Bíblia do CaminhoTestamento Xavieriano

Índice Página inicial Próximo Capítulo

Tão fácil — Autores diversos


Prefácio

1 Leitor amigo,

Questionados por vários amigos sobre o que temos efetuado para demonstrar a sobrevivência do Espírito além da morte, fomos constrangidos a destacar a nossa insignificância e afirmar que de nós mesmos, pessoalmente, muito pouco nos foi concedido fazer, conquanto o nosso desejo de colaborar na Causa da Espiritualidade.

2 Lembramo-nos, porém, de que devotados amigos muito realizaram, a nosso ver, nesse sentido.

3 Permitir-nos-á o leitor esclarecer que, em 1931, tempo em que assumimos a tarefa de orientar a mediunidade do companheiro Xavier, diversos eventos assinalaram o esforço dos obreiros desencarnados, no sentido de entregar aos homens as mensagens da Imortalidade.

4 Primeiramente, vieram os poetas com o livro “Parnaso de Além-Túmulo”; em seguida, comparece, em nossa oficina de serviço, o escritor desencarnado Humberto de Campos, consagrado cronista da literatura brasileira, tão autêntico e espontâneo, que foi compelido a substituir o próprio nome pelo de Irmão X; veio, logo após, André Luiz, produzindo páginas expressivas, notadamente dedicadas aos estudiosos da alma e da vida; escritores vieram até nós com o livro “Falando à Terra”; jovens desencarnados trouxeram-nos, com autenticidade incontestável, volumes dos mais respeitáveis, traçando o perfil e as impressões deles no Mais Além; e outros mensageiros se manifestaram com o mesmo propósito de evidenciar a sobrevivência, salientando-se Hilário Silva, Meimei e Maria Dolores.

5 Até hoje, decorrido mais de meio século, ao lado de opiniões honrosas e comovedoras, aparecem estudos menos felizes, dúvidas, exigências e controvérsias.

6 Há tempos, no entanto, surgiu-nos pela frente o poeta e humorista Cornélio Pires, endereçando-nos curiosa observação:

— “Provar a sobrevivência e a identificação autoral, depois da morte do corpo? Isso é tão fácil. Conceda-nos uma oportunidade mais extensa a nós, os trovadores da reflexão e do bom humor e traremos igualmente a nossa contribuição”.

7 Desse encontro nasceram os volumes de trovas sábias e brejeiras que entregamos aos companheiros do Plano Físico.

8 Através do que expomos, compreenderá o amigo leitor que temos aqui mais um livro dos trovadores humoristas que nos honram com o trabalho de que se fazem portadores.

9 E, ao receber-lhes a companhia, rogamos a Jesus, o nosso Divino Mestre, nos abençoe, a todos eles e a nós.


.Emmanuel


Uberaba, 26 de janeiro de 1985.


Citação parcial para estudo, de acordo com o artigo 46, item III, da Lei de Direitos Autorais.

.

Abrir