Bíblia do Caminho Testamento Xavieriano

Retratos da vida — Cornélio Pires


13


Cousa das trevas

   1 Em carta você pergunta

  Minha irmã Zina Belém,

  O que se pensa do aborto

  Na vida do Grande Além.


   2 Desejaria falar

  Em verbo claro e graúdo!…

  Só sei dizer que onde moro

  Aborto complica tudo.


   3 Muitos prometem dar corpo

  A credores e a colegas…

  Nascem, crescem… Mas depois,

  Caminham vivendo às cegas.


   4 Espíritos recusados

  Na fúria louca em que estão

  Promovem desequilíbrio,

  Conflito, perturbação.


   5 E a Lei que tudo corrige

  Perante o aborto ilegal

  Entrega o problema à dor

  Extraindo o bem do mal.


   6 Pode crer: mancha de culpa

  Na roupa do pensamento,

  Somente desaparece

  Com o sabão do sofrimento.


   7 Olhe a tragédia de Ertúzia

  Prometeu corpo a Joaquim,

  Fugiu do trato, mas hoje

  Sofre doenças sem fim.


   8 Téo praticou muito aborto,

  Em pobres moças da roça,

  Depois entrou na bebida,

  Caindo de fossa em fossa.


   9 Dona Helena do Lagedo

  Fez os abortos que quis,

  Morreu e tornou à Terra

  Doente, triste e infeliz.


   10 Lili fez muitos abortos…

  Desencarnou em Portela…

  Quer nascer… Pede socorro,

  Mas o povo corre dela.


   11 Outra arrasava os pequenos

  A jorros de água fervente,

  É Tuta que, alucinada,

  Só vê crianças à frente.


   12 Belinha nasceu no mundo

  Para dar corpo ao Libório,

  Depois de expulsá-lo a ferros,

  Rumou para o sanatório.


   13 Por aborto, lá se foi

  Aninha do Desidério…

  Da parteira Dona Cissa

  Passou para o necrotério.


   14 Tina expulsou quatro vezes,

  O Espírito de João Rossi,

  Logo após, caiu de cama,

  Morreu de câncer precoce.


   15 Teotônia fez vinte abortos

  Em várias moças da Estaca…

  Morreu e voltou ao mundo

  Trazendo a cabeça fraca.


   16 Amargosa provação

  A de Ninhanha Ventura,

  Seis abortos, seis problemas,

  Obsessão e loucura.


   17 Muito espírito conheço

  Que sonhava paz e amor,

  Que não podendo ser filho

  Tornou-se perseguidor.


   18 Cada qual é responsável

  No amor que aceita ou que alcança;

  Compromisso a cada um,

  Mas que se poupe a criança.


   19 Maternidade é tarefa,

  Luminoso compromisso,

  Um filho é bênção de Deus,

  Não proteste, pense nisso.


   20 Quando o aborto é indispensável

  Tem a justa explicação,

  Mas fora desse caminho

  Aborto é perturbação.


   21 Minha irmã, fuja do aborto,

  Se um filho é a bênção que levas…

  Aborto desnecessário

  É sempre cousa das trevas.


.Cornélio Pires


Citação parcial para estudo, de acordo com o artigo 46, item III, da Lei de Direitos Autorais.

.

Abrir