Bíblia do Caminho Testamento Xavieriano

Companheiro — Emmanuel


15


No domínio das palavras

1 Fala e conhecer-te-ão.

2 Referes-te aos outros quanto ao que está em ti mesmo.

3 A palavra é sempre o canal mais seguro pelo qual te revelas.

4 A frase de esperança é um jorro de luz.

5 O que notas de bem ou de mal na vida de alguém é complemento de teu próprio eu.

6 Comentários sobre os outros, no fundo, são exposições daquilo que carregas contigo.

7 Quase que imperceptivelmente apenas falamos daquilo que já conseguimos apreender.

8 O que vimos nas estradas alheias é o que está em nossos próprios caminhos.

9 Quem fala sem o coração naquilo que fala não alcança o coração que deseja atingir.

10 Quando quiseres ser visto não uses a queixa para semelhante exibição; trabalha em silêncio e serás visto com mais segurança.

11 A palavra mais cruel é aquela que se usa destruindo o bem.

12 Não te refiras ao infortúnio porque a felicidade de quem sofre talvez chegue amanhã.

13 Se o verbo não está iluminado de compreensão e de amor, a conversa será sempre inútil.

14 Quem se propõe a iluminar não menciona qualquer ingrediente das trevas.

15 Nunca te arrependerás de haver dito uma boa palavra.

16 Nada ensines destacando o mal, pelo simples prazer de salientá-lo, porque os teus ouvintes serão hipnotizados pelas imagens com as quais não desejarias prejudicá-los.

17 Quem perdoa não deve reportar-se à dívida que foi liquidada, sob pena de abrir nova ferida no coração daquele que se lhe fez devedor.

18 Criteriosa dieta na conversação é saúde no espírito.

19 A palavra indulgente é vacina contra muitos males.

20 Discutindo talvez esclareças, mas servindo convences.


Emmanuel


Citação parcial para estudo, de acordo com o artigo 46, item III, da Lei de Direitos Autorais.

.

Abrir