Bíblia do Caminho Testamento Xavieriano

Rosas com amor — Autores diversos


14


Diante da morte

  1 A morte para quem ama,

  Não tem mistério ou poder…

  O amor encontra na morte

  Um novo modo de ser.


  2 Olha sempre o que produzes

  Se bem ou mal, luz ou treva,

  Que a morte faz o retrato

  Da vida que a gente leva.


  3 Toda morte que a pessoa

  Não pede, nem abrevia,

  É a bênção da liberdade

  Na aurora de novo dia.


  4 Ninguém se acaba na morte,

  Toda morte é uma saída

  Para aquilo que se busca

  Nas ânsias da própria vida.


  5 Para quem trabalha e serve

  Sem desertar do caminho,

  A morte é a brisa da paz

  Chegando devagarinho.


  6 Quem foge às lutas da vida

  Atira-se ao desamparo;

  Em qualquer parte do mundo,

  Rebeldia custa caro.


  7 Morta a lagarta? Qual nada!…

  Inércia não é o fim…

  Transformou-se em borboleta

  Ao claro sol do jardim.


  8 Morte, luto, cinza e sombra…

  Não te aflijas!… Passarão…

  O dia nasce de novo

  Em meio da escuridão.


.Fidelis Alves


Citação parcial para estudo, de acordo com o artigo 46, item III, da Lei de Direitos Autorais.

.

Abrir