O Caminho Escritura do Espiritismo Cristão
Doutrina espírita - 2ª parte.

Índice | Página inicial | Continuar

Luz na Escola — Autores diversos


3

Homem-verme n


1 Desolação. Terror e morticínio.
O homem sôfrego e bruto, de ânsia em ânsia,
Sofre agora a sinistra ressonância
De sua inclinação para o extermínio.


2 É o doloroso e trágico domínio
Do «homo homini lupus» da ignorância. n
Exaltando a vaidade sem substância,
Ídolo podre sobre o esterquilínio.


3 Por toda a parte, escorre o sangue horrível,
Ao crepitar de rúbidos incêndios,
Sobre a ideia cristã medrando em germe.


4 Em quase tudo, o pântano terrível,
De lodo e lama, em sombra e vilipêndios,
Atestando as vitórias do homem-verme!


Augusto dos Anjos



[1] E o lápis-relâmpago de Chico Xavier continua a deslizar, veloz, sobre o papel. E veio-nos mais este soneto inconfundível do poeta do “Eu”.


[2] A expressão latina homo homini lupus, significa “o homem é um lobo para o homem”.


Essa mensagem foi também publicada pela FEB, é o 25º soneto do 15º capítulo do livro “Parnaso de Além-Túmulo


Abrir