Bíblia do Caminho Testamento Xavieriano

Segue-me — Emmanuel


39


De almas no amor

“Que não amemos de palavras nem de língua, mas de obras e de verdade.” — JOÃO (1 João, 3.18)


1 Inegavelmente, não prescindimos da palavra na criação dos valores de nossa fé.

2 Pelo verbo Jesus plasmou, na Terra, os fundamentos do Reino de Deus, estabelecendo entre os homens nova concepção da vida; no entanto o poder crescente e renovador de sua lição nasce do exemplo que lhe valoriza a Divina Mensagem.

3 O Evangelho, por isso, é roteiro de luz não só pelos ensinamentos que encerra, mas pelo testemunho pessoal com que foi vivido.

4 Lembra-te de que, pelas contradições entre a palavra e o sentimento, entre as nossas afirmativas e as nossas obras, muitas vezes temos perdido valiosas oportunidades no curso de nossas reencarnações.

5 Admiramos o Cristianismo sem coragem de aplicá-lo.

6 Adocicamos a expressão verbal, ensinando o bem por fora, sem renovar-nos por dentro para fazê-lo.

7 Esperamos que os outros se disponham à obediência, guardando para nós a prerrogativa do mando.

8 Exigimos que o companheiro atenda hoje ao dever de servir, adiando para o indefinido amanhã o cumprimento de nossas obrigações.

9 Ocultando-nos, quase sempre, por trás de máscaras tranquilas alimentamos, na intimidade de nós mesmos, a fermentação da malícia com que nos acomodamos com as trevas.

10 Sempre que possas, ensina o caminho do bem aos semelhantes, contudo, tanto quanto possas, deixa que o bem se expresse em tua vida. 11 Para que vivamos na paz criadora e santificante do Mestre é indispensável amar o próximo, não apenas com a língua, mas, acima de tudo, de almas imersas no amor, despendendo, cada dia, suor e renúncia, trabalho e coração.


Emmanuel


Citação parcial para estudo, de acordo com o artigo 46, item III, da Lei de Direitos Autorais.

.

Abrir