Bible of the WayBíblia do Caminho  † Temática

Índice Página inicial Próximo Capítulo

Centros, grupos e sociedades espíritas

Blue bar

 

TEMAS CORRELATOS
(Concentração) (Conversão) (Divulgação) (Doutrina Espírita) (Espiritismo) (Equipe) (Instituições) (Reunião) (Tarefa) (União)
 
  1. A benfeitora oculta — Meimei
  2. A Sociedade Espírita de Paris aos espíritas da França e do estrangeiro (Re)
  3. A tarefa recusada (O estabelecimento de tarefa curativa num agrupamento doutrinário) — Irmão X
  4. Abençoa, Senhor! (Soneto) — Auta de Souza
  5. Adeus Grupo (Como acabar com um Grupo espírita) — Hilário Silva
  6. Aliança espírita (Aliança das sociedades espíritas para salvaguardar a pureza e a simplicidade dos nossos princípios) — Emmanuel
  7. Ao “Aliança do Divino Pastor” [Idem] Orientação ao Grupo Espírita — Emmanuel
  8. Bichinhos (Conflitos internos em instituição espírita) — Irmão X
  9. Como erguer um templo espírita — Emmanuel
  10. Conflitos no Centro Espírita — Chico Xavier
  11. Das sociedades propriamente ditas (Ldm)
  12. Diretrizes aos obreiros do Grupo Espírita Regeneração — Bezerra de Menezes
  13. Diretrizes individuais nos grupos — André Luiz
  14. Dolorosa confissão (do responsável por uma instituição espírita nas terras de Minas Gerais) — A. J. C. I.
  15. Entre irmãos (Um tipo de beneficência indispensável ao êxito nas tarefas de grupo: o entendimento entre os companheiros) — Emmanuel
  16. Espíritas, meditemos (sobre as finalidades do templo espírita) — Emmanuel
  17. Fundação da Sociedade Espírita de Paris (Op)
  18. Grupo em crise (Interpretação da passagem de João, 15.7: “Se permanecerdes em mim e as minhas palavras permanecerem em vós, pedireis o que quiserdes, e vos será feito”) — Emmanuel
  19. Grupo espírita — Batuíra
  20. Grupo no grupo — Albino Teixeira
  21. História do Grupo Meimei — Eugênio Eustáquio dos Santos
  22. Ideias (Um caso ocorrido com Otávio Pereira que presidia simpática associação espiritista) — Irmão X
  23. Instrução espírita (Escola benemérita, o templo espírita é um lar de luz, aberto à instrução geral) — Emmanuel
  24. Luz, amor e caridade (Soneto) — João de Deus
  25. Mensagem ao Grupo “Hadajed” — André Luiz
  26. Mensagem de Adelino Lemos aos confrades de seu Grupo Espírita [Idem] — Adelino Lemos
  27. Mensagens psicografadas há 53 anos (pelo moço Chico Xavier, jovem de 29 anos de idade, escondendo-se na sua modéstia. Mensagens de Emmanuel e de João de Deus)
  28. No Grupo Espírita — Emmanuel
  29. No Grupo da Fraternidade — André Luiz
  30. Nosso grupo [Idem] — André Luiz
  31. Nova Constituição da Sociedade de Paris (Re)
  32. Nova Sociedade Espírita de Bordeaux (Re)
  33. O Centro Espírita I — Chico Xavier
  34. O Centro Espírita II — Chico Xavier
  35. O Centro Espírita III — Chico Xavier
  36. O Centro Espírita IV — Chico Xavier
  37. O Centro Espírita — Emmanuel
  38. O Centro Espírita: conceitos, objetivos e atividades básicas (Estudos Espíritas)
  39. O Grupo Espírita Regeneração e os seus compromissos — Bezerra de Menezes
  40. O grupo perfeito — Irmão X
  41. O grupo reajustado — Irmão X
  42. Os companheiros na formação de um Grupo Espírita — Chico Xavier
  43. Oração (Depois de proferir a prece, o benfeitor espiritual dirige sentido apelo ao grupo por ocasião da inauguração de nova casa de trabalho) — Emmanuel
  44. Oração no Templo Espírita — Maria Dolores
  45. ORIENTAÇÃO AO CENTRO ESPÍRITA (Federação Espírita Brasileira)
  46. Regulamento da Sociedade Parisiense de Estudos Espíritas (Ldm)
  47. Reuniões e Sociedades Espíritas (Ldm)
  48. Rivalidades entre as sociedades (Ldm)
  49. Papel da Sociedade de Paris — Sanson, antigo membro da Sociedade de Paris
  50. Prece de amor (em nosso templo de oração) — Scheilla
  51. Prece no templo espírita — Emmanuel
  52. Primeira ata: Primeira ata da reunião de estudos na segunda sede do Centro Espírita Luiz Gonzaga (Assinada por Francisco Xavier — Secretário)
  53. Princípio vital das Sociedades Espíritas (Re)
  54. Projeto de regulamento para o uso de Grupos e pequenas Sociedades Espíritas (Sugestão de um modelo estatutário)
  55. QUEDA E ASCENSÃO DA CASA DOS BENEFÍCIOS (o livro todo) — Bezerra de Menezes
  56. Sobre a formação de Grupos e Sociedades espíritas (Ve)
  57. Sobre o uso de práticas exteriores de cultos nos Grupos (Ve)
  58. Sociedade de estudos espíritas — Emmanuel
  59. Sociedade Espírita de Paris (Discurso de abertura do sétimo ano social, a 1.° de abril de 1864) (Re)
  60. Sociedade Espírita no século XVIII (Re)
  61. Sociedades espíritas (Qe)
  62. Sociedade Parisiense de Estudos Espíritas (Anúncio da fundação da SPEE em Paris a 1.° de abril de 1858) (Re)
  63. Taça de água fluidificada (Orientação a um grupo de amigos que estava inaugurando sua nova sede de trabalhos espirituais) — Bezerra de Menezes
  64. Templos espíritas — Albino Teixeira
  65. Um templo de orientação kardecista — Chico Xavier
OUTRAS REFERÊNCIAS AO TEMA
  1. Centro espírita W
  2. Considerações sobre o objetivo e o caráter da Sociedade Parisiense de Estudos Espíritas.
  3. Face o crescimento das Juventudes e Mocidades espíritas, onde cada jovem deve ter sua tarefa de serviço, não seria de bom alvitre que todos os Centros Espíritas organizassem as Escolas de Moral Cristã para as crianças? (Ent)
  4. Vide o item 3 do artigo “Votos de Boas-Festas”: Aconselhamentos
  5. Vide A guerra surda: Erasto falando sobre o período de luta do Espiritismo, aborda a questão da dissidência nos Grupos
  6. Vide item 2 do artigo Inauguração de vários Grupos e Sociedades Espíritas nos comentários de Allan Kardec: Toda reunião espírita que não se fundar sobre o princípio da verdadeira caridade será mais prejudicial que útil à causa.
  7. Vide item 2 do artigo O Espiritismo na Bélgica (Honrosas menções ao Grupo Espírita de Douai: É um Grupo familiar, onde a Doutrina Espírita Evangélica é praticada em toda a sua pureza)
  8. Vide item 13 no artigo Partida de um adversário do Espiritismo para o mundo dos Espíritos:

    Das flutuações nas Sociedades ou reuniões espíritas.

    O futuro do Espiritismo está em seu mesmo princípio, princípio imperecível, porque está na Natureza e não nas reuniões.

    As Sociedades são úteis, mas nenhuma é indispensável…

    As Sociedades sérias e bem dirigidas são, sobretudo, úteis para neutralizar a má impressão daquelas onde o Espiritismo é mal apresentado ou é desfigurado.

  9. Vide item 5 no artigo Olhar reprospectivo sobre o movimento espírita: Da formação de pequenos Grupos.
  10. Vide no cap. 22 do livro Colheita do bem: “Quanto aos programas do centro de Pedro Leopoldo, não suponham vocês que nos apossaremos dele tão somente depois da inauguração de suas paredes materiais. Desde o primeiro dia que marcou a determinação do local com os termos de aquisição e escritura, já nos achamos em tarefa viva por delinear-lhe os “contornos espirituais” com vistas aos nossos objetivos. Para lá já foram transferidos todos os serviços de assistência imediata a irmãos perturbados e sofredores, e nos mil e quinhentos metros quadrados de terra, dedicados aos fins a que nos reportamos, temos instalações fluídicas, mas tão sólidas quanto às de vocês, funcionando em ação socorrista.”