O Caminho Escritura do Espiritismo Cristão
Doutrina espírita - 2ª parte.

Índice | Página inicial | Continuar

Vereda de luz — Autores diversos


4

Espírita n

1 Companheiro de rudes pés sangrentos
Guarda no peito atribulado e aflito
As visões que percebes no Infinito,
Alvoradas, estrelas, firmamentos…


2 Segue calando os trágicos lamentos
Do coração chagado, ermo e proscrito,
Mas ergue a luz por templo de teu rito
Entre os muros terrestres, desatentos!


3 Sem dourado bastão para teus sonhos,
Transpõe, gemendo, os vórtices medonhos
Das sendas abismais para o futuro.


4 E deixarás no pranto de teus rastros
O caminho celeste para os astros
E a vitória divina do amor puro.


Cruz e Souza



[1] Esse soneto foi publicada originalmente em 1972 pela LAKE e é a 40ª lição do livro “Através do Tempo.” — Esse capítulo foi restaurado: Texto do livro impresso.


Texto extraído da 1ª edição desse livro.

Abrir