Bíblia do Caminho Testamento Xavieriano

Chico no Monte Carmelo — Autores diversos — 2ª Parte


6


Estudo como dever

1 Compreendamos, assim, nas instituições do Espiritismo, que restauram o Evangelho para a atualidade, o culto do estudo edificante como simples dever.

2 Todos detemos conosco graves lições.

  3 O estilete da angústia na própria alma…

  4 A expiação em família…

  5 A moléstia humilhante…

  6 A inibição aflitiva…

  7 A inadaptação social…

  8 A trama da obsessão…

  9 A esperança frustrada…


10 Buscar sistematicamente o alívio de uma hora, sem penetrar a essência da dor, é o mesmo que adquirir panaceias de ilusão e adotar a irresponsabilidade como norma de vida.

11 Por isso mesmo, é indispensável sacudir o marasmo do conformismo nos recessos do próprio ser, focando a observação em linhas renovadoras da emotividade e do pensamento para que se elevem nossas percepções e concepções, no rumo do progresso.

12 Para isso, é imprescindível que o estudo nos favoreça, porquanto a existência é passo da evolução em que o conhecimento é pão do Espírito, quanto o pão material é sustento do corpo.

  13 Estudo sem ostentação de saber.

  14 Estudo sem paranoia intelectual.

  15 Estudo para trabalho incessante.

  16 Estudo como hábito nobre nos domínios da cooperação e do entendimento.


.Emmanuel



(Mensagem psicografada pelo médium Francisco Cândido Xavier, em reunião pública da noite de 24 de dezembro de 1958, no “Centro Espírita Luz e Caridade”, na cidade de Monte Carmelo — Minas Gerais).


Essa lição foi publicada em 16-12-1995 pelo IDE e é a 12ª do livro “Doutrina-escola” e só posteriormente em 2002, com 40 anos de atraso, veio a lume no presente livro, editado pela UEM.


Citação parcial para estudo, de acordo com o artigo 46, item III, da Lei de Direitos Autorais.

.

Abrir