Bíblia do Caminho Testamento Xavieriano

Palavras de vida eterna — Emmanuel


28


Na conquista da liberdade

“Porque vós, irmãos, fostes chamados à liberdade, porém, não useis da liberdade para dar ocasião à carne; sede, antes, servos uns dos outros pelo amor.” — PAULO (Gálatas, 5.13)


1 A mente humana, antes do contato com o Cristo, o Divino Libertador, padecia milenárias algemas de servidão.

2 Era o cativeiro da violência, convertendo o mundo em arena de senhores e escravos…

3 Era o grilhão implacável do ódio garantindo impunidade aos crimes de raça…

4 Era a treva da ignorância aprisionando a inteligência nas teias do vício dourado…

5 Era a obsessão da guerra permanente, encarcerando os povos em torrentes de sangue e lama…

6 Cristo veio, porém, e conquistando a libertação espiritual do mundo, a preço de sacrifício, descerra novos horizontes à Humanidade.

7 Da Manjedoura à Cruz, movimenta-se o Amigo Divino, reintegrando o homem na posse da simplicidade, do equilíbrio, da esperança, da alegria e da vida eterna que constituem fatores essenciais da justa libertação do espírito.

8 Devemos, pois, ao Senhor, a felicidade de nossa gradativa independência, para a imortalidade; entretanto, para atingir a glória divina a que estamos destinados, é preciso saibamos renunciar conscientemente à nossa própria emancipação, sustentando-nos no serviço espontâneo em favor dos outros, porquanto somente através da nossa voluntária rendição ao dever, por amor aos nossos próprios deveres, é que realmente alcançaremos a auréola da liberdade vitoriosa.


Emmanuel



(Reformador, fevereiro 1958, página 27)


Citação parcial para estudo, de acordo com o artigo 46, item III, da Lei de Direitos Autorais.

.

Abrir