Bíblia do Caminho Antigo Testamento

2º Livro de Samuel  † 

(Vulgatæ Editionis)

CAPÍTULO 22

(Versículos e sumário)

22 E David falou ao Senhor as palavras deste cântico, no dia em que o Senhor o livrou da mão de todos os seus inimigos, e da mão de Saul,

2 E disse: O Senhor é o meu rochedo, e o meu esforço, e o meu Salvador.

3 É o meu Deus forte, nele esperarei; é o meu escudo, e a fortaleza da minha salvação. O meu exaltador e o meu refúgio; ó meu Salvador, tu me livrarás da iniquidade.

4 Eu invocarei o Senhor digno de louvor; e serei salvo de meus inimigos.

5 Porque me cercaram quebrantos de morte; torrentes de Belial me atemorizaram.

6 Cordas de inferno me cingiram todo; laços de morte me apanharam descuidado.

7 Na minha tribulação invocarei o Senhor, e clamarei ao meu Deus; e ele ouvirá a minha voz lá do seu templo, e o meu clamor chegará aos seus ouvidos.

8 A terra se comoveu e estremeceu; os fundamentos dos montes foram agitados, e abalados, porque se irou contra eles.

9 O fumo de seus narizes se elevou ao alto, e fogo devorador sairá da sua boca; por ele serão acesos carvões.

10 Abaixou os céus, e desceu; e a escuridade debaixo de seus pés.

11 E subiu sobre os querubins, voou; e desceu sobre as asas dos ventos.

12 Pôs trevas ao redor de si para se ocultar; joeirando as águas das nuvens do céu.

13 Pelo esplendor da sua presença se acenderam carvões de fogo.

14 O Senhor trovejará do céu; e o Altíssimo fará soar a sua voz.

15 Disparou setas e dissipou os raios, e consumiu-os.

16 E apareceram as profundidades do mar, e descobriram-se os fundamentos da terra, ao ameaçar do Senhor, ao assopro do espírito do seu furor.

17 Enviou do alto, e recebeu-me; e tirou-me das muitas águas.

18 Livrou-me do meu inimigo poderosíssimo, e daqueles que me tinham ódio; porque eram mais fortes do que eu.

19 Preveniu-me no dia da minha tribulação, e o Senhor se fez o meu firme esteio.

20 E ele me tirou ao largo; livrou-me, porque lhe agradei.

21 O Senhor me retribuirá segundo a minha justiça; e ele me galardoará segundo a pureza das minhas mãos.

22 Porque eu guardei os caminhos do Senhor, e não obrei impiamente, contra o meu Deus.

23 Todos os seus pensamentos pois estão diante dos meus olhos; e não me arredei dos seus preceitos.

24 E serei perfeito com ele; e guardar-me-ei da minha iniquidade.

25 E o Senhor me retribuirá segundo a minha justiça; e segundo a pureza de minhas mãos, diante dos seus olhos.

26 Com o santo serás santo; e com o robusto, perfeito.

27 Com o puro serás puro; e com o perverso far-te-ás perverso.

28 E salvarás o povo pobre; e com os teus olhos humilharás os soberbos.

29 Porque tu, Senhor, és a minha candeia; e tu, Senhor, alumiarás as minhas trevas.

30 Contigo pois correrei armado a combater; com o meu Deus saltarei o muro.

31 O caminho de Deus é imaculado, a palavra do Senhor é purificada ao fogo; e é escudo de todos os que esperam nele.

32 Que Deus há senão o Senhor? e que forte há senão o nosso Deus?

33 O Deus que me cingiu de fortaleza; e aperfeiçoou o meu caminho.

34 Que iguala os meus pés com os dos cervos, e me põe sobre as minhas alturas.

35 Que instrui as minhas mãos para a peleja, e faz os meus braços como um arco de bronze.

36 Tu me deste o escudo da tua salvação; e a tua benignidade me engrandeceu.

37 Alargaste os meus passos debaixo de mim; e não desfaleceram os meus artelhos,

38 Perseguirei os meus inimigos, e fá-los-ei em migalhas; e não tornarei atrás até que os consuma.

39 Consumi-los-ei e desfaze-los-ei de modo que se não levantem; cairão debaixo dos meus pés.

40 Tu me guarneceste de força para o combate; fizeste acurvar debaixo de mim os que resistiam.

41 Fizeste que voltassem as costas meus inimigos que me aborreciam, e eu os arruinarei de todo.

42 Clamarão, e não haverá ninguém que os socorra; clamarão ao Senhor, e ele os não ouvirá.

43 Eu os moerei como o pó da terra; trilhá-los-ei, e desfá-los-ei, como o lodo das ruas.

44 Tu me salvarás das contradições do meu povo; conservar-me-ás para ser o chefe das nações; um povo, que eu não conheço, me servirá.

45 Os filhos estranhos me resistirão, em me ouvindo me obedecerão.

46 Os filhos estranhos se desfizeram, e serão estreitados nos seus encerramentos.

47 Viva o Senhor, e seja bendito o meu Deus; e será exaltado o Deus forte da minha salvação.

48 Tu és, ó Deus, o que me vingas, o que sujeitas os povos debaixo de mim.

49 Tu o que me tiras dentre os meus inimigos, e o que me exaltas sobre os que me resistem; tu me livrarás do homem injusto.

50 Por isso, Senhor, te darei as graças no meio das nações; e entoarei louvores ao teu nome.

51 O que engrandece as saúdes do seu rei, e usa de misericórdia com David seu ungido, e com a sua descendência para sempre.



Há imagens desse capítulo, visualizadas através do Google - Pesquisa de livros, nas seguintes bíblias: Padre Antonio Pereira de Figueiredo edição de 1828 | Padre João Ferreira A. d’Almeida, edição de 1850 | A bíblia em francês de Isaac-Louis Le Maistre de Sacy, da qual se serviu Allan Kardec na Codificação. Veja também: Hebrew - English Bible — JPS 1917 Edition; La Bible bilingue Hébreu - Français — “Bible du Rabbinat”, selon le texte original de 1899; Parallel Hebrew Old Testament by John Hurt.


.

Abrir