Bible of the WayBíblia do Caminho  † Testamento Redentor

Índice Página inicial Próximo Capítulo

O Evangelho segundo S. Lucas  Ee

(Vulgatæ Editionis)

CAPÍTULO 23

(Versículos e sumário)

Jesus, Pilatos e Herodes  Ee

Mt = Mc = Jo

 

23 Levantando-se todos daquele conselho, levaram Jesus a Pilatos.

2 E começaram a acusá-lo, dizendo: A este temos achado pervertendo a nossa nação, vedando dar o tributo a César e dizendo que ele é o Cristo Rei.

3 Pilatos lhe perguntou: Tu és o rei dos judeus? Ele respondeu: Tu o dizes.

4 Então disse Pilatos aos príncipes dos sacerdotes e ao povo: Eu não acho neste homem crime algum.

5 Mas eles porfiavam cada vez mais, dizendo: Ele subleva o povo com a doutrina que prega por toda a Judeia, desde a Galileia, onde começou, até aqui.

6 Pilatos, ouvindo falar da Galileia, perguntou se era galileu aquele homem.

7 E quando soube que era da jurisdição de Herodes, remeteu-o a ele, que naqueles dias se achava também em Jerusalém.

Jesus diante de Herodes

 

8 Herodes tendo visto Jesus, folgou muito; porque de longo tempo tinha desejo de ve-lo, por ter ouvido dizer dele muitas coisas, e esperava ver-lhe fazer algum milagre.

9 Fez-lhe então muitas perguntas. Mas ele a nenhuma deu resposta.

10 Os príncipes dos sacerdotes e os escribas estavam ali presentes, acusando-o com grande instância.

11 Herodes, porém, com os do seu exército desprezou-o e fez escárnio dele; tendo-o mandado vestir uma túnica branca, remeteu-o a Pilatos.

12 E naquele dia ficaram amigos Herodes e Pilatos, porque estavam antes inimigos um do outro.

Jesus é remetido novamente a Pilatos Ee

 

13 Pilatos convocando então os príncipes dos sacerdotes, os magistrados e o povo, lhes disse:

14 Apresentastes-me este homem como perturbador do povo, e vede que fazendo-lhe perguntas diante de vós outros não achei neste homem culpa alguma daquelas de que o acusais.

15 Nem Herodes tampouco, porque vos remeti a ele e eis que nada se lhe tem provado que mereça morte.

16 Soltá-lo-ei, portanto, depois de o castigar.

17 Ora, Pilatos precisava soltar-lhes pela festa um criminoso.

18 Por isso todo o povo gritou a uma voz dizendo: Mate este e solta-nos Barrabás.

19 O qual havia sido preso por causa de uma sedição feita na cidade e por causa de um homicídio.

20 Pilatos, que desejava livrar a Jesus, falou de novo aos judeus.

21 Mas eles tornaram a gritar, dizendo: Crucifica-o, crucifica-o.

22 E terceira vez lhes disse Pilatos: Pois que mal fez ele? Eu não acho nele causa alguma de morte; irei portanto castigá-lo e depois soltá-lo-ei.

23 Mas eles instavam, pedindo a grande vozes que fosse crucificado, e cresciam mais as suas vozes.

24 Enfim ordenou Pilatos que se executasse o que eles pediam.

25 Ao mesmo tempo soltou-lhes aquele que havia sido preso por causa do homicídio e da sedição, que era quem eles pediam, e permitiu-lhes que fizessem de Jesus o que quisessem.

 

O cireneu Ee

Mt = Mc

 

26 Quando o iam conduzindo, pegaram um camponês, certo homem de Cirene chamado Simão, e puseram sobre ele a cruz, para que a levasse após Jesus.

 

Jesus rumo ao Calvário Ee

 

27 Seguia-o uma enorme multidão de gente; as mulheres choravam e lamentavam.

28 Mas Jesus voltando-se para elas, lhes disse: Filhas de Jerusalém, não choreis por mim, mas chorai por vós mesmas e por vossos filhos.

29 Porque sabei que virá tempo em que se dirá: Ditosas as que são estéreis, ditosos os ventres que não gerarem e ditosos os peitos que não deram de mamar.

30 Então começarão os homens a dizer aos montes: Caí sobre nós; e aos outeiros: Cobri-nos(Os)

31 Porque se isto se faz ao lenho verde, que se fará ao seco?

32 Eram também levados com Jesus outros dois, que eram malfeitores, para se lhes dar a morte.

 

A crucificação Ee

Mt = Mc = Jo

 

33 Ao chegarem ao lugar que se chama Calvário, ali crucificaram a ele e aos dois ladrões, um à direita e outro à esquerda.

34 E Jesus dizia: Pai, perdoa-lhes, porque não sabem o que fazem. Repartindo suas vestes, sortearam-nas.

35 Entretanto o povo estava olhando para ele e os príncipes dos sacerdotes com o povo escarneciam-no, dizendo: Quem salvou aos outros, que se salve a si, se este é o Cristo escolhido de Deus.

36 Os soldados também o escarneciam, chegando-se a ele e oferecendo-lhe vinagre para beber,

37 Dizendo: Se tu és o rei dos judeus, salva-te a ti mesmo.

38 Estava também sobre ele um título, escrito em letras gregas, latinas e hebraicas, o qual dizia: ESTE É O REI DOS JUDEUS.

 

Os dois malfeitores Ee

 

39 Um daqueles ladrões que estavam dependurados, blasfemava contra ele dizendo: Se tu és o Cristo, salva-te a ti mesmo e a nós outros.

40 Mas o outro repreendia-o, dizendo: Nem estando no mesmo suplício, não temes a Deus!

41 Nós, na verdade, o estamos justamente, porque recebemos o castigo que merecem nossas obras; mas este nenhum mal fez.

42 E dizia a Jesus: Senhor, lembra-te de mim, quando entrares no teu Reino!

43 Jesus lhe respondeu: Em verdade te digo, que hoje serás comigo no paraíso.

 

A morte do Enviado Ee

Mt = Mc = Jo

 

44 Era então quase a hora sexta, e toda a terra ficou coberta de trevas até à hora nona.

45 Escureceu-se também o sol; e rasgou-se pelo meio o véu do Templo.

46 Jesus dando um grande brado, disse: Pai, nas tuas mãos encomendo o meu Espírito. E dizendo estas palavras, expirou.

47 O centurião, porém, que tinha visto o que sucedera, deu glória a Deus, dizendo: Na verdade este homem era justo.

48 E todo o povo que assistia a este espetáculo, e via o que se passava, retirava-se batendo nos peitos.

49 Todos os que eram do conhecimento de Jesus e as mulheres que o tinham seguido desde a Galileia, estavam a certa distância vendo estas coisas.

 

O sepultamento do Salvador

Mt = Mc = Jo

 

50 Eis que um varão por nome José, decurião no Conselho, homem bom e justo,

51 De Arimateia, cidade da Judeia, que também esperava o Reino de Deus, e que não havia concordado com a determinação do Conselho, nem com o que haviam feito;

52 Este homem, pois, foi ter com Pilatos e pediu-lhe o corpo de Jesus.

53 Depois que o desceu, amortalhou-o num lençol e depositou-o num sepulcro aberto em rocha, onde ainda ninguém tinha sido posto.

54 Era então dia da preparação, e já raiava o sábado.

55 Ora, as mulheres que tinham vindo da Galileia com Jesus, indo atrás de José, observaram o sepulcro e como o corpo de Jesus fora nele depositado.

56 Retornando, elas prepararam aromas e bálsamos, e no sábado certamente estiveram sem fazer coisa alguma, segundo o mandamento da lei.

 


Há imagens desse capítulo, visualizadas através do Google - Pesquisa de livros, nas seguintes bíblias: Padre Antonio Pereira de Figueiredo edição de 1828 | Padre João Ferreira A. d’Almeida, edição de 1850 | A bíblia em francês de Isaac-Louis Le Maistre de Sacy, da qual se serviu Allan Kardec na Codificação.

Veja também as seguintes versões: Corrigida e revisada, fiel de Almeida; Novum Testamentum Graece 28th revised edition. Edited by Barbara Aland and others; Parallel Greek New Testament by John Hurt

 

.

D
W