Bíblia do Caminho Testamento Xavieriano

Cartilha da Natureza — Casimiro Cunha


16


O milharal

  1 O milharal nos parece,

  Do caminho que o sol doura,

  Uma esperança de Deus

  Sobre as bênçãos da lavoura.


  2 Além disso, representa

  Uma elevada oficina,

  Da nobre lei do trabalho

  Que o Pai de Amor nos ensina.


  3 Deus dá tudo: a terra, o ar,

  As chuvas e os instrumentos,

  Indicando o tempo próprio

  Com a força dos elementos.


  4 Manda o homem, que é seu filho,

  Cuidar da terra que é sua

  E esse filho convocado

  Guia o traço da charrua.


  5 Germina a semente amiga,

  Mas até que dê seus frutos,

  Exige muitos cuidados,

  Constantes e absolutos.


  6 Em seguida, o Céu concede

  A espiga amada e perfeita,

  Pedindo as dedicações

  Nas tarefas da colheita.


  7 Vem logo a descascadura,

  Depois o debulhador,

  E o moinho em movimento

  Nas lides do lavrador.


  8 Somente agora o celeiro

  Guarda as forças do bom grão,

  A esperança carinhosa

  Da véspera de seu pão.


  9 É um ensino generoso

  Que a leira de milho encerra,

  Um quadro de exemplo amigo,

  Das lutas de toda a Terra.


  10 Deus palpita em toda a parte,

  Nada faz ou cria a esmo,

  Mas pede em tudo a seu filho

  A elevação de si mesmo.


Casimiro Cunha


Citação parcial para estudo, de acordo com o artigo 46, item III, da Lei de Direitos Autorais.

.

Abrir