Bíblia do Caminho  † Testamento Xavieriano

Índice Página inicial Próximo Capítulo

Chico Xavier, coração missionário — Autores diversos


Prefaciando…

À guisa de prefácio, nada mais autêntico do que as próprias palavras de Chico Xavier, a mostrar a sua mediunidade quando do primeiro livro recebido e psicografado com a idade de 27 anos: Parnaso de Além-Túmulo. Alguns gênios da poesia por ele se mostraram; e nós a dizer: Continuamos vivendo e para se aproveitar da Luz da Vida que Deus nos oferece.

Chico Xavier aqui esteve, espírito encarnado, que nos favoreceu por sua disciplinada mediunidade e honradez como homem, a missão de consolidar o que Allan Kardec iniciou.

Nesse livro, Parnaso de Além-Túmulo, uma declaração, o seu compromisso ditado por suas próprias palavras: PALAVRAS MINHAS.

Leitor amigo, para o seu conhecimento, inserimos pedaços de seu pensamento em alguns trechos, grafados e grifados, que desnudam a sua alma de homem bom, caridoso e servidor fiel de Jesus.


Nasci em Pedro Leopoldo, Minas, em 1910. E até aqui, julgo que os meus atos perante a sociedade da minha terra são expressões do pensamento de uma alma sincera e leal, que acima de tudo ama a verdade; e creio mesmo que todos os que me conhecem podem dar testemunho da minha vida repleta de árduas dificuldades, e mesmo de sofrimentos… E, se decidi escrever estas modestas palavras no limiar deste livro, é apenas com o intuito de elucidar o leitor, quanto à sua formação… Até 1927, todos nós não admitíamos outras verdades além das proclamadas pelo Catolicismo; mas, eis que uma das minhas irmãs, em maio do ano referido, foi acometida de terrível obsessão; a medicina foi impotente para conceder-lhe uma pequenina melhora, sequer… Quando decidimos solicitar o auxílio de um distinto amigo, espírita convicto, o Sr. José Hermínio Perácio, que caridosamente se prontificou a ajudar-nos com a sua boa vontade… Aí, sob os seus caridosos cuidados e da sua Exma. esposa D. Carmen Perácio, médium dotada de raras faculdades, minha irmã hauria, para nosso benefício, os ensinamentos sublimes da formosa doutrina dos mensageiros divinos… Foi nesse ambiente onde imperavam os sentimentos cristãos… que a minha mãe, que regressara ao Além em 1915, deixando-nos mergulhados em imorredoura saudade, começou a ditar-nos os seus conselhos salutares, por intermédio da esposa do nosso amigo, entrando em pormenores da nossa vida íntima… Sobre esses fatos e essas provas irrefutáveis solidificamos a nossa fé, que se tornou inabalável….

Em agosto, porém, do corrente ano, apesar de muito a contragosto de minha parte, porque jamais nutri a pretensão de entrar em contacto com essas entidades elevadas, por conhecer as minhas imperfeições, comecei a receber a série de poesias que aqui vão publicadas (Parnaso de Além-Túmulo) assinadas por nomes respeitáveis.


Caro leitor, muito ainda ali está considerado na clareza de suas palavras, onde podemos avaliar o quanto Chico Xavier representou e continua representando para que a Humanidade entenda que a vida continua, que ela não é privilégio particularizado.

Esperamos que você nos compreenda a razão desta iniciativa e o quanto amparados pela fé, como Chico nos alentou, fé inabalável, a seguirmos no rumo de nossas vidas com Deus.


O Editor

Uberaba, janeiro de 2009.


[Data da última mensagem contida nesse livro, 29 de dezembro de 2000.]



Nota do Compilador: Todos os prefácios nos livros de Francisco Cândido Xavier foram recebidos na conclusão do livro, indicação segura de sua data de edição, embora, muitas vezes, houvessem sido publicados posteriormente. A data colocada entre colchetes é a mesma da mensagem mais tardia deste livro impresso em janeiro de 2009, a lição nº 12 intitulada “Em prece”.


Citação parcial para estudo, de acordo com o artigo 46, item III, da Lei de Direitos Autorais.

 

.

D
W