Bible of the WayBíblia do Caminho  † Xavierian TestamentTestamento Xavieriano

Índice Página inicial Próximo Capítulo

Paz e libertação — Autores diversos ©

 

3

 

Mocidade de hoje

(Mocidade)  n 

Mocidade é força.

  Mas, se a força não estiver sob a direção da justiça, pode converter-se em caminho para a loucura.

 

Mocidade é poder.

  Entretanto, se o poder não aceita a orientação do bem, depressa se converte em tirania do mal.

 

Mocidade é liberdade.

  Todavia, se a liberdade foge à disciplina, é invariavelmente a descida para deplorável escravidão.

 

Mocidade é chama.

  No entanto, se a chama não sofre o controle do proveito justo, em breve tempo transforma-se em incêndio devastador.

 

Mocidade é carinho.

  Mas, se o carinho não possui consciência de responsabilidade, pode ser veneno mortal ao coração.

 

Mocidade é beleza de forma.

  Contudo, se a beleza da forma não se enriquece com o aprimoramento interior, não passa da máscara perecível.

 

Mocidade é amor.

  Entretanto, se o amor não se equilibra na sublimação da alma, cedo se transforma em paixão infeliz.

 

Mocidade é primavera de sonhos.

  Todavia, se a primavera de sonhos não se enobrece no trabalho digno, todo o nosso idealismo será simplesmente um campo de flores mortas.

 

Se te encontras na hora radiante da juventude, não te esqueças de que o tempo é o nosso julgador implacável.

A plantação de agora será colheita depois. Nossas esperanças, dia a dia, se materializam nas obras a que nos destinamos. A Lei será sempre Lei.

Povoam-se e despovoam-se berços e túmulos para que o Espírito, divino caminheiro, através da mocidade e da velhice do corpo terrestre, desenvolva, em si as asas que o transportarão aos cimos da Vida Eterna.

Assim, se realmente procuras a felicidade incorruptível, confia teu coração e tua mente ao Cristo Renovador a fim de que, jovem de hoje, te faças amanhã o caráter sem jaça que lhe refletirá no mundo a Divina Vontade.

 

.Emmanuel

 


[1] O título entre parênteses é o mesmo da mensagem original e seu conteúdo, diferindo nas palavras marcadas, foi publicado em 1973 pela Editora O Clarim, e é a 8.ª lição do livro Escrínio de Luz.

 

Citação parcial para estudo, de acordo com o artigo 46, item III, da Lei de Direitos Autorais.