados (Da propagação do Espiritismo) —  por Erasto (Re)
  177. Os inimigos do progresso (da luz e da verdade trabalham na sombra; preparam uma cruzada contra as manifestações dos Espíritos) — Lamennais (Re)
  178. Os mártires do Espiritismo — Comunicações de Santo Agostinho, Lázaro e Lamennais (Re)
  179. Os quiproquós (Os inconvenientes que estão sujeitos os críticos do Espiritismo por sua avidez e precipitação) (Re)
  180. Obsessão (Um escolho na prática do Espiritismo) (Ldm)
  181. Olhar reprospectivo sobre o movimento espírita (Re)
  182. Oposição da Ciência (Pelo fato de ainda não ter o Espiritismo adquirido direito de cidade na ciência oficial, merecerá ser condenado?) (Qe)
  183. Orçamento do Espiritismo ou exploração da credulidade humana (Brochura publicada em Argel) (Re)
  184. Organização do Espiritismo — Allan Kardec (Re)
  185. Perigos sutis (É indispensável evitar a idolatria em todas as circunstâncias. Estudo da epístola de Paulo 1 Coríntios 10.7: “Não vos façais, pois, idólatras”) — Emmanuel
  186. Período de luta — Os seis períodos de estabelecimento do Espiritismo: o da curiosidade, o filosófico, o da luta, o religioso, o intermediário e finalmente o da regeneração social. (Re)
  187. Período psicológico (Re)
  188. Perpetuidade do Espiritismo (Re)
  189. Perseguições (Resumo do sermão contra o Espiritismo pregado por um sacerdote católico) (Re)
  190. Porque Espiritismo? (O Espiritismo em relação às religiões tradicionais) — Emmanuel
  191. Processo das envenenadoras de Marselha — O suposto envolvimento da Doutrina Espírita com os atos condenáveis (Re)
  192. Profissão de fé espírita americana (Re)
  193. Profissão de fé espírita raciocinada (Op)
  194. Propagação do Espiritismo (Re)
  195. Propagação do Espiritismo — Chico Xavier
  196. Qual o papel do Espiritismo diante das outras religiões? [Idem] — Resposta de Emmanuel
  197. Relatório da Caixa do Espiritismo (Artigo muito importante) (Re)
  198. Renascença de Luz (Soneto) — João de Deus
  199. Responsabilidade (em manter o Espiritismo qual foi entregue pelos Mensageiros Divinos a Allan Kardec) — Bezerra de Menezes
  200. Resumo da lei dos fenômenos espíritas — Resumo em 23 artigos, da lei dos fenômenos espíritas (Re)
  201. Resumo do ensino dos Espíritos (Oes)

    1 – 2. Deus, Espírito e matéria.

    3 – 5. O Espírito, sua individualidade, sua criação.

    6. O livre arbítrio soberano nos Espíritos.

    7. Deus não criou o mal; estabeleceu leis.

    8. Os Espíritos são agentes do poder divino.

    9. Encarnação dos Espíritos.

    10. A humanidade.

    11. A alma. O homem e os animais.

    12. O aperfeiçoamento do Espírito.

    13 - 14. As existências corpóreas do Espírito.

    15 - 16. A vida espiritual.

    A erranticidade.

    17. Punição para o Espírito culpado.

    18. Mundos apropriados aos diferentes graus de avanço dos Espíritos.

    19. Os mundos onde encarnam Espíritos culpados.

    20. Como devemos entender a eternidade das penas.

    21. A herança do Espírito.

    O verdadeiro pecado original.

    22. O esquecimento das existências anteriores.

    23. Uma explicação lógica à teoria do pecado original cometido por Adão.

    24. A diversidade das aptidões inatas.

    25 - 26. Se a existência atual fosse única e devesse decidir sozinha sobre o futuro da alma para a eternidade, qual seria o destino das crianças que morrem em tenra idade?

    Pelo mesmo motivo, qual seria a sorte dos cretinos, idiotas?

    27. As existências corpóreas terão um fim?

    28. Guias da humanidade.

    Espíritos protetores.

    Moisés e o Cristo.

    29 - 30. O Espiritismo e sua missão.

    31 - 32. Origem dos males que afligem a humanidade.

    Como destruir o egoísmo e o orgulho, que parecem inatos no coração do homem? (o seu pecado original)

    33 - 34. O expurgo prometido.

    A tarefa dos Espíritos que serão exilados.

    A nova geração e o Espiritismo cristão.

  202. Revelações e preconceitos (Por que motivo os instrutores desencarnados silenciam determinados temas doutrinários em determinadas regiões) — Emmanuel
  203. Santuário doméstico [Idem] (O Espiritismo é a grande luz, e o santuário doméstico é abençoado núcleo distribuidor dos celestes dons que fluem incessantemente do Alto) — Aires de Oliveira
  204. 2.º Congresso Espírita Mineiro — Emmanuel
  205. Se for verdade por si se elevará (Atos 5.38) — João [Evangelista]
  206. Se o Espiritismo torna os homens melhores e conduz os descrentes à crença em Deus, na alma e na vida futura, ele só pode fazer o bem. Por que então ele tem inimigos? (Ve)
  207. Segundo o Espiritismo (Nossa vida reflete-se sobre todas as vidas que nos rodeiam) — André Luiz
  208. Sistemas — Exame dos diferentes modos como o Espiritismo é encarado e dos sistemas utilizados na explicação dos fenômenos a ele concernentes (Ldm)
  209. Tema espírita (Seria o Espiritismo também uma seita religiosa para ser incorporada às outras?) — Cícero Pereira
  210. Tema vivo (Do impositivo da verdadeira cooperação dos espíritas para com o Espiritismo, marchando para o triunfo real com o Evangelho à luz do Espiritismo e com o Espiritismo à luz do Evangelho) — Efigênio
  211. Um argumento terrível contra o Espiritismo: História de um jumentinho — O caso da senhora que havia crido que seu marido reencarnara em um animal e que foi narrado do púlpito, por um sacerdote (Re)
  212. Um Espírito israelita a seus correligionários (fala sobre o Espiritismo) — Edouard Pereyre (Re)
  213. Vai nascer a Verdade (Advento do Espiritismo) — Massillon (Re)
  214. Vinde a nós (Convite para que os incrédulos e materialistas estudem o Espiritismo) — Ferdinand (Re)
  215. Vinde irmãos (Soneto) — Abel Gomes
  216. Vinte assuntos com William James (sobre o Espiritismo na América do norte, médiuns e mediunidade) — André Luiz
  217. Vinte questões com Gabriel Delanne (Entrevista feita por André Luiz a um destacado continuador de Allan Kardec em 20 de Agosto de 1965 em Paris, França) — André Luiz
OUTRAS REFERÊNCIAS AO TEMA
  1. Àqueles que, embora respeitando o caráter institucional da Federação Espírita Brasileira, contestam veementemente o fato dela ser uma empresa comercial, editora bem-sucedida de centenas de obras que interessam o Espiritismo, lede com atenção o 2º artigo da Revista Espírita de agosto de 1869: Aos espíritasConstituição da Sociedade Anônima do Espiritismo.
  2. Conselho Espírita Internacional
  3. Críticas ao Espiritismo W
  4. Dos três aspectos doutrinários do Espiritismo — o científico, o filosófico e o religioso —, qual o mais importante, no seu entender? Por quê? (En) (En)
  5. Espiritismo W
  6. Federação Espírita Brasileira
  7. O Espiritismo e a família. (En)
  8. O Espiritismo e os temas do sexo. (En)
  9. Os Espíritos e o Espiritismo (En)
  10. Pacto Áureo W
  11. (Pergunta ao Chico) O que acha você do ensino do Espiritismo nas escolas, sobretudo, nas escolas espíritas? (En)
  12. Palestra de Haroldo Dutra Dias na Comemoração dos 130 anos da Federação Espirita Brasileira (Publicado em 21 de janeiro de 2014)
  13. Poderemos considerar o Espiritismo como uma Revelação? (v. artigo: Da revelação) (Re)
  14. Primeira entidade espírita no Brasil — Conquanto as ideias espíritas houvessem penetrado o Brasil, logo depois de 1850, a instalação da primeira entidade espírita no País, oficialmente, foi realizada com a fundação do “Grupo Familiar do Espiritismo”, em 17-9-1865, em Salvador, Estado da Bahia. — Nota de André Luiz. (Ei)
  15. Que dizer daqueles irmãos que se esforçam por enfatizar apenas o lado científico do Espiritismo? (En)
  16. Vide no artigo Discurso do Sr. Allan Kardec, um trecho em que o Codificador fala do Espiritismo em relação às outras crenças. (Re)
  17. Vide o item 2 da Segunda carta do Padre Marouzeau: Sobre o título de chefe do Espiritismo dado a Allan Kardec.
  18. Vide o item 23 do artigo O sexto sentido e a visão espiritual (O Espiritismo nem descobriu, nem inventou os médiuns, mas descobriu as leis da mediunidade, e a explica. Assim a verdadeira chave para a compreensão do Antigo e do Novo Testamento, onde abundam os fatos deste gênero. O Espiritismo nas antigas teogonias.)
  19. Vide comentários de Allan Kardec no artigo O processo Hillaire no item 4: O Espiritismo está menos nos fenômenos materiais que em suas consequências morais. Pouco nos importa que neguem fatos que são constatados diariamente em todos os pontos da Terra. Não está longe o dia em que todos serão forçados a render-se à evidência; o principal é que a Doutrina daí decorrente seja reconhecida como digna do Evangelho, sobre o qual se apoia.
  20. Vide comentários de Allan Kardec no item 5 do artigo Os Espíritos na Espanha: É pelos fatos que o Espiritismo se constituiu em ciência e em doutrina. É compreender o verdadeiro objetivo da Doutrina empregá-la a fazer o bem aos desencarnados, como aos encarnados.
  21. Vide comentários de Allan Kardec no final do artigo A rainha Vitória e o Espiritismo: “… se o Espiritismo não é entravado e perseguido oficialmente, como o era o Cristianismo em Roma, deve-o a altas influências. Antes de ser oficialmente protegido, deve contentar-se em ser tolerado, aceitar o que lhe dão e não pedir muito, com medo de nada obter. Antes de ser carvalho, não passa de caniço, e se o caniço não se quebra, é que se dobra ao vento.”
  22. Vide itens 8, 9, 10, 11 no artigo Partida de um adversário do Espiritismo para o mundo dos Espíritos:

    Kardec fala das previsões sobre as consequências do Espiritismo.

    Aos que dizem que o Espiritismo terá apenas um tempo.

    Sobre as divergências e contradições dentro do Espiritismo.

    Não foram os homens que fizeram do Espiritismo o que ele é, nem que farão o que será mais tarde: são os Espíritos por seus ensinos.

    O Espiritismo nem é obra de um só Espírito, nem de um só homem; é obra dos Espíritos em geral.

    Das seitas que, na opinião do padre D., dividem os espíritas.

  23. Vide os itens abaixo relacionados do artigo Considerações sobre a prece no Espiritismo:

    4. Não se deve esquecer que o Espiritismo deve tender à aproximação das diversas comunhões.

    6. Por que o Espiritismo satisfaz.

    7. O que são e como surgiram os artigos de fé (dogmas), nos postulados espíritas.

    8. Na hipótese de formação de seitas espíritas.

    9. Por que o Espiritismo é imperecível.

  24. Vide excertos da resposta do Codificador  ao Sr. Bertram, no item 3 do artigo Os irmãos Davenport em Bruxelas:

    Se jamais o Espiritismo se tornasse uma religião, não poderia tornar-se intolerante sem renegar seu princípio, que é a fraternidade universal, sem distinção de seita e de crença; sem abjurar sua divisa: Fora da caridade não há salvação, símbolo o mais explícito do amor ao próximo, da tolerância e da liberdade de consciência.

    Se uma religião se encaixasse sobre o Espiritismo com exclusão de seus princípios, não seria mais Espiritismo.

    O Espiritismo é uma doutrina filosófica que toca em todas as questões humanitárias. Vide também neste item sobre a propagação do Espiritismo, e de seu modo de ensinar.

  25. Vide no item 3 do artigo Modo de protesto de um espírita: O Espiritismo é uma crença. Quem quer que creia na existência e na sobrevivência das almas e na possibilidade de relações entre os homens e o mundo espiritual, é espírita, e muitos o são intuitivamente, sem jamais terem ouvido falar do Espiritismo nem de médiuns. É-se espírita por convicção como outros são incrédulos. Por isto, absolutamente não é necessário fazer parte de uma Sociedade e a prova é que nem a milésima parte das adeptos frequentam reuniões. (Re)
  26. Vide no item 3 do artigo Plano de campanha, o novo plano de campanha dos adversários do Espiritismo: (…) publicações que, sob o manto do Espiritismo, esforçar-se-ão para o demolir; doutrinas que lhe tomarão algumas ideias, mas com o pensamento de o suplantar.
  27. Vide §§ 30, 41-44, 46-48 no artigo Caracteres da Revelação Espírita:

    Por que o Espiritismo pode ser considerado como uma extensão da doutrina do Cristo.

    Longe de negar ou destruir o Evangelho, ao contrário o Espiritismo vem confirmá-lo, explicar e desenvolver pelas novas leis da Natureza que ele revela tudo quanto o Cristo disse e fez.

    A prova de que o Espiritismo realiza todas as promessas do Cristo a respeito do Consolador anunciado.

    Prova do advento providencial do Espiritismo.

    Por que o Espiritismo atrai e o que devem fazer os que desejam evitar sua influência sobre as massas.

    Da universalidade do Espiritismo.

    Da perpetuidade do Espiritismo.

    O traço de união entre os adeptos do Espiritismo no mundo.

  28. Vide no item 2 do artigo O Jornal La Solidarité: Consequências do Espiritismo para a humanidade.
  29. Vide no cap. 18 do livro “Nos domínios da mediunidade” item 4: Espiritismo e Mediunidade.

 


 

A Doutrina Espírita ou o Espiritismo tem por princípio as relações do mundo material com os Espíritos ou seres do mundo invisível. Os adeptos do Espiritismo serão os espíritas, ou, se quiserem, os espiritistas. — Allan Kardec (Lde)

 
AFORISMOS E CITAÇÕES
  1. Mas aquele Consolador, o Santo Espírito que o Pai enviará em meu nome, esse vos ensinará todas as cousas e vos fará lembrar de tudo quanto vos tenho dito. — Jesus (Jo)
  2. O Espiritismo é a chave com o auxílio da qual tudo se explica de modo fácil. — Allan Kardec (Ev)
  3. O objetivo essencial do Espiritismo é o melhoramento dos homens. Não é preciso procurar nele senão o que pode ajudá-lo para o progresso moral e intelectual. — Allan Kardec (Oes)
  4. A crença no Espiritismo só é proveitosa para aquele de quem se pode dizer: hoje está melhor do que ontem. — Allan Kardec (Oes)
  5. Espiritismo moderno é o despertar da antiguidade, mas da antiguidade esclarecida pelas luzes da civilização e da realidade. — Allan Kardec (Re)
  6. O mais belo lado do Espiritismo é o lado moral. É por suas consequências morais que triunfará, pois aí está a sua força, por aí é invulnerável. Inscreve em sua bandeira: Amor e Caridade e, ante esse paládio, mais poderoso que o de Minerva, porque vem do Cristo, inclina-se a própria incredulidade. — Allan Kardec (Re)
  7. O Espiritismo é uma doutrina moral que fortalece os sentimentos religiosos em geral e se aplica a todas as religiões; é de todas, e não pertence a nenhuma em particular. — Allan Kardec (Re)
  8. ESPIRITISMO é, ao mesmo tempo, uma ciência de observação e uma doutrina filosófica. Como ciência prática, consiste nas relações que se podem estabelecer com os Espíritos; como filosofia, compreende todas as consequências morais decorrentes dessas relações. — Allan Kardec (Re)
  9. O Espiritismo bem compreendido é para a vida o que o trabalho material é para a vida do corpo. — Um Espírito (Re)
  10. A caridade é a alma do Espiritismo; ela resume todos os deveres do homem para consigo mesmo e para com os seus semelhantes, razão por que se pode dizer que não há verdadeiro espírita sem caridade. — Allan Kardec (Re)
  11. O Espiritismo, verdadeiramente interpretado, é a síntese maravilhosa que abrange todas as atividades humanas, no sentido de aperfeiçoá-las para o bem comum. — Pedro Richard para Humberto de Campos (Cat)Tx5
  12. O Espiritismo é um campo imenso onde cada qual tem a sua tarefa a desempenhar, e onde o exclusivismo pecará sempre pela inoportunidade. — Pedro Richard para Humberto de Campos (Cat)Tx5
  13. Ao Espiritismo cristão cabe, atualmente, no mundo, grandiosa e sublime tarefa. Não basta definir-lhe as características veneráveis de Consolador da Humanidade, é preciso também revelar-lhe a feição de movimento libertador de consciências e corações. — Emmanuel (Mdl)Tx23
  14. O cristianismo marcou uma era diferente e os séculos futuros viverão à claridade de uma outra luz que, em breve, raiará nos horizontes da Terra, para o coração aflito e sofredor da Humanidade. — Emmanuel (Cla)Tx24
  15. Os discípulos do Senhor conheciam a importância da certeza na sobrevivência para o triunfo na vida moral. (…) O Espiritismo evangélico vem movimentar o serviço divino que envolve em si, não somente a crença consoladora, mas também o conhecimento indiscutível da imortalidade. — Emmanuel (Pn)Tx43
  16. O Espiritismo em seu tríplice aspecto, científico, filosófico, religioso, é movimento libertador das consciências, mas só o Espiritismo praticado liberta a consciência de cada um. (…) não vos esqueçais de que o Espiritismo prático pode ser o Espiritismo do “eu” e que só o Espiritismo praticado é o Espiritismo de Deus. — Emmanuel (Nli)Tx44
  17. Gradativamente estamos aprendendo, na tarefa de redenção e de aprendizado que fazemos, todos juntos, que o Espiritismo é claridade no indivíduo, a expandir-se deste para que as sombras da ignorância e do sofrimento sejam expulsas da Terra. Fazer algo pelo bem na extinção do mal é obrigação de todos, no apostolado comum. — Teles de Menezes (Ft)Tx46
  18. O Espiritismo com Jesus é ciência divina de aperfeiçoamento da unidade a refletir-se na melhoria do todo. — Emmanuel (Cc)Tx54
  19. Espiritismo bem sentido e bem vivido é luz que nos compete estender. E quanto mais extensa se fizer a nossa tarefa, maior será a nossa família, perante a Eternidade. — Isabel Cintra (Cc)Tx54
  20. O Espiritismo é Jesus que volta ao convívio da dor humana. — Pedro de Alcântara (Ips)Tx60
  21. O Espiritismo é arma perigosa nas mãos dos que ignoram os seus deveres. — Emmanuel (Dco)Tx64
  22. A Religião Espírita é a Religião do Evangelho do Cristo, para sublimação da inteligência e aprimoramento do coração. — Emmanuel (Sdm)Tx74
  23. Toda a formação espírita guarda raízes nas fontes do Cristianismo simples e claro, com finalidades morais distintas, no aperfeiçoamento da alma, expressando aquele Consolador que Jesus prometeu aos tempos novos. — Emmanuel (Jdn)Tx77
  24. Com o Espiritismo nasceu na Terra a fé raciocinada. — André Luiz (Ie)Tx82
  25. O Espiritismo é a religião natural da verdade e do bem que renova e funciona. — Emmanuel (Oe)Tx85
  26. O amor é o coração do Evangelho e o espírito do Espiritismo chama-se caridade. — André Luiz (Oe)Tx85
  27. O Espiritismo, restaurando o Cristianismo, é universidade da alma. — Emmanuel (Le)Tx89
  28. Estudemos Allan Kardec, ao clarão da mensagem de Jesus-Cristo, e, seja no exemplo ou na atitude, na ação ou na palavra, recordemos que o Espiritismo nos solicita uma espécie permanente de caridade — a caridade da sua própria divulgação. — Emmanuel (Eev)Tx93
  29. Pense no valor do Espiritismo em sua vida. Ele é a sua verdadeira oportunidade de partilhar a imortalidade desde hoje. — André Luiz (Eev)Tx93
  30. O Espiritismo é o Cristianismo Renascente, com Jesus anunciando, de novo, as realidades eternas do Universo e da Vida, com base no sepulcro vazio!… — Emmanuel (Ei)Tx95
  31. A fraternidade constituir-se-á abençoado clima do trabalho e realização, dentro do Espiritismo evangélico, ou permaneceremos na mesma expectação inoperante do princípio quando o material divino da Revelação e da Verdade não encontrava acesso em nossos Espíritos irredimidos. — Bezerra de Menezes (Adt)Tx127
  32. Espiritismo com Jesus é o edifício do aperfeiçoamento moral que os corações de boa vontade estão erigindo para o mundo. — André Luiz (Adt)Tx127
  33. Espiritismo no Evangelho é ação constante no bem. — Emmanuel (Adt)Tx127
  34. Espiritismo no Evangelho é ação constante no bem. Ação no bem é prece permanente em louvor a Jesus. — Emmanuel (Adt)Tx127 
  35. Espiritismo é, antes de tudo, templo de renovação interior e instituto de trabalho constante, em cujas linhas é imprescindível assumir, cada qual de nós as responsabilidades que nos cabem, a benefício de nossa própria redenção. — Camilo de Mattos (Tl)Tx129
  36. O Espiritismo que indaga simplesmente deu lugar, há muito tempo, ao Espiritismo que estende os braços. — Bezerra (Bcv)Tx139
  37. Espiritismo sem aprimoramento espiritual é templo sem luz. — Bezerra (Bcv)Tx139
  38. O Espiritismo brasileiro congrega extensa caravana de servidores da renovação cultural e sentimental do mundo e complexas responsabilidades lhe revestem a ação com o Cristo. — Emmanuel (Ddl)Tx342
  39. O Espiritismo — renascença do Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo — é uma Doutrina Racional, sem quistos dogmáticos que lhe deformem o corpo de revelações simples e puras, brilhando por luminoso caminho de aperfeiçoamento das almas e assimilando, sem resistência, todas as conquistas filosóficas e cientificas da Humanidade. — Emmanuel (Pj)Tx347
  40. Somente no coração é que o Espiritismo pode realmente transformar a vida. — Emmanuel (Avr)Tx349
  41. Espiritismo, filhos, é luz, e é necessário que cada um daqueles que o abraçam procure brilhar, testemunhando a sua claridade. — Emmanuel (Avl)Tx358
  42. O Espiritismo com Jesus não é somente o corredor de acesso ao paraíso das consolações. Representa, acima de tudo, movimento libertador da consciência encarnada, oficina de instalação do Reino Divino no campo humano. — Emmanuel (Lnc)Tx368
  43. O Espiritismo, acima de tudo, é trabalho renovador, em cujo âmbito infinito cada servidor deve situar-se na tarefa que lhe é própria, aureolando-se com a responsabilidade que o encaminhará à bênção do serviço feito. — Emmanuel (Lnc)Tx368
  44. O Espiritismo começará a sua obra divina em cada homem, para afirmar-se iluminado e santificante no lar e na comunidade, ou então naufragaria no caos teórico a que se recolhem todas as escolas religiosas, filosóficas e científicas do passado, relegadas à sombra depois de atenderem à temporárias indagações do pensamento. — Emmanuel (Lnc)Tx368
  45. Espiritismo sem Evangelho sentido e vivido, no santuário íntimo de cada um, pode apresentar admirável movimento de ideias, todavia, sem alicerces de renovação do espírito para as realidades da vida. — Luiz A. C. Lacerda (Abs)Tx380
  46. O Espiritismo é a grande luz que se derrama em catadupas de bênçãos sobre a humanidade sofredora e atormentada (…) Prescindimos aqui do sacerdócio organizado porque individualmente cada companheiro oficia ao Supremo Senhor, no santuário de si mesmo; dispensamos o fausto do culto externo, porquanto, a veste do crente é a sua própria indumentária viva de sentimento edificante; não necessitamos de códigos preestabelecidos a legislarem sobre a nossa fé, porque a convicção de imortalidade nasce pura e sublime no livro de cada um de nós, expresso no coração com que amamos e vibramos dentro da vida. — Aires de Oliveira (Uej)Tx388
  47. O Espiritismo cria em nossa existência novos costumes e novos modos de ser. É a renovação da mente em Cristo, integrando-nos na verdade que nos fará livres, através da preciosa escravidão aos nossos deveres. — Emmanuel (Vec)Tx391
  48. O Espiritismo, se deixar de ser livre, deixará de ser Espiritismo. — Chico Xavier (Ecx)Tx428
  49. Muito breve, o homem estará ligado à glória da RELIGIÃO CÓSMICA, da Religião do Amor e da Sabedoria, que o CRISTIANISMO RENASCENTE, no Espiritismo de hoje, edificará para a Humanidade, ajustando-a ao concerto de bênçãos, que o grande porvir nos reserva. — Emmanuel (Cds)Tx437
  50. O Espiritismo, antes de tudo, representa luz no coração, bússola do sentimento, elevação moral do Homem. (…) Quantas vezes encontramos a afirmativa de que o Espiritismo, pela liberdade conferida aos seus operários, é um rebanho sem pastor? Diante dessa declaração de irmãos nossos, é preciso recordar que o nosso pastor é Jesus. — Bezerra de Menezes (Cxi)Tx447
  51. Rogo a vós que façais do Espiritismo Caridade, a bandeira de luz para todos os instantes da vida na Terra. — D. Meca (Cxi)Tx447
  52. Não nos esqueçamos de que o Espiritismo é Jesus que retorna ao convívio dos homens, através do Evangelho da redenção, reajustando-nos para os sagrados objetivos da vida. — Emmanuel (Vea)Tx452
  53. Espiritismo sem Evangelho é apenas sistematização de ideias para transposição da atividade mental, sem maior eficiência na construção do porvir humano. — Emmanuel (Oee4)Tx454
  54. Cultivar o Espiritismo, sem esforço espiritualizante, é trocar notícias entre dois Planos diferentes, sem significado substancial na redenção humana. — Emmanuel (Oee4)Tx454