Bíblia do Caminho  † Testamento Xavieriano

Índice Página inicial Próximo Capítulo

Através do Tempo — Autores diversos


34


Jesus por nós

1 Não basta a experimentação científica a estender-se, indefinidamente, em afirmações provisórias, não obstante a respeitabilidade com que nos preside a evolução para a Esfera Superior.

2 Não basta, igualmente, a definição filosófica, muita vez, limitando os voos do espírito no rumo da glória a que se destina.

3 É imprescindível que o coração se erga ao cérebro, sublimando-lhe as mais íntimas cogitações, para que o amor clareie os caminhos da vida.

4 A nós outros, companheiros de lutas e experiências de outras eras, cabe agora o privilégio de anunciar as verdades novas…

5 Outrora, incompreensivos e rebelados, hostilizávamos o Senhor na pessoa daqueles que no-lo traziam no próprio exemplo.

6 Encastelados na aristocracia do ouro e do poder ou petrificados nos dogmas das igrejas, separados pela vaidade e pela discórdia, em muitas ocasiões, malversávamos as concessões do Alto, quando não nos consagrávamos à ironia e à perseguição, cercando-lhe o pensamento divino, através das mais deploráveis manifestações de ignorância e de orgulho, de egoísmo e crueldade, descendo, desiludidos e inconsequentes, aos desfiladeiros da treva.

7 Outrora, convertíamos a existência corpórea em instrumento de preservação da animalidade e do crime, depredando as promessas da luz, cristalizados que nos achávamos na furna de nossa própria miséria!.

8 Hoje, porém, o Espiritismo é a nossa porta de trabalho para a benção do reajuste.

9 Exumados da aflição e do nevoeiro que nos paralisavam os braços nos precipícios da sombra, somos agora trazidos pela Misericórdia d’Ele, Nosso Mestre e Senhor, à construção da felicidade humana que expressa nossa própria felicidade.

10 É por isso que, convidados ao campo de abençoada luta, não podemos olvidar nossa responsabilidade maior…

11 Cristo em nós para que o mundo se renove nas excelsas realidades do Espírito…


12 JESUS

  em nosso pensamento para que saibamos entender e ajudar;

  em nossas palavras a fim de que aprendamos a soerguer e auxiliar, ao invés de reprovar e ferir;

  em nossos olhos e em nossos ouvidos para que venhamos a encontrar o bem com o esquecimento do mal;

  em nossas mãos a fim de que nos decidamos a converter as horas em cânticos de trabalho edificante a favor do progresso comum…


13 E sobretudo, amigos, Cristo em nosso coração para que a Boa Nova não seja um tema vazio em nossos lábios, mas sim a própria melodia do Céu a exprimir-se na Terra, onde estejamos, em nome da nossa fé, cultivando a fraternidade e a confiança, a paz e a beleza, em refulgente antecipação do Reino de Deus…

14 Assim, pois, reunidos na oração, não nos esqueçamos de Jesus nas linhas de ação, dentro das quais, sem dúvida alguma, o Evangelho por nós é a palavra viva em que o mundo desfalecente compreenderá a infinita bondade de Nosso Pai, a imortalidade da alma, a intangibilidade da justiça e a luz sublime do amor que nos assegurará, por fim, a eterna alegria na eterna ressurreição.


.Emmanuel



(Psicografada em 19/7/1956 no Centro Espírita Caminheiros do Bem, na cidade de Araxá, MG.)


Citação parcial para estudo, de acordo com o artigo 46, item III, da Lei de Direitos Autorais.

 

.

D
W