Bíblia do Caminho Testamento Xavieriano

Através do Tempo — Autores diversos


22

Ao caminheiro da redenção

   1 Peregrino da dor que regenera,

  Humilhado nas pedras do caminho,

  Ergue teus olhos ao celeste ninho

  E arrimado no amor confia e espera…


     2 Além da poda que é flagelo à vida,

    Fulgem messes divinas de fartura.

    E além das aflições da noite escura

    Surge a aurora de paz indefinida.


   3 Toda vitória sobre a natureza

  Reclama sacrifício, mágoa e luta…

  Aos golpes do buril, a pedra bruta

  Conquista a glória e o brilho da beleza.


     4 Assim, pois, o obstáculo e o problema,

    O infortúnio, a miséria, a angústia e a prova

    São recursos de acesso à vida nova,

    Portas abertas para a luz suprema.


   5 Segue, assim, tua senda áspera e fria,

  Louvando a cruz que te lacera os ombros,

  Depois do fel de todos os escombros,

  Penetrarás o templo da alegria.

Carmen Cinira



(Psicografada em 28/6/1950 no Centro Espírita Amor ao Próximo, na cidade de Leopoldina, M. G.)


Citação parcial para estudo, de acordo com o artigo 46, item III, da Lei de Direitos Autorais.

.

Abrir