Bíblia do Caminho Testamento Kardequiano

Revista espírita — Ano II — Junho de 1859

(Édition Française)

Conversas familiares de além-túmulo


O negro Pai Cesar

Sociedade, 25 de março de 1859.

Pai César, homem livre, de cor, falecido em 8 de fevereiro de 1859, com 138 anos de idade, perto de Covington,  †  nos Estados Unidos. Nasceu na África e foi levada para a Louisiana com cerca de 15 anos. Os restos mortais desse patriarca da raça negra foram acompanhados ao campo de repouso por um certo número de habitantes de Covington, e uma multidão de pessoas de cor.


1. (A São Luís). – Poderíeis dizer-nos se podemos invocar o preto Pai César, a quem acabamos de nos referir?

Resposta. – Sim; eu o auxiliarei a vos responder.


Observação – Esse começo faz pressagiar o estado do Espírito que desejamos interrogar.


2. Evocação.

Resposta. – O que desejais de mim? O que faz um pobre Espírito como eu numa reunião como a vossa?


3. Sois mais feliz agora do que em vida?

Resposta. – Sim, porquanto não era boa a minha situação na Terra.


4. Entretanto, estáveis livre; em que sois mais feliz agora?

Resposta. – Porque meu Espírito não é mais negro.


Observação – Essa resposta é mais sensata do que parece à primeira vista. Certamente o Espírito jamais é negro; ele quer dizer que, como Espírito, não sofre mais as humilhações a que está exposta a raça negra.


5. Vivestes muito tempo. Isso aproveitou ao vosso progresso?

Resposta. – Eu me aborreci na Terra e, numa certa idade, não sofria bastante para ter a felicidade de progredir.


6. Em que empregais o tempo atualmente?

Resposta. – Procuro esclarecer-me e saber em que corpo poderei fazê-lo.


7. Quando estáveis na Terra o que pensáveis dos brancos?

Resposta. – São bons, mas orgulhosos e vãos, devido a uma alvura de que não foram responsáveis.


8. Considerais a brancura como uma superioridade?

Resposta. – Sim, visto ter sido desprezado como negro.


9. (A São Luís). – A raça negra é de fato uma raça inferior?

Resposta. – A raça negra desaparecerá da Terra. Foi feita para uma latitude diversa da vossa.


10. (Ao Pai César). – Dissestes que procurais um corpo através do qual podereis progredir. Escolheríeis um corpo branco ou um corpo negro?

Resposta. – Um branco, porque o desprezo me faria mal.


11. Vivestes realmente até a idade que vos é atribuída: 138 anos?

Resposta. – Não contei bem, pela razão que já disse.


Observação – Acabamos de observar que os negros, não possuindo registro civil de nascimento, só de maneira aproximada podem ter a idade avaliada, sobretudo a daqueles que nasceram na África.


12. (A São Luís). – Algumas vezes os brancos reencarnam em corpos negros?

Resposta. – Sim. Quando, por exemplo, um senhor maltratou um escravo, pode acontecer que peça, como expiação, para viver num corpo de negro, a fim de sofrer, por sua vez, o que fez padecer os outros, progredindo por esse meio e obtendo o perdão de Deus.


Citação parcial para estudo, de acordo com o artigo 46, item III, da Lei de Direitos Autorais.

.

Abrir