Bíblia do Caminho Antigo Testamento

Deuteronômio    † 

(Vulgatæ Editionis)

CAPÍTULO 9

(Versículos e sumário)

9 Ouve, ó Israel: Tu passarás hoje o Jordão, para te assenhoreares de nações mui populosas e mais possantes do que tu, de grandes cidades, e muradas até o céu,

2 De um povo grande e mui alto, dos filhos dos Enacins, que tu mesmo viste, e ouviste, e a quem nenhum pode fazer cara.

3 Tu pois saberás hoje que o Senhor teu Deus passará ele mesmo diante de ti, como um fogo devorador e consumidor, que os fará em pó e os arruinará, e os exterminará dentro de pouco tempo à tua vista, como ele to prometeu.

4 Depois que o Senhor teu Deus os tiver destruído diante de ti, não digas lá no teu coração: Por causa da minha justiça é que o Senhor me introduziu nesta terra para a possuir, tendo sido estas nações destruídas por causa das suas impiedades.

5 Porque não é pela tua justiça, nem pela retidão do teu coração, que tu entrarás nas suas terras para as possuíres, mas porque elas obraram impiamente, por isso foram destruídas à tua entrada; e porque o Senhor queria cumprir o que tinha prometido em juramento a teus pais Abraão, Isaac e Jacob.

6 Sabe pois que não é pela tua justiça que o Senhor teu Deus te fará possuir esta terra tão excelente, pois que tu és um povo de cerviz duríssima.

7 Lembra-te, e não te esqueçais de que modo tens provocado a ira o Senhor teu Deus no deserto. Desde o dia, que saíste do Egito até este lugar, sempre contendeste contra o Senhor.

8 Porque já em Horeb o provocaste, e ele irado te quis destruir,

9 Quando eu subi ao monte, para receber as tábuas de pedra, as tábuas do pacto que o Senhor fez convosco; e perseverei no Monte quarenta dias e quarenta noites, sem comer pão, nem beber água.

10 E o Senhor me deu duas tábuas de pedra escritas com o dedo de Deus, e que continham todas as palavras que ele vos falou no monte do meio do fogo, estando junto todo o povo.

11 E passados que foram quarenta dias, e outras tantas noites, me deu o Senhor duas tábuas de pedra, as tábuas do concerto,

12 E me disse: Levanta-te, e desce logo daqui, porque o teu povo, que tu tiraste do Egito, prontamente desamparou o caminho, que tu lhe mostraras, e fez para si um bezerro fundido.

13 Outrossim me disse o Senhor: Vejo que este povo é de dura cerviz;

14 Deixa que eu o faça em pó, e que apague o seu nome de debaixo do céu, e eu te farei príncipe de uma gente, que seja maior e mais forte do que esta.

15 E como eu descesse do monte que ardia, e levasse nas minhas mãos as duas tábuas do concerto,

16 E visse que vós tínheis pecado contra o Senhor vosso Deus, e que tínheis feito um bezerro fundido, e que depressa tínheis deixado o caminho, que ele vos havia mostrado,

17 Arrojei das minhas mãos as tábuas, e as quebrei à vossa vista.

18 E prostrei-me diante do Senhor, como antes o tinha feito, e estive quarenta dias e quarenta noites sem comer pão, nem beber água por causa de todos os vossos pecados, que tínheis cometido contra o Senhor, e com que o provocastes a ira;

19 Porque temi a sua indignação e ira, pela qual estimulado contra vós, quis acabar-vos. E o Senhor me ouviu ainda por esta vez.

20 Irritado também sobremaneira contra Arão, quis o Senhor matá-lo, e eu orei por ele do mesmo modo.

21 E pegando no vosso pecado, que tínheis feito, isto é, no bezerro, o queimei no fogo, e fazendo-o em pedaços, e reduzindo-o inteiramente a pó, o deitei na torrente, que desce do monte;

22 Irritaste também o Senhor no Incêndio e na Tentação, e nos Sepulcros da Concupiscência;

23 E quando vos mandou de Cadesbarne, dizendo: Subi, e tomai posse da terra, que eu vos dei, e vós desprezastes o mandado do Senhor vosso Deus, e não lhe destes crédito, nem quisestes ouvir a sua voz;

24 Mas sempre lhe fostes rebeldes desde o dia que eu comecei a conhecer-vos.

25 E estive prostrado diante do Senhor quarenta dias e quarenta noites, em que humildemente lhe rogava, que vos não perdesse como ele o tinha ameaçado;

26 E orando disse: Senhor Deus, não percas o teu povo, e a tua herança, que tu resgataste com o teu grande poder, e que tiraste do Egito com mão poderosa.

27 Lembra-te de teus servos Abraão, Isaac, e Jacob; não olhes para a dureza deste povo, nem para a sua impiedade e pecado;

28 Para que não digam os habitantes do país, donde nos tiraste: O Senhor não podia introduzi-los na terra, que lhes havia prometido, e como os aborrecia, por isso os tirou, para os matar no deserto,

29 Os quais são teu povo e tua herança, que tu tiraste com a tua grande fortaleza, e com o teu braço estendido.



Há imagens desse capítulo, visualizadas através do Google - Pesquisa de livros, nas seguintes bíblias: Padre Antonio Pereira de Figueiredo edição de 1828 | Padre João Ferreira A. d’Almeida, edição de 1850 | A bíblia em francês de Isaac-Louis Le Maistre de Sacy, da qual se serviu Allan Kardec na Codificação. Veja também: A versão Corrigida e revisada, fiel de Almeida; A Hebrew - English Bible — JPS 1917 Edition; La Bible bilingue Hébreu - Français — “Bible du Rabbinat”, selon le texte original de 1899; Parallel Hebrew Old Testament by John Hurt


.

Abrir