Bible of the WayBíblia do Caminho  † Xavierian TestamentTestamento Xavieriano

Índice Página inicial Próximo Capítulo

Colheita do bem — Mensagens familiares do Prof. Arthur Joviano (Neio Lúcio) e outros ©

 

96

 

A prece é o nosso ponto de apoio

05/09/1951

 

1 Meus queridos filhos, Deus abençoe a vocês todos, concedendo-lhes muita saúde, alegria e paz no desdobramento das nossas tarefas de cada dia.

2 A prece, indubitavelmente, é o nosso ponto de apoio para o encontro espiritual. E, por isso, o culto metódico da oração no lar é um serviço dos mais importantes em nossa vida, por definir, entre nós, a corrente incessante e substancial de contato recíproco. Benditas sejam as disposições de vocês no prosseguimento dos trabalhos que o Céu nos confia. Na Terra, enquanto o corpo de carne nos modifica a visão íntima, não é fácil avaliar a extensão dos benefícios que amealhamos e distribuímos orando, contudo, mais tarde, vocês identificarão a essência e a grandeza do esforço em que nos empenhamos, dia a dia, e de semana a semana, com persistência e constância, plasmando em nós a criatura que realmente devemos ser.

3 Estou muito satisfeito, meu caro Rômulo, com as suas experiências magnéticas no ambiente visitado, em face do espírito de iniciativa própria que você vai adicionando à tarefa assistencial. Pouco a pouco, as suas forças se consolidam e hoje se projetam com muito mais facilidade que ontem, ensejando minha alegria em nossa esfera de ação. Cada irmão, ou cada doente, a quem você dispensa carinho e enfermagem rápida é uma página viva do nosso ministério espiritual, que lemos ou escrevemos em nosso próprio benefício, no aprimoramento e engrandecimento de nossas possibilidades. Estimo vê-lo forte e animado na extensão crescente de nosso apostolado. Não é fácil criar esse estado de fé positiva que se irradia fartamente de seu “cosmos pessoal”, utilizado por muitos benfeitores nossos como sendo uma porta de auxílio a muita gente. Apenas a fé e a oração em suas manifestações aparentemente insignificantes conseguem doar à nossa alma semelhantes riquezas nos domínios do espírito imperecível.

4 Aqui venho fazendo o mesmo — procurando desenvolver as minhas possibilidades de auxílio junto de organizações assistenciais diferentes das que se encontram aí, mas onde o concurso magnético é sobejamente aplicado. E conhecendo a importância desse gênero de colaboração no reequilíbrio do perispírito penso agora que a magnetoterapia reduzirá mais tarde os trabalhos da medicina em mais de 50 por cento, de vez que, muito mais que possamos imaginar, a mente domina o corpo, reestruturando-o ou perturbando-o, de conformidade com as vibrações que recolhe. Avancemos servindo e, de certo, a vida nos abrirá preciosos tesouros em lições e recursos sempre multiplicados para a glória do bem.

5 Com respeito aos nossos casos administrativos, meu filho, os assuntos vão marchando de maneira regular. Muita novidade e muita experiência nociva, de alguma sorte, impõem grandes alterações em toda parte, mas contamos com a Providência Divina em favor do nosso propósito de continuar trabalhando na mesma plantação de benefícios públicos em que nos achamos detidos. Quanto seja possível a você, tranquilize a própria mente e aguardemos. 6 De nada serve a inquietação pelo que é incerto. Muitas vezes, perdemos grandes possibilidades de agir para a mais ampla extensão do bem por abrigarmos as aflições antecipadas no íntimo. Esperemos. Jesus nunca se empobrece de bênçãos. Sei que esta paisagem é como que o lar de seu coração pelos trabalhos abençoados de muito tempo e tudo faremos para que o nosso campo continue adornado de estrelas e flores, materializando as suas aspirações de trabalhador fiel do bem. Não pense seja apenas eu o interessado em seu bem-estar no círculo de serviço em que sua alma se agita. Vários amigos nossos efetuam o mesmo, operando e cooperando, aqui e ali, a nos ajudarem para que a política menos elevada não se sobreponha ao trabalho digno. Presentes encontram-se aqui comigo os nossos irmãos Telles e Dutra.  n  Ambos prometem continuar agindo em nosso favor.

7 Não se perca em demasiadas elucubrações com respeito ao assunto. Façamos o serviço do dia com a certeza de que o Senhor nos abençoa sempre e que com esse talento espiritual, que é a graça divina, tudo conseguiremos fazer na direção do bem eterno. Você sabe que a tempestade é simplesmente uma perturbação passageira. Aceitemo-la, embora saibamos quão arrasadoras se fazem as tormentas de ordem moral que nos colhem o espírito, e adiantemo-nos dentro da tarefa que nos cabe desempenhar. Felizmente, para nós, não desconhecemos que na Terra o serviço recebe, invariável, a retribuição dos outros em pesados impostos no círculo da inveja e despeito gratuitos. E, nesse aspecto, mais vale sofrer entre os perseguidos que usufruir as vantagens da preguiça brilhante. Atrás do tempo, o tempo viaja. Esperemos, assim, o futuro no futuro, que é, sem dúvida, o templo de nossas mais queridas realizações.

8 Estou cuidando de sua saúde e da saúde de nossa querida Maria. Vocês são, igualmente, meus clientes do coração em matéria do magnetismo curador. Graças à Providência do Alto, vamos recebendo maravilhas da Espiritualidade e da oração, em observando que vocês se refazem com galhardia e valor a cada novo golpe que a luta regular nos impõe. Através da água, no banho matinal, você, particularmente, vem recebendo o nosso concurso com segurança e harmonia, e não sei como endereçar a Jesus o meu reconhecimento, porque, em verdade, os nossos melhores pensamentos, qual acontece às correntes mais puras do manancial que se oculta na Terra, permanecem inexpressos no coração.

9 Por hoje, creio que outros assuntos deverão sofrer adiamento indeterminado, de vez que os nossos entendimentos, em espírito, não alcançarão o fim.

Com o meu abraço de muito carinho, saudade e imenso amor a vocês, reúne-os no coração o papai e vovô muito reconhecido que não os esquece,

 

A. .Joviano

 


[1] Nota da organizadora: Dutra Foi um amigo e colega de trabalho de Rômulo. Compareceu diversas vezes às reuniões do Grupo Doméstico Arthur Joviano.

 

Citação parcial para estudo, de acordo com o artigo 46, item III, da Lei de Direitos Autorais.