Bíblia do Caminho Testamento Xavieriano

Conversa firme — Cornélio Pires


14


Dinheiro e vida

  1 Você deseja saber

  Meu caro Juca Monteiro

  O que pensamos no Além

  Sobre assuntos de dinheiro.


  2 Encontrei muito interesse

  Em sua clara consulta

  Pois dinheiro, caro amigo,

  Tem muita lição oculta.


  3 Sabe você: muita gente

  Com despeito e palavrão,

  Quando se fala em fortuna,

  Estende condenação.


  4 Mas essa gente da inveja

  É sempre estranha e infeliz,

  Se vê dinheiro no bolso

  Esquece logo o que diz.


  5 Quando está na pindaíba

  Clama de verbo seguro,

  Se melhora de finança

  É mão fechada e pão duro.


  6 Sabemos que inveja é isto:

  A costumeira manobra

  De quem grita contra os outros

  E quer moeda de sobra.


  7 Dinheiro, porém, no fundo,

  Expressando compromisso,

  Pode ser considerado

  Alavanca de serviço.


  8 Todo o perigo no assunto

  Vem da treva que domina

  O coração da pessoa

  Ambiciosa e sovina.


  9 Dinheiro no esconderijo

  Sem proveito e sem ação,

  É o que provoca delírio,

  Dureza e perturbação.


  10 Recorde Tino Pulquério,

  Era agarrado na cruz,

  Ganhando a herança da esposa,

  Não quer saber de Jesus.


  11 Quinquim era um médium simples

  Num centro em Natividade,

  Acertou na loteria,

  Negou a mediunidade.


  12 Era bom pai, bom esposo,

  Liliu da Cacimba Rasa,

  Ganhando dinheiro em penca

  O moço deixou a casa.


  13 Noé comentava a Bíblia,

  — Que crença viva em Noé!… —

  Casando com moça rica,

  O rapaz perdeu a fé.


  14 Só falava em Jesus Cristo

  Dona Lia Conceição,

  Rica por morte de um tio,

  Largou a religião.


  15 Era bom médium de passes,

  Antônio de Dona Alice,

  Ao tornar-se fazendeiro,

  Fala que passe é tolice.


  16 Recorde Joaquim da Mata,

  O filho de Nhá Coleta,

  Por uma questão de herança,

  Arrasou a própria neta.


  17 Nunca reprove o dinheiro,

  Dinheiro por si encerra,

  Sempre que bem conduzido,

  A força do Céu na Terra.


  18 Desequilíbrio e maldade,

  Sombras tristes tais quais são,

  Só aparecem no ouro

  Escravizado à ambição.


  19 A finança que se mostra

  No serviço e na bondade,

  Faz-se apoio do progresso

  E apoio da caridade.


  20 A moeda que circula,

  Seja entre crentes e ateus,

  Naquilo que representa

  É sempre bênção de Deus.


Cornélio Pires


Citação parcial para estudo, de acordo com o artigo 46, item III, da Lei de Direitos Autorais.

.

Abrir