Bíblia do Caminho Antigo Testamento

Deuteronômio    † 

(Vulgatæ Editionis)

CAPÍTULO 32

(Versículos e sumário)

32 Ouvi, céus, o que vou a dizer; ouça a terra as palavras da minha boca.

2 Cresça como chuva a minha doutrina, destilem como orvalho as minhas palavras, como chuvisco sobre a erva, e como gotas de água sobre as relvas.

3 Porque eu invocarei o nome do Senhor; magnificai ao nosso Deus.

4 As obras de Deus são perfeitas, e todos os seus caminhos são cheios de equidade. Deus é fiel, e sem nenhuma iniquidade, justo e reto.

5 Pecaram contra ele, não já seus filhos em imundícies; geração depravada e perversa.

6 Assim é que tu, povo louco e insensato, mostras o teu agradecimento ao Senhor? Não é ele teu pai, que te possuiu, e te fez, e te criou?

7 Consulta os séculos antigos, considera o que se tem passado no decurso de todas as gerações; pergunta a teu pai, e ele te informará; pergunta aos teus maiores, e eles te dirão.

8 Quando o Altíssimo dividia as nações; quando separava os filhos de Adão, ele designou os limites dos povos, segundo o número dos filhos de Israel.

9 A porção porém do Senhor é o seu povo; Jacob a corda da sua herança.

10 Ele o achou numa terra deserta, num lugar horroroso, e numa vasta solidão; ele o conduziu por diversos caminhos; e o ensinou; e o guardou como a menina do seu olho.

11 Como uma águia provoca seus filhos a voar, e de contínuo voa sobre eles, assim o Senhor estendeu as suas asas sobre o seu povo, e o tomou, e o levou sobre seus ombros.

12 O Senhor só foi o seu condutor; e não era com ele deus algum estranho.

13 Ele o estabeleceu sobre uma terra alta; para que comesse os frutos dos campos, para que chupasse o mel que saía da pedra, e gostasse do azeite que se dava nos mais duros rochedos.

14 Da manteiga das vacas, e do leite das ovelhas, com a gordura dos cordeiros, e dos carneiros dos filhos de Basan; e dos cabritos com a medula do trigo, e para que bebesse mui puro o sanguíneo licor da uva.

15 Mas o amado engrossado, recalcitrou; engrossado, engordado, alargado, abandonou a Deus seu Criador, e se apartou de Deus seu Salvador.

16 Eles o irritaram, adorando deuses estranhos, e com as suas abominações o provocaram à ira.

17 Ofereceram sacrifícios não a Deus, mas aos demônios, aos deuses, que eles desconheciam; vieram deuses novos e recentes, que seus pais não tinham adorado.

18 Deixaste ao Deus que te gerou, e esqueceste-te do Senhor teu Criador.

19 Viu isto o Senhor, e se acendeu em ira; porque o provocaram seus filhos e filhas.

20 Então disse: Eu esconderei deles a minha face, e considerarei o fim que o espera; porque esta é uma geração perversa, e uns filhos infiéis.

21 Eles me provocaram a zelos com aquele que não era Deus, e me irritaram com as suas vaidades; e eu os provocarei a zelos com aquele que não é povo, e os irritarei com uma nação insensata.

22 O fogo se acendeu no meu furor, e arderá até o mais profundo do inferno; e devorará a terra com as suas mais pequenas ervas, e queimará os montes até às raízes.

23 Eu amontoarei sobre eles os males, e empregarei neles todas as minhas setas.

24 A fome os consumirá e as aves os despedaçarão com as suas cruéis mordeduras; eu armarei contra eles os dentes das feras, e o furor das que se revolvem e arrastam sobre a terra.

25 Por fora os devastará a espada, e por dentro o pavor, ao mancebo juntamente com a virgem, à criança que ainda mama, e ao homem velho.

26 Eu disse: Onde estão eles? Eu farei apagar dentre os homens a sua memória.

27 Mas eu deferi executá-lo por causa da arrogância dos inimigos; para que os seus inimigos se não ensoberbecessem, e dissessem: Não foi o Senhor, mas sim a nossa mão poderosa, a que fez todas estas coisas.

28 É uma gente sem conselho e sem prudência.

29 Oxalá que eles tivessem sabedoria, e inteligência, e previssem os fins.

30 Como pode ser que um persiga a mil, e dois façam fugir a dez mil? Não é isto, por que o seu Deus os vendeu, e o Senhor os fechou?

31 Porque o nosso Deus não é como os deuses deles; e os nossos mesmos inimigos são os juízes.

32 A sua vinha é da vinha de Sodoma, e dos subúrbios de Gomorra; as suas uvas são uvas de fel, e os seus cachos amargosíssimos.

33 O seu vinho é fel de dragões, e veneno de áspides incurável.

34 Porventura não tenho eu guardadas estas coisas comigo, e seladas nos meus tesouros?

35 Minha é a vingança, e eu lhes darei o pago a seu tempo, quando resvalar o seu pé; perto está o dia da sua perdição, e os momentos dela se apressam por chegar.

36 O Senhor julgará o seu povo, e se compadecerá dos seus servos. Ele verá que as mãos estão sem força, e que também os que estavam fechados desfaleceram, e que os que tinham ficado foram consumidos.

37 E dirá: Onde estão os seus deuses, nos quais tinham posto a sua confiança?

38 De cujas vítimas comiam as banhas, e bebiam o vinho das suas libações; levantem-se e venham em vosso socorro, e projetam-vos na vossa necessidade.

39 Vede que só eu sou Deus, e que não há outro fora de mim; eu matarei, e eu farei viver; ferirei, e curarei; e não há quem possa tirar da minha mão coisa alguma.

40 Eu levantarei a minha mão ao céu, e direi: Eu sou o que vivo eternamente.

41 Se eu afiar como raio a minha espada, e a minha mão se armar para fazer justiça; eu me vingarei de meus inimigos, e darei o pago aos que me aborrecem.

42 Eu embriagarei as minhas setas em sangue dos mortos, e a minha espada devorará as carnes dos inimigos, que estão no cativeiro com a cabeça rapada.

43 Louvai, ó gentes, o seu povo, porque ele vingará o sangue dos seus servos; e tomará vingança dos seus inimigos, e se mostrará propício à terra do seu povo.

44 Veio pois Moisés, e com Josué, filho de Nun, proferiu todas as palavras deste cântico diante do seu povo.

45 E acabou todas estas palavras, falando a todo o Israel;

46 E lhes disse: Aplicai vossos corações a todas as palavras que eu hoje vos testifico, recomendai a vossos filhos que guardem, e pratiquem, e cumpram tudo o que está escrito nesta lei;

47 porque não debalde vos foram postos estes preceitos, mas sim para que cada um de vós ache neles a vida, e guardando-os moreis por muito tempo no país, que ides a possuir, depois que passardes o Jordão.

48 No mesmo dia falou o Senhor a Moisés, dizendo:

49 Sobe a este monte de Abarim, isto é, das passagens, ao monte Nebo, que é o país de Moab defronte de Jericó; e contempla a terra de Canaã, cuja posse darei aos filhos de Israel, e tu morrerás no monte.

50 Ao qual tendo subido, irás unir-te a teus povos, assim como Arão teu irmão morreu no monte Hor, e se foi unir aos seus povos;

51 porque vós prevaricastes contra mim no meio dos filhos de Israel nas Águas da Contradição em Cades, do deserto de Sin; e não me santificastes entre os filhos de Israel.

52 Tu verás defronte de ti a terra que eu hei de dar aos filhos de Israel, e não entrarás nela.



Há imagens desse capítulo, visualizadas através do Google - Pesquisa de livros, nas seguintes bíblias: Padre Antonio Pereira de Figueiredo edição de 1828 | Padre João Ferreira A. d’Almeida, edição de 1850 | A bíblia em francês de Isaac-Louis Le Maistre de Sacy, da qual se serviu Allan Kardec na Codificação. Veja também: A versão Corrigida e revisada, fiel de Almeida; A Hebrew - English Bible — JPS 1917 Edition; La Bible bilingue Hébreu - Français — “Bible du Rabbinat”, selon le texte original de 1899; Parallel Hebrew Old Testament by John Hurt


.

Abrir