Bíblia do Caminho Antigo Testamento

Malaquias    † 

(Vulgatæ Editionis)

CAPÍTULO 1

(Versículos e sumário)

1 Peso da palavra do Senhor sobre Israel, por ministério de Malaquias.

2 Eu vos amei, diz o Senhor e vós dissestes: Em que nos amaste tu? Acaso não eras Esaú irmão de Jacob, diz o Senhor, e contudo eu amei a Jacob,

3 E aborreci a Esaú? E reduzi os seus montes a uma solidão, e deixei a sua herança aos dragões do deserto.

4 E se a Idumeia disser: Nós fomos destruídos, mas nós tornaremos para edificar o que foi destruído, isto diz o Senhor dos exércitos: Estes edificarão e eu destruirei, e chamar-se-ão umas regiões de impiedade, e um povo contra o qual se irou o Senhor eternamente.

5 E os vossos olhos o verão, e vós direis: Engrandecido seja o Senhor sobre a terra de Israel.

6 O filho honra a seu pai, e o servo reverencia a seu Senhor; se eu pois sou vosso Senhor, onde está o temor que se me deve? diz o Senhor dos exércitos; convosco falo, ó sacerdotes, que desprezais o meu nome, e dissestes: Em que desprezamos nós o teu nome?

7 Vós ofereceis sobre o meu altar um pão imundo, e dizeis: Em que te profanamos nós? Nisso que dizeis: A mesa do Senhor está desprezada.

8 Se vós ofereceis uma hóstia cega para ser imolada, não é isto mau? E se ofereceis uma que é coxa, e doente, não é isto mau? Oferece estes animais ao teu governador, a ver se eles lhe agradarão, ou se ele te receberá com agrado, diz o Senhor dos exércitos.

9 Agora pois fazei as vossas deprecações ante o acatamento de Deus, para que ele se compadeça de vós (porque tudo isto foi feito por vossas mãos) a ver se vos recebe de um modo mais favorável, diz o Senhor dos exércitos.

10 Quem há entre vós, que feche as portas, e acenda o lume do meu altar gratuitamente? O meu afeto não está em vós, diz o Senhor dos exércitos, nem eu receberei algum donativo da vossa mão.

11 Porque desde o nascente do sol até o poente, é o meu nome grande entre as gentes, e em todo o lugar se sacrifica, e se oferece ao meu nome uma oblação pura: porque meu nome é grande entre as gentes, diz o Senhor dos exércitos.

12 E vós o tendes profanado nisto que dizeis: A mesa do Senhor está contaminada; e aquilo que se oferece em cima dela, é desprezível, com o fogo que o devora.

13 Outrossim dissestes vós: Eis aqui te oferecemos nós o melhor do nosso trabalho e com isto fizestes desprezível o que oferecestes, diz o Senhor dos exércitos; e vós me trouxestes umas rezes mancas, e doentes que eram o fruto das vossas rapinas, e mas oferecestes de presente; cuidais vós pois que receberei eu um tal presente da vossa mão? diz o Senhor.

14 Maldito seja o homem enganador, que tem nu seu rebanho um animal são, e tendo feito voto dele ao Senhor, lhe sacrifica um doente; porque eu sou o grande Rei, diz o Senhor dos exércitos, e o meu nome é reverenciado com horror entre as gentes.



Há imagens desse capítulo, visualizadas através do Google - Pesquisa de livros, nas seguintes bíblias: Padre Antonio Pereira de Figueiredo edição de 1828 | Padre João Ferreira A. d’Almeida, edição de 1850 | A bíblia em francês de Isaac-Louis Le Maistre de Sacy, da qual se serviu Allan Kardec na Codificação.

Veja também as seguintes versões: Corrigida e revisada, fiel de Almeida; A Hebrew - English Bible — JPS 1917 Edition; La Bible bilingue Hébreu - Français — “Bible du Rabbinat”, selon le texte original de 1899; Parallel Hebrew Old Testament by John Hurt


.

Abrir