Bíblia do Caminho Testamento Xavieriano

Chico Xavier e suas mensagens no Anuário Espírita — Autores diversos ©


61


Dinheiro parado

  1 Dinheiro que chega em paz,

  Que as leis do bem não transgrida,

  É sempre bênção de Deus

  No passo de nossa vida.


  2 Se não é posto em capricho

  Nem vive parado em vão,

  É sangue para o trabalho,

  Apoio da educação.


  3 Além disso pode ser,

  Nas lides da toda idade,

  O doador da esperança

  E a base da caridade.


  4 Dinheiro do amor fraterno,

  Luz e consolo a caminho,

  Amparo do coração

  Que segue triste e sozinho…


5 Dinheiro, porém, na tranca,

  Inútil, conosco, a sós,

  Dinheiro desempregado

  Costuma fugir de nós.


6 Confirmando o que observo,

  Na presunção de estudar,

  Registro a pequena história

  Que peço para contar:


7 Grande sovina o velho Nico Frota,

  Para seguir na prática da usura,

  Só comia mingau com rapadura

  E morava no mato da Marmota.


8 Dormia num colchão de palha e nota.

  Mas chorava: “Ah! Meu Deus, a vida é dura!…

  Se eu não andasse preso na pendura,

  Não vivia sofrendo aqui na grota!…”


  9 Certa noite, Nhô Nico, à luz de vela,

  Recontava o tesouro na gamela,

  Quando o fogo caiu na papelada…

  Ele debalde corre, grita e clama!…

  Num momento, contudo, a dinheirama

  Era só labaredas, cinza e nada…


Cornélio Pires



(Anuário Espírita 1970)


Citação parcial para estudo, de acordo com o artigo 46, item III, da Lei de Direitos Autorais.

.

Abrir