Bíblia do Caminho Testamento Xavieriano

Sementeira de luz — Mensagens familiares do Prof. Arthur Joviano (Neio Lúcio) e outros


123


A Bíblia divina da natureza

30|09|1943


1 Meu caro Rômulo, que Deus abençoe a você, fortalecendo o seu espírito nos serviços de cada dia. Cumprimento a você, meu filho, pelas boas disposições espirituais e físicas. A vontade daqueles que de- sejam atender à Vontade Divina constitui elemento vital de garantia no caminho da realização. Em sua viagem, estive ao seu lado diversas vezes, conversando mentalmente com você e, graças ao Pai, não faltaram recursos aos passes que venho aplicando como “específicos paternais”. Estou satisfeito, identificando as suas melhoras. O problema da Terra, meu caro Rômulo, é problema de amor, de compreensão, de vida. Você faz bem meditando-lhe a grandeza. 2 Nunca nos cansemos de ler a Bíblia divina da natureza. Cada folha das árvores é uma letra, cada trecho da terra, um capítulo, cada animal, cada flor, uma gravura ilustrativa. Quantos homens se esfalfam procurando resolver incógnitas e questões insolúveis para os dias que correm empulhando bruxuleantes candeias da cultura  humana? Não sabem eles que o Pai renova a lição em cada  alvorada e abre os tesouros da natureza a todos os filhos,  indistintamente. 3 Quando a alma começa a sair de si própria,  atravessando planícies e montes próximos, auscultando árvores e passarinhos, tentando compreender os impulsos dos animais distantes de nossos planos evolutivos, é sinal de que vai deixando a velha concha para atirar-se à grande liberdade luminosa e divina, na experiência, a pleno céu, sentindo a bondade do Senhor do Universo. Isto não é fazer poesia, é amar profundamente a vida e compreender-lhe a abundância de tesouros. Continue, pois, seu trabalho! Cada um de nós, meu filho, tem um dever diante de Deus, para o qual não temos substituto. Cumpramos nossas obrigações, atendendo à Vida.

4 Relativamente à Maria, nada há que possa intranquilizar seu espírito, entretanto, você telegrafe pedindo notícias. É sempre agradável receber, diretamente, a mensagem daqueles a quem amamos. Assim você não só se sentirá satisfeito, como também proporcionará a ela contentamentos sinceros do coração. Aliás, rejubilei-me com essa demora de Maria junto aos pais. Creia que os ares do mar lhe faziam falta igualmente.

5 Quanto aos netos, prossigo no mesmo serviço agradável de orientação, sentindo-me satisfeito com o progresso de ambos.

6 E agora, meu filho, deixo a você o meu abraço. Vá repousar como se faz preciso. O travesseiro é um bom amigo e não podemos dispensar-lhe o concurso, mormente na zona de atividades imediatas da Terra.

7 O nosso amigo João de Deus (o padre) saúda-o. Como sempre veio em visita fraternal.

8 Que Deus o proteja, meu caro Rômulo, e com a afeição de todo dia, sou o seu de sempre,


.Papai


Citação parcial para estudo, de acordo com o artigo 46, item III, da Lei de Direitos Autorais.

.

Abrir