Bíblia do CaminhoTestamento Xavieriano

Índice Página inicial Próximo Capítulo

Parnaso de Além-Túmulo — Autores diversos


33


Ignácio José de Alvarenga Peixoto

Ignácio José de Alvarenga Peixoto, um dos malogrados poetas da “Conjuração Mineira”, ao qual foi imposta a pena de degredo perpétuo na África, onde veio a falecer em 1793, “minado pela nostalgia”.


REDIVIVO

  1 Divina lira,

  Musa que inspira

  Meu coração

  A relembrar…

  Celebra, amena,

  A vida plena,

  A paz sublime,

  A luz sem par.


  2 Volta, de novo,

  Ao grande povo

  Que não me canso

  De estremecer;

  Revela, ainda,

  A Pátria linda

  Que faz vibrar

  Todo o meu ser.


  3 Exalça agora

  A nova aurora

  Que brilha cheia

  De amor cristão.

  O mundo em prova

  Que se renova

  Espera o dia

  De redenção.


  4 Une-te ao canto

  Formoso e santo

  Que flui soberbo,

  Sepulcro além…

  Lira divina,

  Louva a doutrina

  Da liberdade

  No eterno bem.


  5 Dize a grandeza

  Da glória acesa

  Na vida excelsa

  Que a dor produz.

  Proclama à Terra

  Que além da guerra

  E além da noite

  Floresce a luz.


  6 Não mais procures,

  Chorando alhures,

  Enfraquecer-te

  Nas lutas mil.

  Canta somente,

  Ditosa e crente,

  A nova era

  Do meu Brasil.


.Ignácio José de Alvarenga Peixoto


Citação parcial para estudo, de acordo com o artigo 46, item III, da Lei de Direitos Autorais.

.

Abrir