Bíblia do Caminho Antigo Testamento

Lamentações de Jeremias    † 

(Vulgatæ Editionis)

CAPÍTULO 4

(Versículos e sumário)

4 ALEPH. Como assim se escureceu o ouro, se mudou a sua cor tão bela, foram espalhadas as pedras do santuário pelos ângulos de todas as praças?

2 BETH. Os filhos de Sião esclarecidos, e vestidos de fino ouro; como assim têm sido reputados como vasos de terra obra de mãos de oleiro?

3 GHIMEL. Mas até as lâmias  n descobriram os seus peitos, deram leite às suas crias; a filha do meu povo fez-se cruel, como a avestruz no deserto.

4 DALETH. A língua do que mama pela sede ficou pegada ao seu paladar; os pequeninos pediram pão, e não havia quem lho partisse.

5 HE. Os que comiam delicadamente morreram nos caminhos; os que se nutriam entre púrpuras, abraçaram o esterco.

6 VAU. E a iniquidade da filha do meu povo se fez maior que o pecado de Sodoma, a qual foi sovertida num momento, sem que mãos algumas se apoderassem dela.

7 ZAIN. Os seus nazarenos eram mais alvos que a neve, mais nítidos que o leite, mais vermelhos que o antigo marfim, mais formosos que a safira.

8 HETH. Denegrida está a face deles mais do que os carvões; e não são conhecidos nas praças; a sua pele se pegou aos ossos; secou-se, e tornou-se como um pau.

9 TETH. Melhor lhes foi aos mortos à espada, que aos mortos de fome; pois estes padeceram uma morte lenta pela esterilidade da terra.

10 JOD. As mãos das mulheres compassivas cozeram seus filhos; serviram-lhes de mantimento na ruína da filha do meu povo.

11 CAPH. Deu o Senhor cumprimento ao seu furor, derramou a ira da sua indignação; e ateou fogo em Sião, o qual devorou os fundamentos dela.

12 LAMED. Nunca tal creram os reis da terra, nem todos os moradores do mundo, que entraria o inimigo, e o adversário pelas portas de Jerusalém.

13 MEM. Pelos pecados dos seus profetas, e pelas iniquidades dos seus sacerdotes, que derramaram no meio dela o sangue dos justos.

14 NUN. Erraram cegos nas praças, contaminaram-se de sangue; e não podendo, levantavam as extremidades das suas roupas.

15 SAMECH. Apartai-vos, imundos, lhes gritaram; retirai-vos, ide-vos, não nos toqueis; porque altercaram, e os que foram comovidos disseram entre as gentes: Não continuará daqui em diante a habitar entre eles.

16 PHE. A face do Senhor os apartou de si, não tornará a olhar para eles; não respeitaram os rostos dos sacerdotes, nem se compadeceram os anciãos.

17 AIN. Quando nós ainda subsistíamos, cansaram os nossos olhos de esperar para nós um vão socorro, olhando nós atentos para uma gente que nos não podia salvar.

18 SADE. Os nossos passos escorregaram, andando pelas nossas ruas; está chegando o nosso fim; os nossos dias estão cumpridos, porque chegou o nosso termo.

19 COPH. Os nossos perseguidores foram mais velozes que as águias do céu; eles nos perseguiram sobre os montes, armaram-nos ciladas no deserto.

20 RES. O espírito da nossa boca, o cristo senhor foi preso por nossos pecados; a quem dissemos: A tua sombra viveremos entre as gentes.

21 SIN. Alegra-te, e regozijai-te, ó filha de Edom, que habitas na terra de Hus; a ti também chegará o cálice, tu serás dele embriagada, e serás despida.

22 THAU. Chegou ao seu termo a tua maldade, ó filha de Sião, não te tornará mais a transportar; ele visitou a tua maldade, ó filha de Edom, descobriu os teus pecados.



Há imagens desse capítulo, visualizadas através do Google - Pesquisa de livros, nas seguintes bíblias: Padre Antonio Pereira de Figueiredo edição de 1828 | Padre João Ferreira A. d’Almeida, edição de 1850 | A bíblia em francês de Isaac-Louis Le Maistre de Sacy, da qual se serviu Allan Kardec na Codificação. Veja também: Hebrew - English Bible — JPS 1917 Edition; La Bible bilingue Hébreu - Français — “Bible du Rabbinat”, selon le texte original de 1899; Parallel Hebrew Old Testament by John Hurt.


.

Abrir