Bible of the WayBíblia do Caminho  † Testamento Redentor

Índice Página inicial Próximo Capítulo

O Evangelho segundo S. Lucas  Ee 

(Vulgatæ Editionis)

 

CAPÍTULO 16

 

Parábola do feitor infiel. Jesus reprova os fariseus avarentos. Parábola do rico avarento e Lázaro mendigo. (Nota do Tradutor)

 

Parábola do administrador infiel  Ee 

 

16 Dizia também [Jesus] a seus discípulos: Havia um homem rico que tinha um feitor; e este foi acusado diante dele como quem havia dissipado os seus bens.

2 Ele o chamou e lhe disse: Que é isto que ouço dizer de ti? Dá conta da tua administração; porque já não poderás ser meu feitor.

3 Então o feitor disse consigo mesmo: Que farei, visto que meu amo me tira a administração? Cavar não posso, de mendigar tenho vergonha.

4 Mas já sei o que hei de fazer; para que quando for removido da administração ache quem me recolha em sua casa.

5 Tendo chamado pois cada um dos devedores de seu amo, disse ao primeiro: Quanto deves a meu amo?

6 Este lhe respondeu: Cem cados de azeite. Ele então lhe disse: Toma a tua obrigação; senta-te depressa e escreve outra de cinquenta.

7 Depois disse a outro. E tu quanto deves? Respondeu ele: Cem coros de trigo. Disse-lhe o feitor: toma o teu escrito e escreve oitenta.

8 E o amo louvou este feitor iníquo, por haver obrado como homem de juízo; porque os filhos deste século são mais sábios na sua geração que os filhos da luz.

9 Também eu vos digo: que granjeeis amigos com as riquezas da iniquidade; para que quando venham a faltar, vos recebam eles nos tabernáculos eternos.

10 O que é fiel no menos, também é fiel no mais; e o que é injusto no pouco, também é injusto no muito.

11 Se pois não fostes fiéis nas riquezas injustas, quem haverá que vos confie as verdadeiras?

12 E se não fostes fiéis no alheio, quem vos dará o que é vosso?

13 Nenhum servo pode servir a dois senhores; porque ou há de aborrecer a um e amar ao outro; ou há de entregar-se a um, e não fazer caso do outro; vós não podeis servir a Deus e a Mamon.

 

Jesus reprova os fariseus. A autoridade da lei

 

14 Ora, os fariseus, que eram avarentos, ouviam todas estas coisas e zombavam dele.

15 Ele lhes disse: Vós sois os que vos dais por justificados diante dos homens, mas Deus conhece os vossos corações; porque o que é valioso aos olhos dos homens, é abominação diante de Deus.

16 A lei e os profetas perduram até João; desde então evangeliza-se para o Reino de Deus, e todos fazem força por alcançá-lo.

17 É mais fácil porém, passar o céu e a terra do que se omitir um único til da lei.

 

Do divórcio  Ee 

Mt = Mc

 

18 Todo o que deixa sua mulher e casa com outra, comete adultério; o que casa com a que foi repudiada por seu marido, comete adultério.

 

Parábola do rico e Lázaro  Ee 

 

19 Havia um homem muito rico que se vestia de púrpura e seda; e que todos os dias se banqueteava esplendidamente.

20 Havia também um pobre mendigo, por nome Lázaro, todo coberto de chagas, que estava deitado à sua porta.

21 E que desejava fartar-se das migalhas que caíam da mesa do rico, mas ninguém lhas dava; e os cães vinham lamber-lhe as úlceras.

22 Ora, sucedeu morrer este mendigo, que foi levado pelos anjos ao seio de Abraão. Morreu também o rico, e teve o inferno por sepulcro.

23 Quando ele estava nos tormentos, levantando seus olhos, viu ao longe Abraão, e Lázaro no seu seio.

24 E gritando, ele disse: Pai Abraão, compadece-te de mim e manda a Lázaro que molhe na água a ponta do seu dedo, a fim de me refrescar a língua, porque estou atormentado nesta chama.

25 Abraão lhe respondeu: Filho, lembra-te que recebeste os teus bens em tua vida, e que Lázaro não teve senão males; por isso está ele agora consolado, e tu em tormentos;

26 Além do que entre nós e vós está firmado um grande abismo, de maneira que os que querem passar daqui para vós, não podem, nem os daí passar para cá.

27 Disse o rico: Pois eu te rogo, pai, que o mandes à casa de meu pai;

28 Pois que tenho cinco irmãos, para que lhes dê testemunho, que não suceda virem também eles parar neste lugar de tormentos.

29 E Abraão lhe disse: Eles têm a Moisés e aos profetas: ouçam-nos.

30 Disse então o rico: Não, pai Abraão; mas se for a eles algum dos mortos, hão de fazer penitência.

31 Porém Abraão lhe respondeu: Se não ouvem a Moisés e aos profetas, ainda que alguns mortos ressuscitem, tampouco acreditarão.

 


Há imagens desse capítulo, visualizadas através do Google - Pesquisa de livros, nas seguintes bíblias: Padre Antonio Pereira de Figueiredo edição de 1828 | Padre João Ferreira A. d’Almeida, edição de 1850 | A bíblia em francês de Isaac-Louis Le Maistre de Sacy, da qual se serviu Allan Kardec na Codificação.

Veja também as seguintes versões: Corrigida e revisada, fiel de Almeida; Novum Testamentum Graece 28th revised edition. Edited by Barbara Aland and others; Parallel Greek New Testament by John Hurt