Bíblia do Caminho Testamento Kardequiano

O que é o Espiritismo.

(Primeira versão.)
(Édition Française)

Capítulo III.


SOLUÇÃO DE ALGUNS PROBLEMAS PELA DOUTRINA ESPÍRITA

(Sumário)


PLURALIDADE DOS MUNDOS.


105.Os diferentes mundos que circulam no espaço serão habitados como a Terra?

Todos os Espíritos o afirmam e a razão diz que assim deve ser. A Terra não ocupa no Universo nenhum lugar especial, nem por sua posição nem por seu volume, e nada justificaria o privilégio exclusivo de ser habitada. Além disso, Deus não teria criado milhares de globos com o fim único de recrear-nos a vista, tanto mais que o maior número deles se acha fora do nosso alcance.. (O Livro dos Espíritos, n° 55; Revista Espírita, março de 1858, pág. 65: “Pluralidade dos mundos”, por Flammarion.)


106. Se os mundos são povoados, serão seus habitantes, em tudo, semelhantes aos da Terra? Em uma palavra, poderiam eles viver entre nós, e nós entre eles?

A forma geral poderia ser mais ou menos a mesma, mas o organismo deve ser adaptado ao meio em que eles têm de viver, como os peixes são feitos para viver na água e as aves no ar. Se o meio for diverso, como tudo leva a crer e como parece demonstrá-lo as observações astronômicas, a organização física deles também deve ser diferente; não é, pois, provável que, em seu estado normal, eles possam viver em tais mundos com os mesmos corpos, o que é confirmado por todos os Espíritos.


107.Admitindo que esses mundos sejam povoados, estarão na mesma posição da Terra, sob o ponto de vista intelectual e moral?

Segundo o ensino dos Espíritos, os mundos se acham em graus de adiantamento muito diferentes; alguns estão no mesmo ponto que o nosso; outros são mais atrasados, sendo sua humanidade mais bruta, mais material e mais propensa ao mal. Outros, pelo contrário, são muito mais adiantados, moral, intelectual e fisicamente; neles o mal moral é desconhecido, as artes e as ciências já atingiram um grau de perfeição que escapa à nossa compreensão; a organização física, menos material, não está sujeita aos sofrimentos, moléstias e enfermidades; aí os homens vivem em paz, sem buscar o prejuízo uns dos outros, isentos dos desgostos, cuidados, aflições e necessidades que os assediam na Terra. Há, finalmente, outros ainda mais adiantados, onde o envoltório corporal, quase fluídico, se aproxima cada vez mais da natureza dos anjos. Na série progressiva dos mundos, a Terra não ocupa o primeiro nem o último lugar, embora seja um dos mais materiais e atrasados. (Revista Espírita, março de 1858, pág. 67: “Júpiter e alguns outros mundos”; Idem, abril de 1858, pág. 108: “Descrição de Júpiter”; Id., agosto de 1858, pág. 223: “Habitações do planeta Júpiter”; Id., outubro de 1860, pág. 318: “Marte”; pág. 320: “Júpiter”; A moral do Evangelho segundo o Espiritismo, capítulo III.)


Citação parcial para estudo, de acordo com o artigo 46, item III, da Lei de Direitos Autorais.

.

Abrir