Bíblia do Caminho Antigo Testamento

Juízes    † 

(Vulgatæ Editionis)

CAPÍTULO 9

(Versículos e sumário)

9 E Abimelechh filho de Jerobaal foi-se a Siquém aos irmãos de sua mãe, e falou com eles, e com toda a parentela da casa do pai de sua mãe, dizendo:

2 Representai a todos os homens de Siquém; qual é melhor para vós, serdes dominados por setenta homens, filhos todos de Jerobaal, ou por um só? considerai também que eu sou osso vosso, e carne vossa.

3 E falaram os irmãos de sua mãe a favor dele assim a todos os homens de Siquém, e inclinaram o coração deles a favor de Abimelech, dizendo: É nosso irmão.

4 E os Siquemitas lhe deram setenta siclos de prata do templo de Baalberith. Com este dinheiro tomou ele a seu soldo uma tropa de gente miserável e vagabunda, que o seguiu.

5 E passou a Efra a casa de seu pai, e matou em cima duma mesma pedra a setenta irmãos seus, filhos de Jerobaal; e ficou somente Joathão, que era o filho mais moço de Jerobaal que se escondeu.

6 Então se ajuntaram todos os Siquemitas, e todas as famílias da cidade de Mello; e foram, e constituíram por seu rei a Abimelech junto a um carvalho, que havia em Siquém.

7 Tendo sido avisado disto Joathão, foi, e parou sobre o cume do monte de Garizim; e elevando a voz, clamou, e disse: Ouvi-me, moradores de Siquém, assim Deus vos ouça.

8 Foram uma vez as árvores a eleger sobre si um rei; e disseram à oliveira: Reina sobre nós.

9 Ela respondeu: Acaso posso eu deixar o meu óleo, de que se servem tanto os deuses como os homens, para vir a ser superior às outras árvores?

10 E disseram as árvores à figueira: Vem, e toma o reinado sobre nós.

11 Ela lhes respondeu: Acaso posso eu deixar a minha doçura, e suavíssimos frutos, para ir a sobressair entre as outras árvores?

12 E disseram as árvores à videira: Vem, e toma o mando sobre nós.

13 Ela lhes respondeu: Porventura posso eu deixar o meu vinho, que é alegria de Deus e dos homens, para vir tomar o primeiro lugar entre as mais árvores?

14 E todas as árvores disseram ao espinheiro: Vem, e serás nosso rei.

15 Ele lhes respondeu: Se vós deveras me constituis por vosso rei, vinde, e repousai debaixo da minha sombra; se o não quereis assim, saia fogo do espinheiro, e devore os cedros do Líbano.

16 Agora pois, se com retidão, e sem pecado constituístes por vosso rei a Abimelech, e vos portastes bem com Jerobaal, e com a sua casa, e correspondestes como devíeis aos benefícios daquele que pelejou por vós,

17 E que expôs a sua própria vida aos perigos, para vos livrar do poder de Madian;

18 Vós, que agora vos levantastes contra a casa de meu pai, e tirastes a vida a setenta varões seus filhos sobre uma mesma pedra, e constituístes rei dos habitantes de Siquém a Abimelech filho duma sua escrava, porque é vosso irmão;

19 Se pois vós vos tendes portado com retidão, e sem pecado com Jerobaal e com a sua casa, alegrai-vos hoje com Abimelech, e ele se alegre convosco.

20 Mas se obrastes perversamente; saia fogo dele, e devore aos habitadores de Siquém, e a cidade de Mello; e dos moradores de Siquém, e da cidade de Mello saia fogo, e devore a Abimelech.

21 Tendo dito estas palavras, fugiu Joathão, e foi-se a Bera; e habitou ali por temer a Abimelech seu irmão.

22 Reinou pois Abimelech sobre Israel três anos.

23 Mas o Senhor enviou um péssimo espírito entre Abimelech e os habitantes de Siquém, que começaram a detestá-lo,

24 E a imputar a atrocidade da morte dos setenta filhos de Jerobaal, e a efusão do seu sangue a Abimelech, seu irmão, e aos outros príncipes dos Siquemitas, que o tinham ajudado.

25 E armaram contra ele ciladas no alto dos montes; e enquanto ali esperavam que viesse, cometiam roubos, despojando aos que passavam; e disto foi avisado Abimelech.

26 Veio pois Gaal filho de Obed com seus irmãos, e passou a Siquém. A cuja chegada animados os Siquemitas,

27 Saíram aos campos devastando as vinhas e pisando aos pés os cachos; e formados coros de cantores entraram no templo do seu Deus, e enquanto comiam e bebiam, amaldiçoavam a Abimelech,

28 Clamando Gaal filho de Obed: Quem é Abimelech? e que cidade é Siquém, para que nós lhe estejamos sujeitos? Não é ele filho de Jerobaal, e não constituiu a Zebul, seu servo, para príncipe da casa de Hemor pai de Siquém? Por que razão pois o serviremos?

29 Prouvera a Deus, que alguém me desse o mando deste povo, para eu dar cabo de Abimelech. E foi dito a Abimelech: Ajunta um exército numeroso, e vem.

30 Porque Zebul governador da cidade, tendo ouvido o que dissera Gaal, filho de Obed, ficou por extremo irado,

31 E enviou secretamente correios a Abimelech que lhe disseram: Adverte que Gaal, filho de Obed veio a Siquém com seus irmãos, e anda sublevando a cidade contra ti.

32 Portanto sai de noite com as tropas, que tens contigo, e deixa-te estar escondido no campo;

33 E pela manhã ao sair do sol, dá de golpe sobre a cidade; e saindo Gaal contra ti com a sua gente, faze-lhe o que puderes.

34 Abimelech pois marchou de noite com todo o seu exército, e pôs emboscadas em quatro lugares ao pé de Siquém.

35 E saiu Gaal, filho de Obed, e fez alto à entrada da porta da cidade. E saiu Abimelech do lugar das emboscadas com todo o exército.

36 Quando Gaal viu aquela gente, disse a Zebul: Repara quanta gente desce dos montes. Zebul lhe respondeu: Tu vês as sombras dos montes, que te parecem cabeças de homens, e com isto te enganas.

37 Mas Gaal lhe replicou: Olha que multidão desce das alturas da terra, e que esquadrão vem vindo pelo caminho que olha para o carvalho.

38 Zebul lhe respondeu: Onde está agora aquela audácia, com que tu dizias: Quem é Abimelech para lhe estarmos sujeitos! Não é este o povo, que tu desprezavas? Sai e peleja contra ele.

39 Saiu pois Gaal à vista de todo o povo de Siquém, e pelejou contra Abimelech,

40 Que o foi seguindo na fugida, e o constrangeu a entrar na cidade; e morreram muitos dos seus até à porta da cidade;

41 E Abimelech se deteve em Ruma; Zebul porém lançou fora da cidade a Gaal e a seus companheiros e não sofreu que morasse nela.

42 Ao outro dia saiu o povo à campanha. O que tendo sabido Abimelech,

43 Tomou o seu exército, e o dividiu em três batalhões, dispondo emboscadas nos campos. E vendo que o povo saía da cidade, pôs-se em movimento e deu sobre eles

44 Com o seu batalhão, combatendo, e sitiando a cidade; porém os outros dois batalhões perseguiam os inimigos, que estavam derramados pelo campo.

45 E Abimelech todo aquele dia esteve combatendo a cidade; e a tomou depois de mortos os seus habitantes, e a destruiu de sorte que a semeou de sal.

46 O que tendo ouvido os que habitavam na torre de Siquém, entraram no templo do seu deus Berith, onde tinham feito aliança com ele, e daqui tinha tomado o nome o lugar, que era mui forte.

47 Abimelech também ouvindo que os homens da torre de Siquém estavam nela juntos e apinhados,

48 Subiu ao monte de Selmon com toda a sua gente; e, tomando um machado, cortou um ramo duma árvore, e trazendo-o posto ao ombro, disse aos seus companheiros: Fazei depressa o mesmo que me vedes fazer.

49 Cortando pois à porfia ramos de árvores, seguiram o seu general. E cercando a fortaleza, lhe puseram fogo, e por este modo aconteceu que por causa do fumo e do fogo morreram mil pessoas, tanto homens como mulheres, que habitavam na torre de Siquém.

50 Partindo dali, Abimelech veio à cidade de Thebes, à qual bloqueando sitiou com o seu exército.

51 Havia no meio da cidade uma alta torre, para onde se tinham refugiado tanto homens como mulheres, e todas as pessoas principais da cidade, fechada a porta com toda a segurança, e estando sobre o telhado da torre para se defender.

52 E Abimelech chegando-se ao pé da torre, combatia fortemente; e aproximando-se à porta intentava meter-lhe fogo por baixo;

53 eis que pois uma mulher lançando de cima o pedaço duma mó, feriu a Abimelech na cabeça, e lhe quebrou o cérebro.

54 No mesmo ponto chamou ele ao seu escudeiro, e lhe disse: Desembainha a tua espada, e mata-me; porque se não diga, que fui morto por uma mulher. E cumprindo este as ordens, o matou.

55 E morto Abimelech, todos os filhos de Israel, que com ele estavam, se voltaram para suas casas.

56 E assim deu Deus o pago a Abimelech pelo mal que tinha feito a seu pai tirando a vida a setenta irmãos seus;

57 E assim também pagaram os Siquemitas o mal que fizeram, e veio sobre eles a maldição de Joathão filho de Jerobaal.



Há imagens desse capítulo, visualizadas através do Google - Pesquisa de livros, nas seguintes bíblias: Padre Antonio Pereira de Figueiredo edição de 1828 | Padre João Ferreira A. d’Almeida, edição de 1850 | A bíblia em francês de Isaac-Louis Le Maistre de Sacy, da qual se serviu Allan Kardec na Codificação. Veja também: A versão Corrigida e revisada, fiel de Almeida; A Hebrew - English Bible — JPS 1917 Edition; La Bible bilingue Hébreu - Français — “Bible du Rabbinat”, selon le texte original de 1899; Parallel Hebrew Old Testament by John Hurt


.

Abrir