Bíblia do Caminho Testamento Xavieriano

Fé e vida — Autores diversos


Capítulo 15


Lembrando Eurípedes

1 Honremos o missionário

Na floração da alegria,

Buscando seguir-lhe o passo,

Na senda de cada dia.


2 Lembramos o servidor

Erguido à felicidade,

Muita vez, sem conhecer-lhe

O preço da santidade.


3 Eurípedes, para ser

O apóstolo do Senhor,

Entregou-se totalmente

À bênção de seu amor.


4 Arauto do Espiritismo,

Seu coração era um templo

No qual demonstrava a fé

Na base do próprio exemplo.


5 Discípulo de Jesus,

Não desprezava ensinar,

Falando ou silenciando

Era o Evangelho a brilhar.


6 Humilhado e escarnecido,

Era firmeza e perdão.

Se ameaçado ou ferido

Fazia-se mais irmão.


7 Por devoção à verdade

No culto santo ao dever,

Tanto sabia auxiliar

Quanto sabia aprender.


8 Olvidando ouro e poder,

Procurando os dons divinos,

Levantando os sofredores,

Humildes e pequeninos.


9 Filósofo iluminado

Estudava o céu profundo,

Mas lenia onde passava

O pranto e as chagas do mundo.


10 Sacrificava a si mesmo

Pelo prazer de servir.

Valorizava os minutos

Na construção do porvir.


11 Reconfortando e instruindo,

Jamais censurou alguém…

Foi, em tudo, o companheiro

Que passou fazendo o bem.


12 Libertando-se da Terra,

Entre a vitória e a saudade,

Foi recebido no Além

Por príncipe da bondade.


13 Eurípedes, mensageiro,

Porta-voz da redenção,

Que Deus o conserve sempre  n

Na rota da perfeição.

Louvemo-lo cada dia,

Com mais fulgor cada vez,

Mas buscando Jesus Cristo,

Fazendo como ele fez.


Casimiro Cunha



(Sem local e data)


[1] NE.: No original estava expresso: “Deus o conserve sempre”. Para atender à metrificação, foi acrescentado, antes, o pronome “Que”, omitido involuntariamente.


.

Abrir