Bíblia do CaminhoAntigo Testamento

Índice Página inicial Próximo Capítulo

Provérbios   Ee

(Vulgatæ Editionis)

CAPÍTULO 15

(Versículos e sumário)

15 A resposta branda quebra a ira; a palavra dura suscita o furor.

2 A língua dos sábios orna a ciência; a boca dos insensatos toda se desfaz em dizer loucuras.

3 Os olhos do Senhor em todo o lugar contemplam aos bons e aos maus.

4 A língua pacífica é uma árvore de vida; mas a que é imoderada, quebrantará o espírito.

5 O insensato faz escárnio da correção de seu pai; mas o que toma para si as repreensões, far-se-á mais avisado. Na abundante justiça há uma grandíssima força, mas os pensamentos dos ímpios serão desarraigados.

6 A casa do justo é mui grande fortaleza; e nos frutos do ímpio não há senão turbação.

7 Os lábios dos sábios difundirão a ciência; o coração dos insensatos será dessemelhante.

8 As vítimas dos ímpios são abomináveis ao Senhor; os votos dos justos o aplacam.

9 O caminho do ímpio é abominação para o Senhor; o que segue a justiça é amado dele.

10 A doutrina é má para o que deixa o caminho da vida; aquele que aborrece as repreensões, morrerá.

11 O inferno e a perdição estão diante do Senhor; quanto mais o estarão os corações dos filhos dos homens!

12 O homem pernicioso não ama a quem o repreende; nem vai buscar aos sábios.

13 O coração contente alegra o semblante; com a tristeza de alma se abate o espírito.

14 O coração do sábio busca a doutrina; e a boca dos insensatos se apascenta de imperícia.

15 Todo os dias do pobre são maus; a alma tranquila é como um banquete contínuo.

16 Com temor do Senhor mais vale o pouco do que os grandes tesouros que nunca jamais saciam.

17 Mais vale ser chamado com afeto a comer umas ervas, do que comer um gordo novilho com desamor.

18 O homem iracundo provoca rixas; o que é paciente aplaca as que se tem já excitado.

19 O caminho dos preguiçosos é como uma sebe de espinhos; o caminho dos justos é sem tropeço.

20 O filho sábio alegra a seu pai; e o homem insensato despreza a sua mãe.

21 A loucura é gosto para o insensato; e o varão prudente mede os seus passos.

22 Os pensamentos dissipam-se onde não há conselho; mas onde há muitos conselheiros, se confirmam.

23 Alegra-se o homem na sentença da sua boca; mas a palavra oportuna é a melhor.

24 A vereda da vida está acima do homem instruído, para se desviar do mais profundo do inferno.

25 O Senhor demolirá a casa dos soberbos, e firmará os limites do campo da viúva.

26 Os maus pensamentos são a abominação do Senhor; e a palavra pura como muito agradável, será por ele aprovada.

27 Aquele que vai atrás da avareza, perturba a sua casa; o que porém aborrece as dádivas viverá. Os pecados purificam-se pela misericórdia e pela fé; e todo o homem evita o mal por meio do temor do Senhor.

28 A alma do justo medita a obediência; a boca dos ímpios trasborda em males.

29 O Senhor está longe dos ímpios; e ele atenderá às orações dos justos.

30 A luz dos olhos alegra a alma; a boa reputação engorda os ossos.

31 O ouvido que ouve as repreensões salutares terá a sua morada no meio dos sábios.

32 Aquele que rejeita disciplina, despreza a sua alma; mas o que está pelas repreensões, é possuidor do seu coração.

33 O temor do Senhor é a disciplina da sabedoria; e a humildade precede a glória.



Há imagens desse capítulo, visualizadas através do Google - Pesquisa de livros, nas seguintes bíblias: Padre Antonio Pereira de Figueiredo edição de 1828 | Padre João Ferreira A. d’Almeida, edição de 1850 | A bíblia em francês de Isaac-Louis Le Maistre de Sacy, da qual se serviu Allan Kardec na Codificação.

Veja também as seguintes versões: Corrigida e revisada, fiel de Almeida; A Hebrew - English Bible — JPS 1917 Edition; La Bible bilingue Hébreu - Français — “Bible du Rabbinat”, selon le texte original de 1899; Parallel Hebrew Old Testament by John Hurt


.

Abrir