Bíblia do Caminho Testamento Xavieriano

Escola no Além — Cláudia P. Galasse


7


Às vésperas do Dia das Mães

1 Querida mãezinha Dorothy, antes de tudo guarde os meus votos por um feliz Dia das Mães, ao lado do papai Antoninho e de meus irmãos.

2 Atendendo ao compromisso que fiz comigo mesma, no sentido de prosseguir com as minhas notícias do nosso Instituto Assistencial dedicado às meninas na faixa de meses aos dois anos, sinto-me satisfeita ao contar-lhe que a preleção de nossa irmã que nos visitou, falando às crianças com afetuosa cordialidade, despertou grande curiosidade entre todas as pequenas internadas.

3 Foram muitas as perguntas que a Lika, a Mirna n e eu, recebemos com poucas possibilidades de responder. 4 Entretanto, uma instrutora veio ajustar a situação acalmando as meninas, sobretudo, prometendo a elas que as conduziria, oportunamente, nas asas do sono, ao encontro dos pais que haviam deixado na Vida Física. Notamos que muitas delas mostravam nova face iluminada de esperança.

5 Estávamos na véspera da celebração do Dia das Mães, no ano passado, e fomos acompanhar as cantigas inventadas pelas nossas queridas tuteladas, e observei que o nível de compreensão se elevara em todas elas.

6 Para seu conhecimento de mãe, transcrevo aqui alguns tópicos da festa que as próprias meninas prepararam a fim de homenagear as mãezinhas ausentes.

A primeira cantou com os olhos irradiando alegria:

  7 Hoje é o dia abençoado

  De uma rosa sem espinho,

  Que nossa mãe com carinho

  Retrata-se nessa flor.


  8 Hoje, a queixa está de lado,

  Ninguém critica ou reclama,

  Pois, a gente quando ama,

  Deve falar só de amor.


Outra assumiu o estrado e entoou a quadra que guardei:

  9 Depois do que ouvimos ontem,

  Eu já não sei o que sou.

  Sei apenas que outra vida,

  Fez barulho e me acordou.


A terceira cantou, quase chorando:

  10 Não sou má, nem revoltada.

  Quero só minha mãezinha,

  Porque, em tudo, a minha mãe

  Era o tesouro que eu tinha…


11 E na parte final daquela pequena exposição de sentimentos e rimas, a última criança listada para as canções e preces, desferiu suave melodia, nesta quadra que passou para o nosso arquivo:

  12 Dia das Mães! Que beleza!…

  Peço ao nosso Pai dos Céus,

  Em seu infinito amor

  Que me mande condução,

  Para o regresso ao meu lar!…


13 Era, porém, o Dia das Mães e convidamos todas as internadas a fim de compartilharem de nossa oração do dia, que foi pronunciada por nossa Lika:

14 — “Senhor Jesus, hoje é dia consagrado às nossas mães.

Curvamos os corações com reverência, pedindo-Te para que todas elas estejam felizes.

Dá-lhes, Senhor, a coragem necessária para suportarem as vicissitudes da vida humana e fortalece-lhes as energias para que prossigam nas tarefas da maternidade que lhes confiaste.

Senhor, abençoa as saudades que sentimos de nossas mães para que a nossa dor da alma não lhes pese nos sentimentos.

Faze-nos boas filhas, aqui onde nos achamos, para que possam contar conosco em qualquer circunstância!

Ampara, Senhor, a elas e a nós, de modo que estejamos de acordo com os Teus desígnios e não conforme os nossos caprichos, para que aprendamos a honrar os Teus ensinos de paz e amor, hoje e sempre”.


15 Pensei em você, mãezinha Dorothy, no papai Antoninho, na Mônica e no Junior, n durante a oração de Lika, e quis também falar sobre as nossas emoções, mas a saudade, sobretudo de seu carinho materno, era muito grande em meu íntimo e não pude pronunciar palavra.


.Cláudia Pinheiro Galasse


COMENTÁRIOS


Nestas palavras rogadas a Jesus, externa-se o sentimento dos filhos e filhas que partiram, testemunhando que as algemas não se rompem em corações que se entrelaçam no compromisso assumido perante Deus.

Pais e filhos, filhos e pais são, na essência, espíritos munidos do desejo de se ajustarem e se completarem na emancipação espiritual, criam em seus corações as bases do amor e nessas bases reverenciam na Majestade Divina o cântico da saudade, unindo-se sem preconceitos de espécie alguma à imagem de Deus, como Pai absoluto de nossas vidas. Perde-se, às vezes, na incompreensão ferida pela dor, a consciência, mas, a misericórdia de Jesus, em seguida, restaura, através da benemerência espiritual, as cicatrizes deixadas.

Deus é Pai, Deus é Amor.


Citação parcial para estudo, de acordo com o artigo 46, item III, da Lei de Direitos Autorais.

.

Abrir