Bible of the WayBíblia do Caminho  † Temática

Índice Página inicial Próximo Capítulo

Doutrina Espírita

 

Doutrina codificada por Allan Kardec

 

 

TEMAS CORRELATOS
(Allan Kardec) (Cânon Espírita) (Centros, grupos e sociedades espíritas) (Crença) (Credo Espírita) (Espírita) (Espiritismo) (Espiritismo retrospectivo) (Pentateuco kardequiano)
(AFORISMOS)
 
  1. A Doutrina Espírita e as Religiões Cristãs I — Chico Xavier
  2. A Doutrina Espírita e as Religiões Cristãs II — Chico Xavier
  3. A Doutrina Espírita e as religiões tradicionais [Idem] I — Chico Xavier
  4. A Doutrina Espírita e as religiões tradicionais II — Chico Xavier
  5. A Doutrina Espírita e o Evangelho (Estudos Espíritas)
  6. A escola espírita americana (Porque a Doutrina Espírita não é a mesma no antigo e no novo continente?) (Re)
  7. À Guisa de Prefácio (ao livro “Chico Xavier: O Primeiro Livro”) — Pelo Espírito João
  8. A mensagem maior vivida com Jesus e Kardec (Divulgação doutrinária e unificação) — Entrevista Chico/Emmanuel
  9. A rigor (Muitos conceitos usuais são restaurados ou corrigidos pela Doutrina Espírita) — André Luiz
  10. A tarefa da doutrina — Emmanuel
  11. A vida e nós (Visão espírita da Criação) — Emmanuel
  12. Aliança espírita (Aliança das sociedades espíritas para salvaguardar a pureza e a simplicidade dos nossos princípios) — Emmanuel
  13. Ante a Doutrina Espírita — Barros Fournier
  14. Ante o Centenário (da Codificação Kardequiana) — Emmanuel
  15. Ante os pioneiros (do movimento espírita) — Batuíra
  16. Autoridade da Doutrina Espírita (Ev)
  17. Autoridade da Doutrina Espírita (Re)
  18. Caminho espírita — Emmanuel
  19. Caracteres da revelação espírita (Re)
  20. Celebrando o centenário — Irmão X
  21. Com Jesus e por Jesus (Abracemos a Codificação Kardequiana, prosseguindo para a frente, com Jesus e por Jesus) — Emmanuel
  22. Companheiros da Doutrina (Versos) — Casimiro Cunha
  23. Comparemos a Doutrina Espírita a uma grande empresa — Chico Xavier
  24. Controle do ensino espírita (Re)
  25. Credo Espírita (Princípios fundamentais da fé espírita) — Allan Kardec
  26. De atalaia (Pela manutenção da pureza dos princípios kardecistas) — Irmão X
  27. Diálogo Fraterno (“Elitização” e pureza doutrinária) — Entrevista Chico/Emmanuel
  28. Divulgação da Doutrina (através das telenovelas) — Emmanuel
  29. Doutrina consoladora (Versos) — Eurícledes Formiga
  30. Doutrina democrática — Chico Xavier
  31. Doutrina e aplicação — Bezerra de Menezes
  32. Doutrina-escola [Idem] (O Espiritismo é a religião natural e dinâmica da consciência) — Emmanuel
  33. Doutrina Espírita — André Luiz
  34. Doutrina Espírita (“Espírita” deve ser o teu caráter, tua conduta, o nome de teu nome e o claro adjetivo de tua instituição) — Emmanuel
  35. Em toda a linha (Do testemunho de fidelidade à Doutrina dos Espíritos) — Emmanuel
  36. Em torno do porvir (Interpretação da passagem de Marcos 16.15: “Ide por todo o mundo e pregai o Evangelho a toda criatura”) — Emmanuel
  37. Espiritismo explicando (É necessário valorizar a Doutrina que, generosamente, nos valoriza) — Emmanuel
  38. Espiritismo ou Doutrina Espírita: Conceito e objeto I (Estudos Espíritas)
  39. Espiritismo ou Doutrina Espírita: Conceito e objetivo II (Estudos Espíritas)
  40. ESTUDOS SISTEMATIZADO E APROFUNDADO DA DOUTRINA ESPÍRITA (Estudos Espíritas)
  41. Estudo na parábola (A necessidade da divulgação da Doutrina) — Irmão X
  42. Estranho delito (o de Jesus Cristo. A perseguição aos adeptos da Doutrina Espírita que lhe revive os ensinamentos) — Emmanuel
  43. Expliquemos (Em Doutrina Espírita, é preciso estudar e aprender, entender e explicar) — Emmanuel
  44. Falsos irmãos e amigos inábeis (Movimentos para entravar o avanço da Doutrina Espírita) (Re)
  45. Fenômeno e Doutrina — Emmanuel
  46. Introdução ao estudo da Doutrina EspíritaPartes I, II, III, IV, V, VI, VII, VIII, IX, X, XI, XII, XIII, XIV, XV, XVI, XVII (Lde)
  47. Luz gloriosa (Soneto) — Augusto dos Anjos
  48. Médium e Doutrina — Emmanuel
  49. Mediunidade e Doutrina — André Luiz
  50. Mensagem de Adelino Lemos [Idem] aos confrades de seu Grupo Espírita —  Adelino Lemos
  51. Mensagem no III Congresso Espírita Mineiro — Emmanuel
  52. Metodologia e critérios utilizados na Codificação Espírita (Estudos Espíritas)
  53. Na rota de luz — Barros Fournier
  54. Na seara espírita (Estudo da epístola de Paulo 1 Coríntios 12.27: “Ora, vós sois do Cristo e, individualmente, membros desse corpo”) — Emmanuel
  55. Não tanto… (Algumas legendas nas quais se cometem muitos enganos em nome do Espiritismo) — Emmanuel
  56. Nem castigo, nem perdão [Idem] (Conceitos fundamentais da existência renovados pela Doutrina Espírita) — André Luiz
  57. Obras básicas (Estudos Espíritas)
  58. O aspecto religioso da Doutrina — Chico Xavier
  59. O Cristo está no leme (“Não se preocupem. Meimei e eu [José Xavier] gravamos a palavra do benfeitor que esteve entre nós, de passagem. Reúnam-se em silêncio e o médium poderá ouvi-la de nossa máquina, fixando-a no papel”) — Bittencourt Sampaio
  60. O sublime triângulo (Ciência, a Filosofia e a Religião) — Emmanuel
  61. O tríplice aspecto da Doutrina Espírita (Estudos Espíritas)
  62. Palavras de Chico — O próprio
  63. Perante a Codificação Kardequiana — Emmanuel
  64. Pergunta contra pergunta (O diálogo de Leopoldo Cirne com elegante senhora que estava achando difícil praticar a Doutrina Espírita) — Hilário Silva
  65. Poesia da adulteração (do Evangelho): O envolvimento das trevas — O Evangelho e o mundoA ceia dos cardeais — J. Herculano Pires
  66. Pontos principais da Doutrina Espírita (Estudos Espíritas)
  67. Práticas estranhas (Deve-se aceitar a enxertia de práticas estranhas à simplicidade da Doutrina Espírita?) — André Luiz
  68. Serás fiel (Fidelidade à Doutrina do Cristo) — Emmanuel
  69. Serviço urgente (O aperfeiçoamento em nós mesmos com o aproveitamento da educação que a Doutrina Espírita nos proporciona) — Emmanuel
  70. Se trabalharmos (Não nos é lícito negar a existência de faltas, conflitos, fraquezas, negações, tentações, omissões, empeços e provas na área bendita de ação em que a Doutrina Espírita foi trazida a operar) — Batuíra
  71. Sinceramente (Do zelo à pureza doutrinária) — Irmão X
  72. Solução de alguns problemas pela Doutrina Espírita (Qe)
  73. Pontos principais da Doutrina Espírita (Estudos Espíritas)
  74. Projeto 1868 (Op)

    Estabelecimento central (2)

    Ensino espírita (3)

    Publicidade (4)

    Viagens (5)

  75. Tríplice aspecto da Doutrina Espírita (Estudos Espíritas)
OUTRAS REFERÊNCIAS AO TEMA
  1. Doutrina Espírita W
  2. Palestras de Haroldo Dutra Dias: No 3º Congresso Espírita Brasileiro em Brasilia/DF. Tema: Interpretação evangélica e filosófica da Doutrina Espírita por Emmanuel (Publicado em 21 de janeiro de 2011) - Doutrina Espírita e Evangelho - Parte 1/2 (Publicado em 18 de novembro de 2015) - Doutrina Espírita e Evangelho - Parte 2/2 (Publicado em 19 de novembro de 2015)
  3. Poderemos considerar a Doutrina Espírita como uma Revelação? (v. artigo: Da revelação) (Re)
  4. Vide § 51-53 no artigo Caracteres da Revelação Espírita:

    Da necessidade de um centro coordenador dos elementos da revelação espírita.

    Porque foi necessário esse centro comum de elaboração da Doutrina e como surgiu.

    A dupla corrente de ideias dando origem à unidade doutrinária do Espiritismo. Vide também Nota de rodapé n.° 7: Refutação às alegações de tendência para o absolutismo e para a autocracia dos princípios formulados por Allan Kardec.

  5. Vide item 1 do artigo A geração espontânea e a gênese:

    Razão pela qual nenhuma das bases que constituem a Doutrina Espírita tenha recebido desmentido oficial da ciência e porque os princípios do Livro dos Espíritos nenhum caiu em desuso.

    Aos que acham que Allan Kardec deveria avançar mais depressa ou mais devagar no estabelecimento dos princípios da Doutrina Espírita.


 

A Doutrina Espírita ou o Espiritismo tem por princípio as relações do mundo material com os Espíritos ou seres do mundo invisível. Os adeptos do Espiritismo serão os espíritas, ou, se quiserem, os espiritistas. — Allan Kardec (Lde)

 


Pureza doutrinária: Os adeptos da Doutrina Espírita possuem um grande acervo de livros genuinamente espíritas (v. Canon Espírita), que lhes fornecem uma terminologia específica para expressarem-se em nome do Espiritismo. Qualquer nomenclatura utilizada por aqueles que fazem uso da palavra falada ou escrita concernente à Doutrina Espírita e que não conste dos Testamentos Kardequiano e Xavieriano deve ser considerada espúria e um desserviço à causa do Espiritismo Cristão. KJ.

 
AFORISMOS E CITAÇÕES
  1. Doutrina fundada sobre a crença na existência dos Espíritos e em suas manifestações. — Allan Kardec (Ldm)
  2. A Doutrina Espírita não consiste apenas na crença nas manifestações dos Espíritos — mas em tudo quanto estes nos ensinam sobre a natureza e o destino das almas. — Allan Kardec (Re)
  3. Apenas nos fatos é que se pode assentar uma teoria sólida; fora disto só haverá opiniões e sistemas. Os fatos são argumentos sem réplica, cujas consequências, mais cedo ou mais tarde, quando constatados, terão que ser aceitas. Foi este princípio que serviu de base à Doutrina Espírita, o que nos leva a dizer que ela é uma ciência de observação. — Allan Kardec (Re)
  4. Toda a vitória da Doutrina tem de começar no coração. Sem o selo da renovação interior, qualquer tentativa de reforma constitui um caminho para novas desilusões. — Pedro Richard para Humberto de Campos (Cat)Tx5
  5. A Doutrina Espírita, em seu primeiro século, assemelha-se, de algum modo, à árvore robusta espalhando ramaria, flores, frutos e essências, em todas as direções.  Que princípios afins se lhe instalem nos movimentos, à maneira de aves tecendo ninhos transitórios nos galhos de tronco generoso, é inevitável; contudo, que os lavradores do campo lhe devem fidelidade e carinho, para que as suas raízes se mantenham puras e vigorosas, é outra proposição que não sofre dúvida. — Emmanuel (Sdm)Tx74
  6. Doutrina Espírita, na essência, é universidade de redenção. — Emmanuel (Sdm)Tx74
  7. Se a Doutrina Espírita dilata o entendimento da vida, amplia a responsabilidade da criatura. — André Luiz (Oev)Tx76
  8. Na Doutrina Espírita, sem pompas de culto externo e sem rituais de qualquer procedência, somos chamados à fé, capaz de encarar a razão face a face. — Emmanuel (Jdn)Tx77
  9. A Doutrina Espírita vem até nós para que as grandes palavras do Cristianismo sejam traduzidas em grandes ações. — Albino Teixeira (Ie)Tx82
  10. A Doutrina Espírita é código de princípios trazidos ao mundo pelos mensageiros do Cristo, objetivando a restauração do Evangelho. — Emmanuel (Oe)Tx85
  11. Sem nenhuma pretensão de natureza política, a Doutrina Espírita funciona, atualmente, no campo religioso da Humanidade, por mecanismo providencial de alertamento, induzindo-nos ao concurso natural e espontâneo na edificação do bem comum. — Emmanuel (Eev)Tx93
  12. Quem recebe uma fé raciocinada para o coração e para a cabeça, qual acontece na Doutrina Espírita ajustada ao Evangelho de Jesus, adquiriu o mais alto instrumento que se pode obter do mundo para construir em si mesmo a elevação do próprio destino. — Albino Teixeira (Ce)Tx98
  13. A Doutrina que nos congrega, em sua bandeira de paz, não resume tão somente um feixe de princípios filosóficos e religiosos, induzindo-nos a simples predicação. É programa avançado de serviço aos nossos semelhantes, convocando-nos aos mais altos testemunhos de boa vontade na aplicação do Evangelho Redentor. — Camilo de Mattos (Tl)Tx129
  14. Doutrina é planta que pega || Dando colheita de paz, || Mas fruto do que se prega || Só vem de quanto se faz. — José Nava (Rca)Tx138
  15. Doutrina Espírita não é uma legenda de simples convicção. É apelo ao serviço de nosso próprio burilamento, escala de perfeição, oficina de luta, campo de bênção… — Servílio (Vi)Tx305