Bíblia do Caminho Testamento Xavieriano

A Vida Escreve — Hilário Silva — 2ª Parte


25

Lola-Leila

I


1 Sempre Lola Mendez.

Borboleta humana expressando mulher. Perfumaria e seda farfalhante.

2 Bailarina admirável. Estonteante beleza.

Transportava a graça nos pés. Ao fim de cada espetáculo, era o centro das atenções. Ceias lautas. Esvaziam-se garrafas e bolsas.

3 Dentre todos os admiradores, porém, salientavam-se dois que, por ela, arruinaram a própria vida: Dom Gastão Alvares de Toledo, que abandonara esposa e filhos para fazer-lhe a corte, e Dom Jairo Carízio, que assassinara o próprio pai, às ocultas, para ofertar-lhe mais ouro.

4 Lola, entretanto, queria mais.

Soberana da ribalta, envolvia-os em sorrisos maliciosos.

Explorou-lhes o coração, até que se vissem, revoltados, um à frente do outro, em duelo fatal.

5 Dom Jairo, mais forte, eliminou o rival, com estocada irresistível; no entanto, obsidiado pela vítima, desceu, a breve tempo, para a caverna da loucura, onde encontrou a morte.

6 Lola Mendez dançou e bebeu por muito tempo ainda…

Um dia, o espelho contou-lhe a história da velhice.

Rosto enrugado. Cabeça branca. Passo lento.

7 Amedrontada, aprendeu a encontrar o socorro da prece.

E quando o túmulo lhe acomodou os restos no esquife estreito, veio a saber que Dom Gastão não morrera, que Dom Jairo padecia as consequências dos próprios crimes, e que ela própria vivia.

8 Chorou. Desesperou-se.

Peregrina do sofrimento, errou longo tempo nas trevas.

9 Um dia, mãos piedosas traçaram-lhe nova senda. Renasceria no mundo. Seria pobre, muito pobre. Esconderia em lar humilde a passada grandeza.

10 E, ao lado de homem simples, receberia Dom Gastão e Dom Jairo como filhos, para reeducá-los. Ela que os havia moralmente aniquilado, na posição de mulher inconstante, reabilitá-los-ia com devotamento de mãe.


II


1 Lola renasceu.

Chamava-se agora Leila.

Menina apagada. Recomeço laborioso. Trabalho árduo.

2 Antes dos vinte, desposou Luís Fernandes, metalúrgico modesto.

Segundo o plano estabelecido, os antigos rivais lhe encontrariam a rota.

Ressurgiriam do seu sangue. Seriam irmãos gêmeos, desfazendo toda a discórdia.

3 A antiga devedora, contudo, novamente em plenitude juvenil, aspirava a gozar… Queria joias, prazeres, descanso, luxo…

4 E, fugindo aos compromissos, praticou o aborto criminoso por quatro vezes, expulsando-os do corpo e do pensamento, como se fossem agentes da peste.

5 Dom Gastão e Dom Jairo, reunidos agora no mesmo instinto de esperança, rogaram-lhe compaixão. Buscavam-na em sonho. Argumentavam. Queriam viver.

A antiga bailarina, porém, recalcitrava…

6 Banidos violentamente pela quinta vez, ambos tramaram vindita, enceguecidos de ódio.

E quando Lola, agora Leila, se divertia, a distância do esposo, influenciaram-na, totalmente.

Ela se põe a ingerir bebidas alcoólicas.

7 Noite alta, a moça leviana toma o carro de um amigo, que se propõe conduzi-la de volta.

O velocímetro acusa quarenta, sessenta e, depois, noventa quilômetros por hora.

8 Dom Gastão e Dom Jairo, excitados, pressionam a mente da amiga, que, com o terror estampado nos olhos, se diz dominada por fantasmas.

Acreditando-a sob o domínio exclusivo da embriaguez, o acompanhante da noite alegre procura contê-la, sem largar o volante.

9 Atritam-se. E antes que o freio funcionasse, abre-se a porta, e Leila, ontem Lola, cai no asfalto, partindo o crânio.

O carro dispara, na madrugada cinzenta.

10 E de tudo o que ficou, entre os homens, nas anotações da manhã seguinte, foi o número da ambulância que recolheu na rua um corpo de mulher morta…

Do outro lado da vida, porém, Leila era violentamente agarrada por dois feros algozes…


.Hilário Silva


(Psicografia de Francisco C. Xavier)


Citação parcial para estudo, de acordo com o artigo 46, item III, da Lei de Direitos Autorais.

.

Abrir