Bíblia do Caminho Testamento Xavieriano

Doutrina-escola — Autores diversos


6 n


Brado de fé

  1 Descerra dentro dalma a fúlgida janela

  Da esperança a brilhar, fervorosa e tranquila,

  E do escuro portal da Terra que te asila

  Contempla a imensidão que de luz se constela!


  2 Plasma teu sonho, alem da máscara de argila

  Que, da infância à velhice, a ilusão te afivela…

  Na miséria ou na glória, a carne por mais bela

  É sempre a mesma flor que o sepulcro aniquila.


  3 Inda mesmo que a dor te espreite qual pantera,

  Eleva-te e perdoa, aprimora-te e espera

  Para que a vida em ti não se ensombre ou degrade.


  4 E hoje, colado ao chão no mundo que te oprime,

  Amanhã librarás, em ascensão sublime

  Qual falena de amor ao sol da Eternidade!…


Francisca Júlia da Silva


Fac-símile



Nota — Soneto psicografado em reunião pública do Centro Espírita Luiz Gonzaga, na cidade de Pedro Leopoldo, MG, a 19/7/1955, em ortografia antiga, [v. Fac-símile] isto é, da época em que viveu no Plano terreno Francisca Júlia da Silva (1874-1920), considerada a maior poetisa parnasiana.


.

Abrir