Bíblia do Caminho Testamento Xavieriano

Através do Tempo — Autores diversos


46

No grande livro

1 Meditando estrada afora,

Perceberás com clareza

Que a vida fulge ensinando

No livro da Natureza.


   2 Por sugestão de fé viva

  Ante a aflição que te invade,

  Recorda a força tranquila

  Do ninho na tempestade.


3 Estendendo amparo a todos

No culto da Lei Divina,

A árvore não devora

Os frutos que dissemina.


   4 Repara o incêndio no campo

  Que a tudo atinge e consome…

  A ambição é como fogo

  Que morre de gula e fome.


5 Não censures nem condenes.

Melhora a feição da estrada.

O pão alvo nasce puro

Da lama regenerada.


   6 Resguarde-te a paciência

  Se a dor te parece um mal.

  Contempla a rosa florindo

  Na ponta do espinheiral.


7 Evita a lamentação.

A mágoa que chega e fica

Traz a queixa que parece

A praga da tiririca.


   8 Por lição de lealdade

  A rota em que persevera,

  A andorinha brilha sempre

  Nas luzes da primavera.


9 Mostrando que o bem é glória

Na mais humilde expressão,

O esgoto na moradia

É a caridade no chão.


   10 Toda pessoa ociosa

  Cuja vida é sombra e nada

  Tem o perigo iminente

  Do poço de água parada.


11 Serve a Deus em teu lugar.

Pouco faz quem muito ousa.

A galinha muito andeja

Tenta o bote da raposa.


   12 Há quem traga insulto à fonte,

  Mas a fonte segue e vence-o,

  Por receber todo insulto

  Em melodia ou silêncio.


13 Escutando a alma das coisas,

No dever de cada dia,

Entenderás pouco a pouco,

A Eterna Sabedoria.

Casimiro Cunha



(Psicografada em 4/7/1959 na Comunhão Espírita Cristã, na cidade de Uberaba, M. G.)


Citação parcial para estudo, de acordo com o artigo 46, item III, da Lei de Direitos Autorais.

.

Abrir