Bible of the WayBíblia do Caminho  † Temática

Índice Página inicial Próximo Capítulo

Entes queridos desencarnados

 

TEMAS CORRELATOS
(Consultas espirituais) (Desencarnação) (Comunicação espírita) (Entes queridos) (Finados) (Intercâmbio) (Mensagens familiares) (Momento da morte) (Morte) (Pranto) (Saudade) (Vida espiritual)
(AFORISMOS)
 
  1. A dor maior — Chico Xavier
  2. À frente da morte [Idem] [Idem] — Emmanuel
  3. A poltrona dos antepassados (Re)
  4. A tarefa das cartas de consolação aos familiares — Chico Xavier
  5. A única possibilidade de influência dos trespassados sobre os encarnados — Maria João de Deus
  6. Aceitação e vida (cap. 8) — Margarida
  7. Afeições espirituais — Emmanuel
  8. Afetos que desafiam o tempo e a morte — Maria João de Deus
  9. AMOR E LUZ (2.ª Parte do livro) — Testemunhos de familiares que recepcionaram mensagens de seus entes queridos desencarnados
  10. Amor filial (Carta de um filho desencarnado à mãe querida que ficou na Terra) — Paulo
  11. Aniversário de luz (Dois anos de vida nova. A tentativa do comunicante de aparecer a seus entes queridos encarnados através da materialização ou da fotografia) — Carlos Augusto
  12. Anjinhos (Às mães) (Versos) — Casimiro Cunha
  13. Ante a morte violenta — Emmanuel
  14. Ante o Além [Idem] [Idem] [Idem] — Emmanuel
  15. Ante o mais Além (Aqueles que se afiguram mortos estão vivos. E todos os teus pensamentos, com respeito a eles, alcançam-lhes o espírito com endereço exato) — Emmanuel
  16. Ante os mortos (Quando a morte surge a ceifar-nos os entes caros) — Emmanuel
  17. Ante os que partiram (Reflexões em torno da Questão n.° 936 de “O Livro dos Espíritos”: “Como é que as dores inconsoláveis dos que sobrevivem se refletem nos Espíritos que as causam?”) — Emmanuel
  18. Aos meus filhos (O conhecido escritor se faz sentir como pai de família desencarnado, sem trair, todavia, sua grafia original) — Humberto de Campos
  19. Ausência e fé (Quando o amargo da ausência nos invade) (Versos) — Maria Dolores
  20. Auxílio aos desencarnados — Emmanuel
  21. Auxílio no Além — Emmanuel
  22. BASTÃO DE ARRIMO (Mensagens familiares de um filho reconhecido) — William Machado de Figueiredo
  23. Bilhete filial — Moacyr
  24. Bilhete maternal — Laurinda
  25. Carinho e reconhecimento (Carta de filha à querida mãe ainda encarnada) — Aparecida
  26. Carta a minha mãe [Idem] (Mensagem familiar de Humberto de Campos dirigida a sua mãe que ainda se encontrava encarnada) — Humberto de Campos
  27. Carta de irmão (dirigida a uma senhora que perdeu o marido) — Augusto Cezar
  28. COLHEITA DO BEM (Todo o livro) — Arthur Joviano (Neio Lúcio reencarnado)
  29. Comunicação com os seres que nos são caros — Respostas de Allan Kardec às seguintes indagações: Porque todas as mães que choram os filhos e ficariam felizes se com eles se comunicassem, muitas vezes não o podem? Porque a vista deles lhes é recusada, mesmo em sonhos, a despeito de seu desejo e de suas preces ardentes? (Re)
  30. Comunicações particulares (acerca dos entes queridos que se transferiram para o Mais Além) — Emmanuel
  31. Corações renovados (Como chegam os recém-desencarnados no Grande Além?) — Emmanuel
  32. Corações venerados — Emmanuel
  33. Correspondência de Além-túmulo (Re)
  34. Dádivas espirituais (aos irmãos que choram a ausência de seres amados) — Emmanuel
  35. Deliciosa excursão (Duas saudosas mães desdobradas pelo sono físico, excursionam a um recanto espiritual, onde reencontrariam os filhos desencarnados quando ainda crianças) — André Luiz
  36. Despedida materna (Soneto) — Maria de Moraes
  37. Depois da separação (Mensagem aos pais) — Carlos Augusto
  38. Depois da travessia (Mensagens de cunho familiar de Espíritos diversos e Luiza Xavier. Confira especialmente os caps. 1, 8, 9, 11, 20, 22, 29, 35, 37, 38, 68 da 1ª parte e toda a segunda parte, caps. 72 a 89)
  39. Discurso sobre a vida futura — William Ellery Channing, ministro protestante (Re)
  40. Do carinho paternal — Carlos
  41. Do coração materno — Laurinda
  42. Doce bilhete (aos queridos pais, para lhes comunicar a sobrevivência além-túmulo) — Itamar
  43. ELENCO DE FAMILIARES (Opúsculo) — Excertos doutrinários de autores diversos
  44. Eles estão vivos (Reflexões em torno da Questão n.° 525 de “O Livro dos Espíritos”: “Exercem os Espíritos alguma influência nos acontecimentos da vida?”) — Emmanuel
  45. Eles virão (Nossos inolvidáveis afetos que nos precederam na viagem da grande libertação) — Emmanuel
  46. Eles vivem (Eles não morreram. Estão vivos!) — Emmanuel
  47. Em desencarnando, encontra a alma os seres que amou e que partiram para o Além antes dela? [Idem] — Resposta de Emmanuel
  48. Em favor dos desencarnados (Meditação ante os que partiram) — Emmanuel
  49. Em plena renovação (Recomendações de uma filha desencarnada à querida mãe) — Aparecida
  50. Espíritos familiares (Cuidados necessários no intercâmbio com nossos familiares desencarnados) — Emmanuel
  51. Finados reencarnados (Versos) — Cornélio Pires
  52. Gratidão filial [Idem] — William
  53. Identidade dos Espíritos nas comunicações particulares (Re)
  54. Interação (com os seres queridos que nos antecederam na viagem para a Grande Renovação) — Bezerra de Menezes
  55. Lembrando Maria, nossa Mãe! — Zizinha
  56. Mãe, fita o céu (Soneto) — Vallado Rosas
  57. Mãe, não chore mais! — Antônio
  58. Mães que perderam filhos — Chico Xavier
  59. Mãe, estou aqui! — Sra. XXX (Re)
  60. Mamãe, fique comigo — Betinho (Meimei)
  61. Mensagem (de um pai amoroso) — Sabino
  62. MENSAGENS DE INÊS DE CASTRO (Todo o livro) — Caio Ramacciotti/Inês de Castro
  63. MENSAGEM DO PEQUENO MORTO (Experiência do menino Carlos, narrada por ele ao irmão Dirceu, com a gentil colaboração de Neio Lúcio) (o livro todo) — Neio Lúcio
  64. Mensagens familiares — Chico Xavier
  65. MILITARES NO ALÉM (Todo o livro) — Autores diversos
  66. Minha mãe, a grande consolação — Maria João de Deus
  67. Mortos amados  — Emmanuel
  68. Na viagem terrestre (Mensagem instrutiva e consoladora de filha desencarnada aos queridos pais) — Agar
  69. Nas leis do amor (A morte não separa os que se amam) — Emmanuel
  70. Não choreis (Soneto) — Antero de Quental
  71. Ninguém morre — Emmanuel
  72. No correio do coração (Conselhos de uma mãe desencarnada à filha bem-amada que deixou no mundo) — Isabel
  73. No grande adeus (dos entes amados que partiram para a Espiritualidade) — Emmanuel
  74. Os mortos vivem (Soneto) — Constâncio Alves
  75. Página do carinho filial — Raymundinho
  76. Páginas de saudade e ternura (de uma mãe desencarnada à querida filha) — Noêmia
  77. PÁGINAS DO CORAÇÃO (Todo o livro) — Cândida Pierrotti Knorich (Irmã Candoca)
  78. Perda de entes queridos (Lde)
  79. Perda de pessoas amadas. Mortes prematuras (Ev)
  80. Poesia e saudades entre dois mundos — Eduardo Carvalho Monteiro
  81. Preparação gradativa (A dor daqueles que perderam a companhia de seres queridos) — Emmanuel
  82. Recado de amigo (aos pais que solicitam em prece a palavra de filhos inesquecíveis desencarnados) — Bezerra de Menezes
  83. Recado de amor (Toda vida curta, ao brilhar e morrer, para quem ama e fica, ante o mundo a sofrer, é um recado de amor no correio dos Céus — História da garota Aurora) (Versos) — Maria Dolores
  84. Reencontro (A caridade é a ponte de intercâmbio com os entes queridos que nos antecederam na Espiritualidade) — Bezerra de Menezes
  85. Rejeição (Soneto) — Cornélio Pires
  86. RELAÇÃO DE MENSAGENS FAMILIARES nas obras de Francisco Cândido Xavier
  87. RESGATE E AMOR  (Todo o livro) — Hélio Ossamu Daikuara (Criança de 5 anos)
  88. Respondendo a uma carta (de uma mãe agoniada pela perda de entes queridos) — Humberto de Campos
  89. Ressuscitará (Interpretação da passagem de João 11.23: “Disse-lhe Jesus: Teu irmão há-de ressuscitar”) — Emmanuel
  90. Saudade — Emmanuel
  91. Saudade e Amor (ante as lembranças queridas dos entes amados que nos precederam na Grande Transformação) — Emmanuel
  92. Saudade, esperança e amor (Carta de um filho desencarnado à mãezinha querida) — Sylvinho
  93. SEMENTEIRA DE LUZ (Todo o livro) — Arthur Joviano (Mensagens psicografadas no período de 1935-1945 pelo Espírito de Neio Lúcio reencarnado [1862-1934] —  Este é o 1.º livro de Mensagens familiares)
  94. SEMENTEIRA DE PAZ — Arthur Joviano (Neio Lúcio reencarnado). Capítulos: 2, 6 a 13, 16 a 20, 22 a 33, 35 a 59, 61 a 65, 67 a 74, 76 a 78, 81 a 89, 91 a 93, 95 a 111)
  95. Sempre vivos — Meimei
  96. Senhorita Pauline M… (Exemplo da ligação entre os entes queridos desencarnados e seus familiares ainda encarnados) (Re)
  97. Sorte das crianças depois da morte (Estudos Espíritas)
  98. Súplica de filho (Soneto) — Luís Roberto
  99. Ternura e esperança (Missiva filial para redizer à mãezinha encarnada o seu carinho e a sua vigilância afetuosa) — Agar
  100. Tragédia oculta (O caso do amigo Edmundo Figueiroa e seu relacionamento com os familiares antes e depois de seu decesso) — Humberto de Campos
  101. Trovas de Homenagem (aos que se separaram pela morte) (Versos) — Autores diversos
  102. TUDO VIRÁ A SEU TEMPO — Elcio abraça os hansenianos (Todo o livro) — Elcio Tumenas
  103. Um irmão morto à sua irmã viva — Wilhelm
  104. Um rapaz no outro mundo — Augusto Cezar
  105. Vêm de Deus — Chico Xavier
  106. VIAGEM SEM ADEUS  (Todo o livro) — Cláudio Rogério
  107. Viveremos sempre — Emmanuel
  108. Vivos e mortos (Versos) — Cornélio Pires
  109. Volte, mamãe (Carta do filhinho desencarnado solicitando o reatamento dos pais separados) — Betinho
  110. Zoraide (Soneto) — Auta de Souza
OUTRAS REFERÊNCIAS AO TEMA
  1. Filhinhos desencarnados (Acv)
  2. Há, Chico, no Plano Espiritual, parques ou locais adequados para onde são conduzidas as crianças, após sua desencarnação? (Rea)
  3. Logo após a morte, o homem que se desprende do invólucro material pode sentir a companhia dos entes amados que o precederam no além-túmulo? (Ocs)
  4. Pensamento e saudade (Acv)
  5. Pergunta a Chico Xavier se o desenvolvimento na Vida Espiritual se processa mais rapidamente para aqueles Espíritos que desencarnam quando crianças (Rea)
  6. Somente pela prece a alma encarnada pode auxiliar um Espírito bem-amado que a antecedeu na jornada do túmulo? (Ocs)
  7. Vide a linda homenagem feita pelo jovem recém-desencarnado Romêro a seu pai no item 2 do 5º capítulo do livro Estamos vivos.
  8. Vide no artigo Reconhecemo-nos no CéuConsolações de Fócio, Patriarca de Constantinopla, aos pais desolados pela perda de algum filho. Palavras de Fénelon às viúvas dos Duques de Beauvilliers e de Chevreuse sobre os entes queridos que a morte ceifou.
 
AFORISMOS E CITAÇÕES
  1. Os antepassados e seus descendentes, espiritualmente considerados, são, às vezes, as mesmas figuras sob nomes vários, na árvore genealógica, obedecendo aos sábios dispositivos da lei de reencarnação. — Humberto de Campos (Bcm)Tx7
  2. Os bem-amados que nos precedem no túmulo vêm dar as boas-vindas aos que atingiram o último dia na Terra. — Emmanuel (Cad)Tx12
  3. Não será justificável a tristeza quando perdemos um ente amado?  (Bn)Tx15
  4. Enquanto choras o morto querido planta uma árvore benfeitora ou faze um gesto de caridade: tuas lágrimas, não terão de todo corrido inúteis. — Mariano (Ft)Tx46
  5. O mais belo culto aos mortos, || No pesar que te alanceia, || Será fazer da saudade || Lenitivo à dor alheia. — Isolino Leal (Tom)Tx102
  6. Os que rumaram para outros caminhos, além das fronteiras que marcam a desencarnação, também lutam e amam, sofrem e se renovam. Enfeita-lhes a memória com as melhores lembranças que consigas enfileirar e busca tranquilizá-los com o apoio de tua conformidade e de teu amor. Se te deixas vencer pela angústia, ao recordar-lhes a imagem; sempre que se vejam em sintonia mental contigo, ei-los que suportam angústia maior, de vez que passam a carregar as próprias aflições sobretaxadas com as tuas. — Emmanuel (Nee)Tx137
  7. Uma criança terna e inesquecível que retorna ao Mais Além, nos primeiros tempos da infância, quase sempre é um coração profundamente dedicado ao teu progresso espiritual que apenas regressou ao teu convívio doméstico, a fim de acordar-te, para as realidades da alma, através da saudade e da afeição. — Emmanuel (Ca)Tx180
  8. A dor dos que nos amam nos segue nos primeiros tempos do Além-Morte, qual se fosse uma sobretaxa de aflição, às vezes maior do que a própria aflição que nos toma o espírito inexperiente. — Henrique Emanuel Gregoris (Cv)Tx186
  9. Nunca haverá separação entre os que se amam… Deus não nos criaria para que nos perdêssemos uns dos outros. — Maria Helena (Fr)Tx205
  10. Quero apenas dizer que por aqui continuamos seres humanos, com suor e lágrimas, para comprar o progresso e a felicidade que aspiramos a encontrar. — Ivan (Evo)Tx206
  11. Por fios invisíveis de energia que não sei definir, o coração das mães possui profunda influência sobre os filhos, mesmo quando os filhos já se encontrem domiciliados aqui. — Elpídio (Evo)Tx206
  12. Nós, os que regressamos, não somos apenas portadores de notícias que poderiam ser retardadas. Somos braços que acenam a novos caminhos, mãos que esculpem novos mapas de trabalho, vozes de esperança e cartas de renovação. — Beto (Fiv)Tx220
  13. Ainda mesmo quando falemos em saudade e lágrimas, expressando-nos da Vida Nova, estamos pedindo coragem e fortaleza àqueles que amamos. A sensibilidade nossa pode estar ferida ou as nossas forças dilapidadas, mas, na essência, estamos edificando uma vida melhor, em que a ausência com a certeza do reencontro nos impele a renovar-nos para Deus, trabalhando e servindo cada vez mais. — Beto (Fiv)Tx220
  14. Aí se fala em muitos votos à memória dos mortos que não morreram, pois aqui, igualmente, renovamos compromissos de trabalho e aperfeiçoamento, a fim de aguardar o reencontro nosso com os valores diferentes que possamos acumular em nós para recebê-los um dia, com o respeito e a gratidão que lhes devemos. — Beto (Fiv)Tx220
  15. Recordem-me vivo e alegre como em nossos melhores dias. Que a nossa casa se abra à esperança e ao sol da alegria como sempre, porque houve para mim abençoada ressurreição. — Edison Roberto (Rtc)Tx256
  16. O sofrimento com a fé em Deus transformará nosso pranto em vinho celeste! — William (Bda)Tx264
  17. A vida triunfará e o nosso amor é tão grande que ele em sua grandeza já triunfou brilhantemente da morte para resplandecer em plena vida. — William (Bda)Tx264
  18. Mãe que chora um filho morto || Nos mais íntimos refolhos || É a face do desconforto || Com duas fontes nos olhos. — Mariana Luz (Sdl)Tx294
  19. Das provocações que há no mundo, || O máximo desconforto || É ver qualquer mãe que chora || A ausência de um filho morto. — Targélia Barreto (Rdl)Tx312
  20. Pensamento e saudade. — Margarida (Acv)Tx322
  21. Filhinhos desencarnados. — Margarida  (Acv)Tx322
  22. Não é a morte do corpo essa tragédia com que tanta gente no mundo busca ideá-la. Não. Não sejamos ingratos, perante Deus. A saudade existe, a dor é uma realidade, a aflição tem vida própria, a lágrima é a nossa companheira de caminhada, mas se a fé brilha no coração tudo isso é experiência. — José Luiz (Pa)Tx344
  23. Estamos desencarnados, mas não desvinculados, porque o amor é um laço de luz que nos prende uns aos outros, libertando-nos ao mesmo tempo pelas ideias novas que nos insufla. — Juraci (Pa)Tx344
  24. A desencarnação pode ser vida nova, mas não é distância e, pelo coração, prosseguiremos unidos. — André Rogério (Aof)Tx355
  25. Os mortos não existem. Estamos vivos de outro modo. — Solange (Avm)Tx356
  26. Ampara aos desencarnados || Na oração que os reconforte, || O amor dos entes amados || É socorro, além da morte. — Noel de Carvalho (Ta)Tx372
  27. A união do amor na morte || É tanta que não se explica; || O coração de quem vai || Passa ao peito de quem fica. — Cornélio Pires (Tv)Tx412