Bíblia do Caminho Testamento Xavieriano

Cartas do Alto — Autores diversos


54


Progresso e elevação

1 Enquanto se expõem na Terra os planos endereçados ao levantamento do mundo melhor, engajemo-nos na execução das obras que se lhe reportam à construção.

2 Os estabelecimentos de ensino superior entre os homens formarão os especialistas dos tempos novos.
Se te dispões, no entanto, a contribuir nas tarefas do bem comum, sem as quais toda civilização se reduziria a maravilha arquitetônica sem alma, podes, de imediato, encontrar o teu lugar de ação.

3 Empenham-se os físicos a desintegrarem a matéria nas mais íntimas estruturas.
Se te consagras à fraternidade, saberás liquidar as cristalizações das trevas que se expressam em forma de ignorância e desequilíbrio.

4 Químicos, sempre com mais profundidade, analisam as propriedades das substâncias e as leis que lhes presidem as transformações.
Efetivamente, se o desejas, consegues colaborar na educação e burilamento das emoções e das ideias em derredor de ti, transubstanciando conflitos e paixões em agentes de compreensão e harmonia.

5 Engenheiros aplicam os princípios da matemática nas construções.
Se permaneces de espírito acordado para a importância da solidariedade, empregarás os conhecimentos nobres que já entesouraste na edificação da segurança junto à experiência comunitária.

6 Imunólogos, com entranhada competência, surpreenderão novos processos de conjurar as doenças.
Se te devotas ao benefício dos teus próprios irmãos, saberás usar a tolerância, impedindo as explosões do ódio que geram violência e criminalidade.

7 Astronautas fixam novos roteiros, além da Terra, enaltecendo concepções e perspectivas da humanidade.
Se te dedicas, realmente, ao trabalho da concórdia, edificarás estradas de entendimento entre os corações que te cercam, pavimentando de bênçãos o intercâmbio das criaturas, em direção do Grande Porvir.

8 Sabes que o mundo se vê agora à frente da era tecnológica, em que o raciocínio consegue planar em mais altos níveis de realização, mas não ignoramos que nos achamos, todos, diante da era do espírito, na qual todos os valores da alma se reconhecem chamados à elevação do sentimento.

9 Há trabalho na cúpula da evolução e há trabalho nos alicerces do bem. Isso ocorre porque a ciência será sempre o cérebro da cultura, gerando o progresso, mas o amor será sempre o coração da vida criando a paz. 10 E urge reconhecer que sem a ciência tombaríamos, irremediavelmente, nos despenhadeiros da ignorância, no entanto sem amor a felicidade se fará claramente impossível. n


Emmanuel



Reformador — Junho de 1974.


[1] Segundo consta do original, a página foi recebida em reunião pública da Comunhão Espírita Cristã, na noite de 10/08/1973, em Uberaba, Minas Gerais.


Citação parcial para estudo, de acordo com o artigo 46, item III, da Lei de Direitos Autorais.

.

Abrir