Bíblia do CaminhoTestamento Xavieriano

Índice Página inicial Próximo Capítulo

Sementeira de luz — Mensagens familiares do Prof. Arthur Joviano (Neio Lúcio) e outros


189


Não se atormente diante de tão pouco

04|07|1945


1 Meus filhos, Deus abençoe a vocês, conferindo-lhes muita saúde, paz e luz divina.

2 Consagrei o dia de hoje ao José, na prova de reparação que lhe fere o coração de pai.  n É natural que ele sofra. A criança é extremamente ligada ao seu coração e a sua visita ao lar dele durante a existência curta representa algo de muito significativo para a sua evolução. O tempo esclarecerá todos os problemas. Esperemos a passagem dos anos.

3 Foi muito útil o tratamento antidiftérico nas outras crianças. Estamos acompanhando as ocorrências, prestando os serviços no setor em que lhes podemos ser úteis.

4 Você, Rômulo, disse bem quando asseverou que um acontecimento como esse tem sempre uma fileira de outros acontecimentos em relação ao passado. O romance da redenção é divino e o drama da evolução é eterno. Caminhemos tranquilos pela confiança na Providência Divina.

5 Peço a você, meu filho, não conservar no coração os resíduos da luta mental dos dias últimos. Não se atormente diante de tão pouco. No serviço de um homem, e ainda mais de um homem chamado à responsabilidade da mordomia, os atritos de opinião constituem alguma coisa de inevitável. O que não seria justo seria fugir perante os seus companheiros, ocultando o que você sentia, em verdade, no coração e no espírito. O problema da indignação justa foi previsto no Evangelho, quando Jesus encontra a casa de oração do Pai convertida em mercado de negociantes ávidos de ganho fácil. (Mt)

6 Eles, os sacerdotes, e Jesus guardavam estreitos pontos de contato. O Mestre trazia o pensamento novo da renovação evangélica. No entanto, naquele momento, só a Lei os identificava uns com os outros. Mesmo assim, porém, o Cristo não ocultou o que sentia e, embora lhe doesse separar-se dos que defendiam a Lei antiga, considerou a necessidade do esclarecimento com a sua clara explicação dos fatos. 7 Não falo aqui como pai, que se arvora em advogado sentimental, mas na qualidade de companheiro de luta e de amigo sincero. Assim digo, porque, interpretando você o serviço que lhe foi confiado, como edificação espiritual, da mais alta importância, não consegue harmonizar-se com os colegas que traduzem o trabalho como filão de vantagens e facilidades pessoais. Creia que essa característica de seu espírito será acentuada cada vez mais. À medida que se efetue a sua iluminação espiritual mais intensa, mais dificuldade experimentará você nesse campo de interesses materiais. Não tenha dúvida. 8 A sensibilidade do discípulo do Evangelho é diferente do sentimentalismo do mundo em geral. Não sofre pela incompreensão que sofre de outrem e sim pela incompreensão com que os outros encaram o bem geral. É aí que você encontrará uma série de lutas, cada vez mais árduas, porque na esfera dos negócios materiais da época tudo tende à supremacia, não dos mais eficientes, mas dos mais hábeis. Digo “hábeis” porque não podemos apelidar os nossos amigos de oportunistas ou desonestos. São hábeis, porquanto ainda não alcançaram a iluminação além do raciocínio. São pessoas de ideias prontas, desejosas de se impor ao senso dos demais. É situação da época e esses caracteres são frutos do tempo calamitoso que a humanidade atravessa, a caminho de grandes renovações. Você sabe que uma casa velha, para ser restaurada, precisa acentuar a decadência e precipitar-se.

9 A civilização do momento é essa casa velha. Para reconstruí-la, é necessário que os fenômenos dessa ordem se verifiquem. Confie, pois, no seu trabalho e prossiga. Na verdade, seria útil não contender o nosso coração com pressa alguma. Entretanto, vocês ainda são habitantes da esfera onde a luta é “pão de cada dia para a alma”. Sorrir sempre não é acertado nos caminhos que cruzam. Só o indiferente pode alcançar a impassibilidade e só os homens excessivamente velhacos afirmam que já se realizaram. Os espíritos sinceros conhecem a extensão do trabalho e entregam-se a ele, conscientes de que permanecem num curso, onde há muita matéria a ser aprendida e muita experiência a conhecer. De outro modo, a liberdade espiritual seria um mito e o tempo deixaria de ter qualquer significação. Se o salvacionismo do mundo dependesse apenas da proteção de Jesus, a Terra desde muito seria um paraíso!

10 Agora, meus filhos, deixo-lhes o meu boa noite! Depois continuarei. Preciso ver o José e os filhos. Não devo demorar-me. Que Deus os abençoe. Deixa-lhes um abraço o papai que não os esquece,


A. Joviano



[1] Nota da organizadora: José era filho de criação de Arthur Joviano e Francisca. Desde muito cedo começou a trabalhar com Rômulo na Fazenda.


Citação parcial para estudo, de acordo com o artigo 46, item III, da Lei de Direitos Autorais.

.

Abrir