Bíblia do Caminho  † Testamento Xavieriano

Índice Página inicial Próximo Capítulo

Entender conversando — Emmanuel


5 n


Encontro especial

NARRADOR. — Este programa reúne alguns pensamentos de Francisco Cândido Xavier, na hora em que existe uma mobilização nacional para indicação do seu nome ao Prêmio Nobel da Paz.

ROBERTO CARLOS — Este é um programa de amor. Um homem chamado AMOR. Um homem que eu aprendi a amar através da minha vida. Meu amigo Francisco de Paula Cândido Xavier.


45 — AMOR. SUBLIME

CHICO XAVIER. — Espíritos amigos me ensinaram, há muito tempo, que o amor é a presença de Deus em nós mesmos, inclinando-nos a buscar uma outra pessoa, ou outras pessoas, para a mesma comunhão de sentimentos sublimantes, até que tenhamos uma comunidade de ordem superior em que todos se amem, naquele amor que Jesus nos ensinou: (Jo) “Amai-vos uns aos outros como eu vos amei”.

NARRADOR. — Francisco de Paula Cândido Xavier, funcionário público aposentado, 70 anos de idade, há mais de 53 anos se dedicando aos trabalhos de mediunidade.


46 — MENSAGEM DE LAURINHO

(Cena de um acidente automobilístico.)

LAURINHO (ESPÍRITO) n — Mãezinha, eu não vim para cá fora das Leis de Deus. Ninguém teve culpa na batida do carro de encontro à árvore. A morte, que não depende de nós, não é de nossa culpa. Estou ainda como quem se vê debaixo de uma névoa de lágrimas e ainda não consigo raciocinar com segurança. Não posso escrever mais, mas peço à senhora, ao papai e às meninas que recebam muitos abraços do filho e irmão agradecido, sempre seu, Laurinho.


PRISCILLA P. S. BASILE — Nós tivemos a infelicidade de ver a partida de nosso único filho homem, Laurinho, em 12/12/1976. Com tudo isso, com o desespero que nos passou, só alcançamos a paz íntima e tivemos a felicidade de volta ao lar após o encontro com a pessoa de Chico Xavier. Ele nos trouxe de volta, pela psicografia, o nosso filho Laurinho.


NARRADOR. — A psicografia de mensagens, como a de Laurinho, é apenas uma das muitas atividades de Chico Xavier. Ao longo de sua vida escreveu 40.000 páginas. Seus livros venderam mais de 9 milhões de exemplares no Brasil e no exterior.


47 — GUIA ESPIRITUAL DA HUMANIDADE

CHICO XAVIER. — Aprendi desde muito cedo a venerar Nosso Senhor Jesus Cristo, na fé que minha mãe me transmitiu, desde os 2 anos de idade. Um dia, tendo perguntado à ela como orientar minhas preces, minha mãe ensinou-me a considerar Jesus como Nosso Senhor e Mestre. Nas rodopias do tempo, eu fui compreendendo que Jesus é realmente o Guia Espiritual da Humanidade, perante Deus, a quem nós chamamos, segundo o ensinamento dele mesmo, de Pai Nosso que está nos Céus.


ROBERTO CARLOS — (Canta “Força Estranha”)


48 — VISITA DE JOÃO PAULO II AO BRASIL

CHICO XAVIER. — Como espírita-cristão, rendo ao Sumo Pontífice da atualidade a maior veneração e creio que nós todos, os brasileiros, devemos recebe-lo com respeito e com todas as atenções de que ele é digno e de que tanto fez por merecer, conduzindo a Cristandade com tanta abnegação e com tanto tato para evitar que a discórdia se alastre no mundo. Nós não podemos esquecer o sacrifício que o atual Sumo Pontífice tem feito em favor da paz na Terra. Que Deus permita e Jesus há de abençoar a vinda desse homem maravilhoso, que está revestido de uma dignidade religiosa que nós todos devemos respeitar e amar profundamente como se ele fosse o nosso próprio pai.


NARRADOR. — A primeira grande obra psicografada por Chico Xavier foi uma antologia de poemas — Parnaso de Além-Túmulo, editado em 1932. Chico contava, então, 21 anos de idade. No Parnaso constam poemas de 53 autores já desaparecidos, em 420 páginas.


49 — DIREITOS AUTORAIS

YARA CÔRTES — Chico Xavier, quantos livros você já psicografou? Quem recebe os direitos autorais?


CHICO XAVIER. — 183 livros, 4 deles, depois de 183, estão no prelo. E temos 15 em preparação. Todos os direitos desses livros foram doados à instituições espíritas do país, a começar da nossa muito digna Federação Espírita Brasileira, sediada no Rio. E, depois, demos a outras instituições, não menos dignas, nos diversos Estados da Federação.


50 — HUMOR. NO PLANO ESPIRITUAL

CARLOS EDUARDO DOLABELLA — E os seus amigos lá de Cima, será que têm momentos de humor?


CHICO XAVIER. — Os nossos amigos espirituais possuem os momentos de humor onde a gente observa com muito interesse e com muita alegria. O Dr. Bezerra de Menezes foi médico na Terra, um grande chefe político, e um espírita de grande dignidade. Eu vou contar uma historinha que aconteceu comigo mesmo, há tempos. Ele é sempre muito atento às suas responsabilidades, médico sempre interessado em ajudar os enfermos e sempre utilizou a prece e o otimismo para o socorro aos semelhantes em determinadas orientações às pessoas necessitadas. Achava-me numa séria crise de labirintite quando, ao vê-lo junto de mim, pedi quase desesperado: Dr. Bezerra, rogo ao senhor que me auxilie; eu estou passando muito mal, com muita dor, mas vou dizer ao senhor, como gente eu não estou pedindo, porque como gente o senhor sabe que estou sofrendo, agora peço ao senhor na condição de besta. Façamos de conta que eu estou fazendo parte de uma carroça de trabalho, para mim preciosa, que é a mediunidade. Eu preciso voltar para a minha carroça, doutor. Tem dó desta besta, que sou eu, como pessoa humana eu não mereço, mas como besta eu quero trabalhar. Tenha paciência, me ajude. Ele sorrindo disse: — “Como besta? O que é então que eu sou?” Eu falei: O senhor é um veterinário de Deus. Então, ele deu uma gargalhada.


TONY RAMOS — (Lê página mediúnica do Espírito de Meimei.)


ELIS REGINA — (Canta “No Céu da Vibração”, de Gilberto Gil, música em homenagem a Chico Xavier, em primeira audição.)


51 — TRANSFERÊNCIA PARA UBERABA

CHICO XAVIER. — Quando me transferi para Uberaba levei para Uberaba o espírito que Pedro Leopoldo me havia doado, e encontrei em Uberaba uma Pedro Leopoldo maior, tão generosa, uma cidade que me acolheu como sendo minha segunda mãe.


NARRADOR. — Em Pedro Leopoldo, quando contava apenas 17 anos de idade, Chico Xavier e amigos fundaram o Centro Espírita “Luiz Gonzaga”. Era o ano de 1928 e Chico Xavier já psicografava com extraordinária frequência. As mensagens vinham quase todas em forma de poemas.


52 — O REGRESSO DO FILHO DE NAIR. BELLO n

NARRADOR. — A atriz Nair Bello perdeu um filho de 21 anos. Manoel Francisco Neto, num acidente automobilístico em 14/12/1975. Ela se sentiu conformada com a realidade após um encontro com Chico Xavier em Uberaba. Nair Bello recebeu uma mensagem de seu filho. Ele se dizia amparado e pedia à mãe e aos demais familiares que seguissem a vida. Ele estaria sempre presente.


NAIR BELLO — Quero agradecer ao Chico Xavier por ele ter me dado forças numa hora tão ingrata, que só outra mãe que perdeu um filho sabe, mais ninguém. Então, eu estou falando para você que perdeu um filho, eu gostaria de transmitir para você isso que ele transmitiu para mim, força. Já que a gente está aqui, vamos acabar de viver. Daqui a pouquinho a gente está lá e a gente vai encontrar com ele. Eu quero dizer, então, ao Chico Xavier: Deus lhe pague!


53 — DOM MEDIÚNICO

GLÓRIA MENEZES — O que é ser médium? É uma coisa que você adquire, ou já tem dentro de você e tem a capacidade de desenvolver?


CHICO XAVIER. — Os técnicos do assunto nos dizem: a mediunidade é inerente a toda a personalidade humana, e basta que uma criatura se consagre a desenvolver os seus valores de que ela própria é portadora, esses valores se desdobram, se afinam, se fundem. Toda pessoa, de um modo ou de outro, pode desenvolver a mediunidade.


TONY RAMOS — (Lê mensagem de Emmanuel)


54 — INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL

GLÓRIA MENEZES — Chico, eu gostaria de perguntar a você sobre a inseminação artificial.


CHICO XAVIER. — Se determinada irmã nossa na Humanidade requer esse tipo de criatividade para receber um filho da Providência Divina, não temos o direito de reprovar a criatura que escolheu esse processo, e temos ainda algo a considerar; é que mesmo companheiras nossas que se sentem inabilitadas para a gravidez elas poderão, de comum acordo com os seus companheiros, tomar o serviço de uma companheira capaz de receber, por inseminação artificial, os genes de seu próprio companheiro e atender ao desejo do casal no sentido de receber um filho genuinamente deles, com o auxílio de uma outra companheira capaz de estender a compreensão dela à solução do assunto com a máxima naturalidade.


55 — ABORTO, GRAVE DELITO

VANUSA — Quando eu ouço falar a respeito da legalização do aborto eu me lembro das coisas que eu aprendi com Chico Xavier. É um assassinato a sangue frio contra uma criancinha que não pode falar, não pode gritar, não pode se defender.

  (A seguir canta a música “Nino Rafael”.)


EVA WILMA — (Lê página mediúnica)


LIMA DUARTE — (Lê página mediúnica)


VANUSA — Eu gostaria que você nos dissesse alguma coisa a respeito da legalização do aborto.


CHICO XAVIER. — O aborto é sempre um delito muito grave perante as Leis da Vida, para não dizermos diante das Leis de Deus. Para evitar o aborto já possuímos no mundo o anticoncepcional, que está sendo aperfeiçoado cientificamente para que ninguém precise exterminar crianças indefesas no próprio lar onde elas deverão nascer e desfrutar a alegria de viver, de trabalhar, de progredir e de se aprimorar segundo os princípios divinos que nos governam.


56 — MATERNIDADE: ESPÍRITOS DE VOLTA

JOYCE — Eu ainda não conheço Chico Xavier pessoalmente, mas ele me ajudou a compreender que é importante ser mulher neste Planeta. Como é importante esta oportunidade que a gente tem, através da maternidade, de ajudar a volta de Espíritos para este Planeta. Por isso tudo, eu vou cantar para as minhas sementinhas, que eu ajudei a lançar aqui na Terra, esta música: (Canta “Clareana”)


57 — SEXO E AMOR

GLÓRIA MENEZES — O que você pensa do sexo entre um homem e uma mulher?


CHICO XAVIER. — Eu julgo um ato natural. Naturalmente, na condição de uma união sublimada do amor, entre o homem e a mulher.


58 — DIFICULDADES E RESGATE

GLÓRIA MENEZES — Por que determinadas pessoas têm na vida tudo de bandeja, como se costuma dizer, e outras têm tantas dificuldades em adquirir as coisas?


CHICO XAVIER. — No fenômeno que nós chamamos de morte, a desencarnação, a nossa perda do veículo físico, nós teremos, naturalmente, as compensações de todo o bem que temos feito. Mas, aquele ponto inadequado, aqueles pontos marcados em nossa consciência, eles ainda não desapareceram, e dentro de nós há um espírito de brio pessoal. Nós podemos ser atendidos com muita benemerência na vida espiritual, os parentes e amigos, os protetores, muitos benfeitores, mas quanto maior o desenvolvimento de luz, de felicidade, de alegria, que esses amigos nos apresentam, mais nos sentimos inferiorizados com aquelas marcas que trazemos. Então somos nós mesmos que pedimos uma ajuda, vamos dizer, a volta à retaguarda, à maneira de soldado em reabilitação, desejando curar em nova existência os efeitos das culpas e desenganos, no próprio beneficio. Isso, para que venhamos a experimentar o que nós impusemos a outros.


CORAL DA UNIVERSIDADE GAMA FILHO — Canta “Um Homem chamado Amor”, Maestro Abelardo Guimarães, letra psicografada por César Vannucci.


JOÃO CARLOS BARROS — (Lê página psicografada)


FELIPE CARONE — (Lê página psicografada)


59 — TÓXICOS E AMOR

VANUSA — Chico, é um assunto que nos prejudica também, nos assusta bastante. São os problemas com relação aos tóxicos. Porque hoje em dia existe uma intensa divulgação a respeito de tóxicos e um crescente envolvimento de nossos jovens com tóxicos. O que você nos diria a respeito disso?


CHICO XAVIER. — Ainda observando o que acontece nesse setor, nós somos obrigados a reconhecer que os tóxicos atingem muito mais os adolescentes nas classes mais favorecidas do que nas classes que lutam com a penúria de ordem material. Então, é um problema de assistência afetiva. A carência de amor para milhares de jovens no setor da abastança material faz com que eles se rebelem e procurem determinadas fugas, à vista da fome de amor que experimentam e passam a confiar nos tóxicos, quando os tóxicos podem apenas oferecer a eles a enfermidade, a desestima à vida, a loucura, até mesmo a morte. Reconhecemos que devemos combater a influência dos tóxicos através de uma intensificação do amor, na assistência afetiva mais intensa junto de nossos filhos.


DENISE DUMONT — (Lê mensagem mediúnica)


LÚCIO MAURO — (Lê mensagem mediúnica)


60 — MENSAGEM DE EMMANUEL

CHICO XAVIER. — (Psicografa mensagem do Espírito de Emmanuel ante as câmeras do programa.)


GLÓRIA MENEZES — (Lê a mensagem psicografada, a seguir transcrita.)


[INTELIGÊNCIA E AMOR]

Amigos, Jesus nos abençoe!

A inteligência humana conseguirá atingir as maiores realizações:

Poderá conhecer a estrutura de outros mundos;

  construir no piso dos mares;

  escalar os mais altos montes;

  interferir no código genético das criaturas;

  decifrar os segredos da vida cósmica;

  penetrar os domínios da mente e controlá-los;

  inventar os mais sofisticados aparelhos que propiciem o reconforto;

  criar estatutos para o relacionamento social e transformá-los, segundo as suas próprias conveniências;

  levantar arranha-céus ou materializar as mais arrojadas fantasias…

Entretanto, nunca poderá alterar as leis fundamentais de Deus e nem viver sem amor.


.Emmanuel


61 — MÃE DE JESUS

CHICO XAVIER. — Nossa Senhora foi sempre, na minha infância, uma tutora a quem eu me dediquei de coração. Muitos amigos, às vezes, acham que eu sou uma pessoa exagerada em minhas manifestações de fé religiosa, mas considero Nossa Senhora, a inesquecível Mãe de Jesus e nossa Mãe na Cristandade, como sendo o vínculo maternal mais importante da Terra e a quem devemos recorrer em nossas necessidades, pedindo a ela proteção, misericórdia, auxílio, inspiração.


ROBERTO CARLOS — (Encerra o Programa cantando “Ave Maria”.)


.Francisco Cândido Xavier

.Emmanuel


Citação parcial para estudo, de acordo com o artigo 46, item III, da Lei de Direitos Autorais.

 

.

D
W