Bíblia do Caminho Testamento Xavieriano

Estante da vida — Irmão X


25


A cura

1 Encontraram-se, um dia, o Mensageiro do Evangelho e o Fornecedor de Milagres, ao pé do Homem Doente que rogava socorro, e travou-se entre eles curioso debate.

2 O HOMEM DOENTE — Ai de mim! A enfermidade me devora e, além disso, inteligências transviadas me atormentam a vida!… Amparai-me, por amor de Deus!…

3 O MENSAGEIRO DO EVANGELHO — Antes de tudo, tem paciência, meu filho!… A passo e passo, Jesus refará tuas forças… Não olvides que te achavas no mundo espiritual, antes de tua reencarnação, agoniado qual te vês, e que, por este motivo, antes da tranquilidade para o corpo, importa a segurança da alma… Sofrimento é caminho para a verdadeira restauração.

4 O FORNECEDOR DE MILAGRES — Ninguém precisa solenizar o desequilíbrio, dar-te-ei cura rápida…

5 O HOMEM DOENTE — Necessito viver, trabalhar…

6 O MENSAGEIRO DO EVANGELHO — Desfrutarás os dons da existência, com alegria e respeitabilidade, agindo e elevando-te, em meio de teus próprios impedimentos. A dor ser-te-á mestra bendita e, quando se afaste de ti, deixar-te-á precioso certificado de experiência.

7 O FORNECEDOR DE MILAGRES — Velharia!… Qualquer um pode instruir-se sem dor…

8 O MENSAGEIRO DO EVANGELHO — Unicamente quando haja construído a harmonia divina no mundo de si mesmo.

9 O HOMEM DOENTE — Dizei-me!… quanto tempo tenho a dispor neste corpo?

10 O MENSAGEIRO DO EVANGELHO — Nada menos de oitenta anos; entretanto, nem sempre serás doente assim… A pouco e pouco, recuperar-te-ás com o apoio do Cristo para encerrares dignamente a tua atual romagem terrestre.

11 O FORNECEDOR DE MILAGRES — Porque não buscar a imediata libertação da dificuldade para melhor proveito do tempo?

12 O MENSAGEIRO DO EVANGELHO — O corpo é reflexo do espírito e, muitas vezes, aquilo que interpretamos por exoneração da prova é desamparo moral.

13 O HOMEM DOENTE — Que fazer?

14 O FORNECEDOR DE MILAGRES — Aceitar o prodígio que te oferto… Lógico!…

15 O MENSAGEIRO DO EVANGELHO — Que adianta restaurar brilhantemente o traje externo, sem extinguir a ferida que a roupa cobre? Ensinou-nos Jesus que “o Reino de Deus não vem com aparências exteriores”… ( † )

16 O FORNECEDOR DE MILAGRES — Teorias!… Cada qual deve cuidar do próprio bem-estar com a ligeireza possível…

17 O MENSAGEIRO DO EVANGELHO — Só existe o bem-estar que a consciência autoriza.

18 O HOMEM DOENTE — Apesar dos vossos desacordos, estou enfermo e quero sarar…

19 O MENSAGEIRO DO EVANGELHO — Curar-te-ás; todavia, deves faze-lo, com a bênção de Jesus, para sempre. A cura vem das entranhas do ser, como a árvore procede do âmago da semente…

20 O FORNECEDOR DE MILAGRES — Lirismo de pregadores!… Garanto-te a saúde perfeita em poucas horas…

21 O MENSAGEIRO DO EVANGELHO — A saúde ilusória da carne.

22 O FORNECEDOR DE MILAGRES — De que outra necessitará um homem no mundo?!…

23 O HOMEM DOENTE — Anseio por melhoras… Estou arrasado de corpo e cercado de inimigos!

24 O FORNECEDOR DE MILAGRES — Porei teus adversários na cadeia para que te devolvam a paz…

25 O MENSAGEIRO DO EVANGELHO — Deus usa o tempo e não a violência. Inimigos, não transformados em amigos, um dia voltarão…

26 O FORNECEDOR DE MILAGRES — Bobagem!… Por que razões estará uma pessoa condenada à presença de desafetos, quando pode arredá-los?

27 O MENSAGEIRO DO EVANGELHO — Adversários são instrutores. Habituando-nos a suportá-los na convivência, seguiremos, por fim, na estrada de luz que o Senhor nos traçou ao recomendar-nos: “amai-vos uns aos outros como eu vos amei”… ( † )

28 O HOMEM DOENTE — Meus padecimentos são enormes…

29 O MENSAGEIRO DO EVANGELHO — Eleva-te à cura verdadeira, aprendendo com a dor e com o trabalho a imunizar-te contra a ilusão que te faria cair em provações maiores.

30 O FORNECEDOR DE MILAGRES — Porque não conseguirá este homem escalar o monte do próprio equilíbrio, sem aflição e enfermidade?

31 O MENSAGEIRO DO EVANGELHO — Ninguém consegue medir a própria resistência. Mutilados existem que reclamam escoras, a fim de se movimentarem… Doença e dificuldade são, algumas vezes, as muletas de que carecemos em longos períodos de reajuste.

32 O FORNECEDOR DE MILAGRES — Não aprovo, dou vantagens imediatas.

33 O HOMEM DOENTE — Não me concederia Deus uma ordem direta?

34 O MENSAGEIRO DO EVANGELHO — Repito que a violência não consta da Didática Divina. Deus nos ama como pai, considera-nos seus filhos, não escravos…

35 O FORNECEDOR DE MILAGRES — Se tens o direito de optar, é inútil que hesites. Muito melhor que eu te liberte hoje, que persistires em sofrimento até não sei quando…

36 O HOMEM DOENTE — Como agir?

37 O MENSAGEIRO DO EVANGELHO — És sempre livre na escolha…


38 O Homem Doente aceitou, decidido, a mão que o Fornecedor de Milagres lhe estendia e, para logo, se viu restabelecido, eufórico.

39 Em seis meses, impressionado pelas aparências físicas dominantes, realizou matrimônio com riquíssima herdeira e senhoreou vasta fortuna com destacada posição nos galarins sociais… Entretanto, o ambiente mais elevado — clima natural e adequado para os homens de espírito sadio —, para ele, o Homem Doente da alma, se converteu em trapézio para queda infeliz.

40 Foi assim que, em seis meses, atingiu culminâncias; em doze, complicou-se em aventuras delituosas; em quinze, confiou-se ao abuso do álcool; em vinte, largou-se à morfina; e, passados precisamente dois anos, antes dos trinta e seis de idade, desceu para novos precipícios de sombra, num suicídio mascarado de acidente espetacular.


Irmão X

(Humberto de Campos)

.

Abrir