Bíblia do CaminhoTestamento Xavieriano

Índice Página inicial Próximo Capítulo

Páginas do Coração — Cartas de Irmã Candoca a Ricardo


10


Nosso amor venceu os obstáculos frios e cinzentos do túmulo

Mensagem recebida em 19 de julho de 1951.


1 Meu querido Ricardo. Jesus nos abençoe.

2 A Terra é, como sempre, a nossa vasta escola. 3 E o sofrimento, meu abençoado companheiro, é o nosso velho instrutor. 4 A experiência é o nosso prêmio. 5 A caridade é o nosso anjo de luz; a revelar-nos sempre mais amplos e mais sublimados caminhos…

6 Por vezes, não percebemos semelhante verdade, mormente, quando nos encerramos no oásis fechado da aflição exclusivista. 7 A felicidade quando inteiramente do mundo costuma cegar-nos. Correm os dias sem que lhes vejamos a claridade celeste e desdobram-se as noites, sem que nos apercebamos da necessidade de meditar.

8 Entretanto, Ricardo, vem a morte e desperta-nos. Então, compreendemos a grandeza da dor e da luta, que nos constrangem a renovação permanente.

9 Que seria de nós, amado amigo, sem a lágrima que nos aclara a visão espiritual, e sem o suor que nos exercita na direção do bem eterno? Louvemos o pranto que nos purifica e o trabalho que nos aperfeiçoa.

10 Nos últimos anos, quando outros poderiam julgar-nos separados, vivemos mais juntos para aprender na cartilha divina da verdade.

11 Se soubesse você quanta alegria palpita em minhalma… Júbilo de senti-lo mais perto de minha ternura e contentamento de saber que as minhas palavras não se perderam sem eco. Nosso amor venceu os obstáculos frios e cinzentos do túmulo. Nossa esperança superou a saudade, nossa confiança subjugou a incerteza e continuamos unidos para a imortalidade gloriosa.

12 Ontem, eu andava sob o carinho de suas mãos. Você guiava-me os passos e ensinava-me o caminho em que eu deveria pisar e, graças ao Senhor, jamais me arrependi de ouvir-lhe as instruções e conselhos… Com seus avisos, aproveitei o tempo no trabalho edificante da maternidade, amparando os filhinhos que o Céu me confiou e plasmando neles os seus ideais de homem de bem.

13 Agora, porém, Ricardo, transformei-me na companhia incessante de seu roteiro… Hoje, ponho as minhas mãos sobre as suas, transmito-lhes o calor do meu coração e percorremos uma estrada diferente… É a senda de transformação para a Vida Superior.

14 Dia a dia, avançamos um pouco mais e sinto em mim o orgulho da companhia que retribui a você em dedicação, quanto recebeu em amor e cuidado.

15 Não temamos, Jesus segue a frente de nós.

16 Antigamente, buscávamos as flores e os frutos da Terra, agora, porém, procuramos as bênçãos e as luzes do Céu.

17 Semeamos de sol a sol. Lutamos, preparamos e plantamos juntos… Atualmente juntos organizamos a felicidade da colheita.

18 E, aproveitando as lições que a Terra nos oferece, prosseguimos, horizonte afora, em demanda de um novo reino, o reino de nossa união imperecível em Jesus. Com o divino auxílio, você ouviu minha voz e continuamos a viagem, montanha além…

19 Quando a sombra se faça mais densa sobre a nossa fronte, lembre-se, meu querido Ricardo, que a estrela de nosso amor continua brilhando… E se as pedras do chão parecerem multiplicadas, recorde que as flores de nossa fé permanecem cada vez mais perfumadas e mais vivas.

20 Nos momentos em que a solidão insinuar-se mais perceptível aos seus anseios de afeto, não se esqueça de que os meus braços sustentam o seu carinhoso coração junto de mim, conservando a convicção de que Jesus é o nosso companheiro invisível.

21 E quando a cruz das provas pesar em seus ombros, de estranha maneira, como se a aflição aumentasse o volume do fardo redentor de lutas que ainda devemos suportar, não olvide a prece…

22 A oração nos ajudará a dividir todas as preocupações e todas as dores, equilibrando-nos na grande romagem de nossa regeneração para os mundos felizes. A experiência na carne é um curso constante de valiosos ensinamentos.

23 Guardemos a certeza de que a Justiça Divina nos rege os mínimos atos.

24 Quem dá recebe.

25 Quem sofre com paciência recolhe mais luz.

26 Quem se sacrifica pelo bem dos outros, espiritualiza a própria existência, colocando-se na subida para os cimos da verdadeira felicidade.

27 Quem ajuda, ampara a si mesmo.

28 Quem perdoa incessantemente, aproxima-se, com mais facilidade de Deus, — nosso Pai de Infinita Bondade — que desculpa amorosamente as nossas faltas, desde o início da vida.

29 Quem renuncia, adquire com mais segurança.

30 Quem ama pela glória de amar, como Jesus nos amou, cedo conhece a vitória e a ressurreição.

31 Ricardo, o caminho é longo e os esclarecimentos são muitos. Felizmente, seu coração me ouve e, por isso minhalma, pode escutar igualmente a sua. Adiantemo-nos na senda a percorrer. Oremos pelos nossos entes amados e esperemos que o Mestre os acolha em seu Divino Regaço de Harmonia e de luz.

32 Agradeço o seu devotamento e beijo as suas mãos que, entrelaçadas às minhas, se dedicam hoje ao cultivo da caridade.

33 Plantemos a gratidão, o auxílio, a compreensão, a tolerância construtiva, o caminho, o estímulo ao bem, o bom ânimo, a fé, a esperança, a fraternidade, o entendimento irmão e aguardemos…

34 A Caridade é o sol milagroso que vitaliza a sementeira de nossa boa vontade em toda parte, preparando a seara rica e sublime de nossa própria ventura no reino da Paz.

35 Meu abraço afetuoso aos nossos filhos queridos, com pensamento reconhecido à nossa Maria Isabel e envolvendo meu coração com o seu, na mesma vibração de ternura, alegria, amor e reconhecimento, sou a companheira, sempre sua


.Candóca


Citação parcial para estudo, de acordo com o artigo 46, item III, da Lei de Direitos Autorais.

.

Abrir