Bíblia do Caminho Antigo Testamento

Isaías    † 

(Vulgatæ Editionis)

CAPÍTULO 30

(Versículos e sumário)

30 Aí filhos desertores, diz o Senhor, para que tomásseis um conselho, e não de mim; e urdísseis uma teia e não pelo meu espírito, para que assim acrescentásseis pecado sobre pecado;

2 Que estais postos a caminho para descer ao Egito, e não tendes consultado o meu oráculo, esperando o auxílio na fortaleza de Faraó, e tendo confiança na sombra do Egito.

3 E tornar-se-á para vós a fortaleza de Faraó em confusão, e a confiança da sombra do Egito em ignomínia.

4 Porque os teus príncipes estavam em Tanis, e os embaixadores chegaram até Hanes.

5 Todos ficaram afrontados à vista dum povo que lhes não pode ser de proveito; não lhes serviram de auxílio nem de utilidade alguma senão de confusão e de opróbrio.

6 Peso dos jumentos do meio-dia. Ei-los aí vão por uma terra de tribulação e angústia de onde saem a leoa, e o leão, a víbora e o basilisco  n volante, levando sobre os ombros de jumentos as suas riquezas e sobre o espinhaço giboso de camelos os seus tesouros, a um povo que lhes não poderá prestar para coisa alguma.

7 Porque o Egito debalde e em vão dará socorro; por isso eu gritando sobre isto, disse: Ali só há soberba, descansa.

8 Agora pois tendo tu entrado, escreve isto sobre a tábua em sua presença, e registra-o com cuidado num livro, e no último dia servirá de um testemunho indelével para sempre;

9 Porque é um povo que está provocando a ira, e são uns filhos mentirosos, uns filhos que não querem ouvir a lei de Deus,

10 Que dizem aos que veem: Não vejais. E aos que olham: Não olheis em proveito nosso para as coisas que são retas. Falai-nos coisas agradáveis, vede para nós enganadoras lisonjas.

11 Alongai de mim o caminho, apartai de mim a vereda, cesse de se repetir diante da nossa face o santo de Israel.

12 Por cujo motivo diz isto o santo de Israel: Porquanto vós rejeitastes esta palavra, e tendes esperado na calúnia e no tumulto, e aí fizestes a vossa firmeza;

13 Por isso esta iniquidade será para vós uma como abertura numa alta muralha que está para cair, e é procurada, porque subitamente, quando se não espera virá a sua ruína.

14 E será feita em pedaços como se quebra de uma fortíssima pancada uma quarta de barro; e não se achará das suas migalhas um caco, em que se leve uma brasinha num fogão, ou se tire uma pouca de água dum poço.

15 Porque o Senhor Deus, o santo de Israel, diz assim: Se vós voltardes e vos deixardes estar em paz, sereis salvos; a vossa fortaleza estará no silêncio e na esperança. E vós o não quisestes;

16 Antes dissestes: De nenhuma sorte, mas recorreremos aos cavalos; por isso mesmo é que vós fugireis. E montaremos em ligeiros; por isso serão mais ligeiros aqueles que vos hão de perseguir.

17 Mil homens fugirão da vista do terror de um só; e à vista do terror de cinco deitareis a fugir, até que fiqueis como mastro de navio no cume de um monte, e estandarte sobre um outeiro.

18 Por isso o Senhor espera para ter misericórdia de vós; e por isso ele será exaltado perdoando-vos; porque o Senhor é um Deus de equidade. Ditosos todos os que o esperam.

19 Porque o povo de Sião habitará em Jerusalém; tu de nenhuma sorte derramando lágrimas chorarás. Ele com muita comiseração se compadecerá de ti; logo que ouvir a voz do teu clamor, te responderá.

20 E o Senhor vos dará um pão apertado, e água pouca; e dali em diante não fará desaparecer para longe de ti o teu doutor; e os teus olhos estarão vendo o teu mestre.

21 E os teus ouvidos ouvirão a palavra dele, advertindo-te por detrás de ti: Este é o caminho, andai por ele; e não declineis nem para a direita nem para a esquerda.

22 E contaminarás as lâminas dos ídolos feitos da tua prata, e a sua vestidura do teu ouro fundido, e arrojá-las-ás bem assim como a imundície de uma menstruada. Sai daqui, lhe dirás tu.

23 E dar-se-á chuva para o teu grão, onde quer que o semeares na terra; e o pão dos frutos da terra será abundantíssimo e pingue; naquele dia será o cordeiro apascentado em espaçosa extensão na tua herdade.

24 E os teus tesouros, e jumentinhos, que lavram a terra, comerão toda a mistura de grãos como eles foram padejados na eira.

25 E sobre todo o monte alto, e sobre todo o outeiro elevado haverá arroios d’águas correntes no dia da mortandade de muitos, quando caírem as torres.

26 E a luz da lua será como a luz do sol, e a luz do sol será sete vezes maior, como seria a luz de sete dias juntos no dia em que o Senhor atar a ferida do seu povo, e curar o golpe da sua chaga.

27 Eis-aí que o nome do Senhor vem de longe, o seu furor é ardente e grave de suportar; os seus lábios estão cheios de indignação, e a sua língua é como um fogo devorante.

28 O seu assopro é como uma torrente que inundando chega até o meio do pescoço para perder as nações com uma aniquilação, e o freio do erro, que estava nos queixos dos povos.

29 O vosso cântico será como na noite da santificada solenidade, e a alegria do coração como o que vai caminhando ao som da flauta, para entrar no monte do Senhor ao forte de Israel.

30 E o Senhor fará ouvir a glória da sua voz, e mostrará o terror do seu braço nas ameaças do seu furor, e com as chamadas dum fogo devorante; quebrará tudo com torvelinho, e com pedra de saraiva.

31 Porque à voz do Senhor ficará cheio de pavor Assur, ferido com a sua vara.

32 E será perdurável a passagem da vara, que o Senhor fará descansar sobre ele com tambores e cítaras; e num assinalado combate os vencerá.

33 Porquanto aparelhado está o lugar de Tofeth desde ontem, aparelhado pelo rei, profundo, e dilatado. As suas acendalhas são o fogo e muita lenha; o assopro do Senhor como uma torrente de enxofre é o que o acende.



Há imagens desse capítulo, visualizadas através do Google - Pesquisa de livros, nas seguintes bíblias: Padre Antonio Pereira de Figueiredo edição de 1828 | Padre João Ferreira A. d’Almeida, edição de 1850 | A bíblia em francês de Isaac-Louis Le Maistre de Sacy, da qual se serviu Allan Kardec na Codificação. Veja também: A versão Corrigida e revisada, fiel de Almeida; A Hebrew - English Bible — JPS 1917 Edition; La Bible bilingue Hébreu - Français — “Bible du Rabbinat”, selon le texte original de 1899; Parallel Hebrew Old Testament by John Hurt


.

Abrir